Dólar com. R$ 3,19
IBovespa +0,14%
22 de outubro de 2017
min. 24º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Temer quer que deputados não compareçam à votação de denúncia
07/04/2017 às 13h29

Blogs

Delações Escabrosas

Para refletir:Reforma política feita por políticos corruptos que deveriam estar na cadeia, é uma piada ruim demais. (Anônimo)


Delações escabrosas

(BRASÍLIA) - Você compraria um carro usado de Marcelo Odebrecht? Eu não. Pois é esse fato que chama a atenção nos tempos de “delações premiadas”, que nada mais é que a revelação de antigos parceiros do crime entregando seus “amigos” e até criando fatos mirabolantes e pitorescos de suas vidas marginais com o objetivo de agradar a Justiça, o Ministério Público e os holofotes da mídia nacional sedenta de noticias, mesmo mentirosas, na disputa do mundo da informação.

O que se pensar dessas delações premiadas e “forçadas”? Em primeiro lugar essas deveriam ser voluntárias, mas não são. Um procurador da Operação Lava Jato afirmou que “as prisões efetuadas tinham o objetivo de chegar à delação”. É um escárnio com a democracia.

Um destacado jurista nacional resumiu o fato em poucas palavras: “Conheço as delações e sei que todas são mentirosas. As pessoas falam 30% do que sabem, entregam alguns e protegem outros. Não sou homem de meia verdade. Tenho certeza absoluta de que delatores estão guardando muito dinheiro. Essas pessoas contam pouco das histórias sujas que viveram e apenas aquilo que lhes interessa contar”.

Vejam um fato que me chamou a atenção: o Ministério Público pediu uma acareação entre dois delatores (o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Roberto Youssef), ou seja, achava que um estaria mentindo. O mentiroso deveria ser preso e sua delação deixar de ser usada. Veja como é grave, virou um circo. Você faz a acareação dos delatores, eles saem de lá com duas verdades diferentes e as duas servem para acusar. Isso é um escândalo. O STF (Supremo Tribunal Federal) teria de anular essas delações, mas não o faz.

Outro fato está na excessiva espetacularização de cada ato da Operação Lava Jato, quando procuradores, magistrados e também a Polícia Federal, algumas vezes com pessoas que mais tarde serão consideradas “inocentes” pelo próprio aparato que os denunciaram. São bandidos? Roubaram? Junta as provas, condena e pronto! Fica esse “prende e solta” que desmoraliza as instituições, já tão carentes de crédito na sociedade. Mas, é o que diz a lei.


Verdades ou mentiras

Tenho todo o respeito e até certa admiração pelo juiz Sérgio Moro, um sério e competente magistrado, mas é natural que a vaidade muitas vezes prejudique sua isenção. Atores da operação quando sai uma nova fase da Lava Jato dão entrevistas coletivas e já expõem pessoas investigadas antes mesmo de a denúncia ser recebida. A meu ver são prejulgamentos. Queremos enfrentar a corrupção, mas queremos um país obscurantista ou fortalecido e com direitos?

Minha isenção me permite dizer: o ex-presidente Lula ser levado coercitivamente para depor pela Policia Federal foi legal? Claro que não, mas o “circo” estava armado e o espetáculo tinha que acontecer. Têm provas suficientes para prender prende, mas não fica apenas nessa onda de exibição.

Focando o outro lado encontramos o escândalo que foi capa da revista Veja e repercutido em toda imprensa nacional.

Em pronunciamento em Plenário, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) negou a denúncia da revista de que ele teria recebido dinheiro em uma conta nos Estados Unidos, segundo delação de dirigente da Odebrecht.

— É mentirosa a reportagem da revista Veja que me acusou de ter recebido recursos ilícitos da Odebrecht em uma conta que seria operada por minha irmã em Nova York — afirmou Aécio Neves.

Ele disse ainda que seu advogado entrou em contato com o do executivo da empreiteira Benedicto Junior, que teria sido o autor da denúncia. Segundo Aécio, ele negou haver na delação premiada do seu cliente qualquer menção à Andrea Neves ou à conta bancária em Nova York. O senador disse bastaria a revista Veja checar se tal conta realmente existe para comprovar a inverdade da denúncia.


Vazamentos seletivos

Longe de mim qualquer defesa ou acusação com relação ao senador alagoano Renan Calheiros, mas acho que ele tem toda razão quando ataca esses vazamentos na Operação Lava Jato. Atingido da mesma forma que Aécio Neves e outros políticos ele disse da tribuna do Senado:

“Isso é um absurdo e essa Casa não pode aceitar. É mais um vazamento  contra a Constituição, expondo pessoas públicas. Como pode essas pessoas continuar a fazer isso sem que haja uma punição? Não podemos expor os senadores a esse tipo de maldade”.

Para Renan Calheiros, esse vazamento, “inusitado e seletivo”, pode ser configurado como abuso de autoridade. Ele disse que oJornal Nacional, da TV Globo, tentou criminalizá-lo ao noticiar fatos que estariam sob sigilo. E que setores estariam tentando atacá-lo devido à sua posição independente e a suas críticas ao projeto da terceirização aprovado pela Câmara e pendente de sanção do presidente da República, Michel Temer.


Milton Hênio

O consagrado e querido médico pediatra, Milton Hênio de Gouveia, foi hospitalizado esta semana após sentir , segundo ele, “um ritmo acelerado em seu coração” Passou por exames onde foi detectada uma pequena obstrução cardíaca. Foi submetido a um cateterismo e em breve voltará às suas atividades múltiplas, salvando vidas e cuidando da saúde de inúmeras crianças no seu sacerdócio que exerce há anos com dedicação e amor. Sua internação movimentou as redes sociais e a imprensa local pelo carinho e admiração que o querido médico goza entre milhares de alagoanos.


Começo ruim

A desembargadora Elizabeth Carvalho é uma apaixonada por Palmeira dos Índios e defensora intransigente sua da cultura, artes e retomada do desenvolvimento. Esta se sentindo incomodada, como muitos, com os rumos que parece estar tomando a nova administração municipal.

Transpareceu sua reação esta semana nas redes sociais ao lamentar o aparente método de administrar do prefeito Júlio Cezar e os caminhos tortuosos percorridos até aqui, nada republicanos.

Também a jornalista palmeirense, Grazi Duarte externou seu descontentamento com os rumos da administração palmeirense. Segundo ela a coisa não vai bem. Esposas de vereadores e famílias abastadas estão inseridas na folha de pagamento “mamando nas tetas da prefeitura”. Não é um bom começo.


Conta Gotas

PREFEITO Rui Palmeira está impaciente. Mandou todos os seus secretários largar as cadeiras do gabinete e “correr trecho”, ouvir o povo para conhecer as necessidades de Maceió.

MINISTRO do Turismo, Marx Beltrão, não gostou nada do corte no orçamento de sua pasta imposto pela área econômica do governo. A máquina de votos vai encolher.

PARDAIS já começam a surtir efeitos positivos. O índice de acidentes medidos na Avenida Fernandes Lima já teve diminuição.

DEPOIS da Operação Lava Jato e outras que virão  vai faltar candidato em Alagoas? Mistério.

CAIXA preta da Assembleia Legislativa, caixa preta do Tribunal de Contas. Vem mais caixa preta por ai.


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]