Dólar com. R$ 3,318
IBovespa +0,64%
15 de dezembro de 2017
min. 22º máx. 31º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel Receita paga hoje o último lote do ano de restituição do Imposto de Renda
01/06/2017 às 02h10

Blogs

Edson Fachin amarga processo de "isolamento" no STF

Arquivo/Agência Brasil

Processo teria se iniciado após a divulgação da homologação do acordo de delação com os irmãos Batista, da JBS


Silêncio Ensurdecedor

Nos corredores  do Supremo Tribunal Federal  (STF) comenta-se que o ministro Edson Fachin “caiu em desgraça”, após a homologação do acordo de delação com os controladores da JBS. Pessoas próximas ao ministro relator da Lava Jato, afirmam que ele vem se queixando  de um processo de isolamento e abandono por parte de seus  “colegas” de Suprema Corte. A revista  Época, em sua coluna Expresso,  publicou que Fachin considera o silêncio da Corte em relação à sua atuação “ensurdecedor”.


Surpreendente “benevolência”

A “atitude dos colegas”  não chega a surpeender. Fica difícil entender a “generosidade” de Fachin no acordo de delação homologado com os irmãos Batista da JBS.

Além  da surpreendente “benevolência” , Fachin demorou no levantamento do sigilo das gravações que contribuíram para as negociações do acordo. Essa demora permitiu que a JBS faturasse alguns bilhões na compra e venda de dólares .


Fachin teve ajuda da JBS em candidatura ao STF  


Estragos “midiáticos”

Outro “estrago” causado pela demora na liberação do sigilo das gravações, foram algumas transcrições  divulgadas  na mídia, inclusive na Rede Globo, não confirmadas  após a divulgação oficial. Alguns trechos destacados  no “furo de reportagem” do Jornal Nacional, por exemplo,  sequer constavam no "áudio oficial" divulgado posteriormente. A divulgação antecipada das transcrições das gravações “não oficiais” provocou uma perda gigantesca na Bolsa de Valores no dia seguinte.


Revisão

 Para um ex-ministro  “quando se erra, não se deve persistir no erro”. Para ele  a revisão do acordo seria fundamental  para  fortalecer  a Lava Jato, pois serviria de instrumento para impedir que futuros acordos não sejam fechados como o da JBS,  sem a participação da Polícia Federal e da força-tarefa da Lava Jato de Curitiba.


Além do desgate...

Alguns ministros já “sinalizaram”  que caberia revisão no acordo homologado com os irmãos Batista. Para outros a revisão enfraqueceria a  Lava Jato, pois inibiria futuros acordos de delação.  Se a tese da revisão avançar o desgaste de Fachin junto a seus pares  pode se transformar em desmoralização.



Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]