Dólar com. R$ 3,19
IBovespa +0,14%
22 de outubro de 2017
min. 24º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Temer quer que deputados não compareçam à votação de denúncia
28/06/2017 às 00h01

Blogs

Denúncia contra Temer pode ter colocado Janot em "maus lençóis"

Arquivo/Agência Brasil


Questionamentos iniciais

Em  postagem no Painel Político  de 26 de maio,  formulamos alguns questionamentos  que ficaram sem respostas  sobre a relação do ministro Luis Edson Fachin, do STF, e Rodrigo Janot, da PGR, com o grupo JBS.

 

Fachin, Janot e JBS: “Os Elos”

Um desses questionamentos  era sobre   um assessor do Procurador-Geral da República que tinha deixado o cargo no MPF,  para trabalhar  no escritório Trench Rossi Watanabe a fim de negociar o acordo de leniência da J&F nos Estados Unidos.  A “mudança de emprego”  de Marcelo Miller aconteceu poucos dias antes do encontro entre Joesley Batista e Michel Temer. Como se sabe, a gravação desse encontro pelo empresário ,  serviu como base de negociação para um benevolente acordo de delação,( homologado por Fachin a pedido de Janot) a favor dos principais executivos da J&F.


Desconforto no MPF

Miller era o principal nome da força-tarefa da Lava Jato na interlocução com as autoridades americanas. O episódio causou desconforto entre ex-colegas do Ministério Público Federal.  Segundo membros da instituição, a rapidez verificada  no "processo de mudança"  de Marcelo Miller ajudou a fomentar especulações sobre os altíssimos valores que estariam envolvidos nessa “operação”, a favor do ex-procurador.


Pronunciamento de Temer

Em pronunciamento à nação,  Michel Temer  rebateu argumentos sobre a denúncia formalizada pelo titular da Procuradoria Geral da República  Ao se referir a Marcelo Miller o presidente afirmou que o ex-aliado de  Rodrigo Janot não cumpriu a "quarentena obrigatória" antes de sua mudança para o escritório de advocacia (não está previsto na Constituição obrigatoriedade de quarentena para procuradores, somente para juízes) e insinuou , sem maiores sutilezas,  que parte da “dinheirama” recebida por Miller, pela sua mudança de atividade profissional , pode ter sido compartilhada com o  Procurador  Geral.



Procedimento e Investigação

O MPF abriu procedimento para avaliar uma investigação sobre a atuação de Miller na defesa da J&F . O instrumento tem como objetivo reunir informações que posssam justificar a continuidade ou o arquivamento da investigação. Foram solicitadas informações sobre o ingresso de Marcelo Miller no escritório de advocacia, além de esclarecimentos a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) , seccional Rio de Janeiro, onde um procedimento interno apura o caso.

 

“Segredo de Justiça”

Miller prestou esclarecimentos a OAB, na última sexta-feira,  porém o Tribunal de Ética e Disciplina da entidade não considerou as explicações do ex-procurador satisfatórias, e optou pela abertura de inquérito que passará a tramitar em segredo de justiça.


*Com informações da EBC, Folha-SP e assessorias


Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]