Dólar com. R$ 3,318
IBovespa +0,64%
15 de dezembro de 2017
min. 22º máx. 31º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel Receita paga hoje o último lote do ano de restituição do Imposto de Renda
07/06/2017 às 01h55

Blogs

Sérgio Moro desafia advogado de defesa de Lula

Arquivo/Agência Brasil


Em cima da hora

O advogado de Lula, Cristiano Zanin, entrou com um pedido de “habeas corpus” junto ao TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4.ª Região) alegando que o juiz Sergio Moro juntou aos autos de um processo, que envolve o ex-presidente, documentos juntados pelo MPF ( Ministério Público Federal) sobre delações de executivos da empreiteira Odebrecht, poucas horas antes da audiência de segunda-feira (05). No processo Lula é suspeito de lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Os delatores foram ouvidos na condição de testemunhas de acusação. O desembargador Gebran Neto, responsável pela relatoria da operação Lava Jato no TRF4, determinou que os delatores fossem ouvidos novamente pela Justiça Federal do Paraná.


Desmentindo a “tese” da defesa

Na terça-feira (06), o juiz Sergio Moro desmentiu o advogado de Lula, e afirmou que a defesa do ex-presidente teve amplo acesso às delações da Odebrecht.

“Apesar da defesa de Luis Inácio Lula da Silva não ter aberto a intimação eletrônica, consta, nos registros eletrônicos, que o advogado Cristiano Zanin Martins acessou os processos e ainda especificamente os depoimentos extrajudiciais de Alexandrino de Salles Ramos Alencar e de Emílio Alves Odebrecht ainda em 31/05/2017, por diversas vezes e, novamente por diversas vezes em 01/06/2017.”

“Assim, salvo melhor explicação por parte da defesa, não aparenta corresponder à realidade a afirmação do advogado Cristiano Zanin Martins de que foi surpreendido na audiência de 05/06/2017, já que os registros eletrônicos do sistema informam que teve acesso à prova com relativa antecedência, em 31/05/2017 e 01/06/2017. Salvo melhor explicação, os fatos afirmados na impetração pelos advogados, de que a defesa teria sido surpreendida em 05/06/2017,  não são lamentavelmente verdadeiros.”


“Intimidação e interceptação”

Cristiano Zanin reagiu insinuando que Moro estaria promovendo uma “clara tentativa de intimidação dos advogados, mediante interceptação de dados de navegação de um escritório de advocacia”.


“Esclarecendo e desafiando”

Moro respondeu que “esclareça-se somente diante dos termos da nota emitida pelo defensor do ex-presidente Lula, que não houve qualquer “espionagem” ao escritório de advocacia, porém , mera verificação relativa aos acessos do processo eletrônico da Justiça Federal”

O juiz lançou ainda um desafio . Moro quer que o advogado comprove as acusações e que então possa esclarecer o motivo de ter afirmado que não teria tido acesso aos processos de delação de Emílio Odebrecht e Alexandrino Alencar.


Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]