Dólar com. R$ 3,302
IBovespa +1,8%
26 de junho de 2017
min. 24º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Lava Jato: MPF pedirá aumento de pena para Palocci e Vaccari
27/04/2017 às 01h57

Blogs

Moro pede a empresa de auditoria informações sobre atuação de Lula na Petrobras

Arquivo/Agência Brasil


Informações farão parte de processo que envolve Lula e Palocci na Operação Lava Jato


Informações sobre Lula

O juiz federal Sérgio Moro pediu a KPMG,  empresa responsável pela auditoria na Petrobras, o envio, num prazo de 30 dias  de informações se ao auditar as contas da estatal identificou "algum ato de corrupção ou ato ilícito" envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 As informações farão parte do processo que envolve o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-presidente Lula na Operação Lava Jato. O despacho de Moro foi proferido ontem (25).


Lula e Palocci acusados

Na ação penal, Lula e o ex-ministro Antonio Palocci são acusados de ter conhecimento do repasse de dinheiro de caixa 2 pela Odebrecht ao PT. Segundo o empresário Marcelo Odebrech, Palocci era responsável pela indicação de pagamentos que deveriam ser feitos a campanhas políticas. Segundo o empreiteiro, os recursos eram depositados em um conta informal que o partido mantinha com a empreiteira em troca de favorecimentos.


Outro Lado

 Os advogados de Lula afirmaram que os delatores não apresentaram provas contra o ex-presidente e que o objetivo das denúncias é manchar a imagem e comprometer a reputação de Lula.

Os advogados de Palocci afirmaram que o ex-ministro nunca solicitou vantagens indevidas para campanhas do PT. Palocci disse ao juiiz Sérgio Moro, na semana passada, que não fez operações de caixa 2 para o PT e mostrou-se disposto a colaborar com as investigações e apresentar "nomes, endereços e operações realizadas", que podem render mais "um ano de trabalho" à Lava Jato.


Rodrigo Maia empurra deputado petista na Mesa Diretora

Em protesto à votação do projeto de lei (PL 6787/16) que opera alterações na legislação trabalhista , parlamentares de oposição ao governo  Temer ocuparam o espaço reservado à Mesa Diretora da Câmara com cruzes e caixões azuis simbolizando a “morte” da carteira de trabalho. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não gostou da postura dos colegas e chegou a empurrar, com certa violência, o ex-líder do PT, Afonso Florence.

Confira o momento do "empurrão" a partir dos 27 segundos do vídeo


*Com EBC e assessorias




Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]