Dólar com. R$ 3,19
IBovespa +0,14%
22 de outubro de 2017
min. 24º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Temer quer que deputados não compareçam à votação de denúncia
18/08/2017 às 17h23

Blogs

Homenagem ao “doutor” marginal

Reprodução/Rede Nova

Para refletir: A economia de Alagoas ameaçada por “acordos” espúrios. Seremos um Rio de Janeiro amanhã?


Homenagem ao “doutor” marginal

Em plena campanha presidencial, mesmo condenado à prisão por corrupção, o farsante Lula vem percorrendo vários estados do Nordeste, em uma maratona que visa mobilizar seus seguidores e ganhar a mídia nacional com suas verborragias e ataques aos que o condenaram diante de tantas e insofismáveis provas de sua condição de chefe da maior quadrilha que assaltou os cofres públicos do país. O Partido dos Trabalhadores, responsável pela programação escolheu alguns locais, onde existe maior aceitação da candidatura putrefata, para que houvessem homenagens prestadas por Faculdades e Movimentos Sociais de esquerda e infelizmente, por sua condição de extrema pobreza e burrice eleitoral, Alagoas foi um dos eleitos. A pobre e descredenciada Universidade Estadual (UNEAL), comandada por elementos da “esquerdopatia” tresloucada, foi a instituição apontada para executar a ordem de laurear as falcatruas de Luiz Inácio. O “magnifico reitor” tupiniquim (pobres dos reitores de universidades de verdade) empolgou-se com a missão a cumprir e orientou a “comandita” para conceder o titulo de “doutor honoris causa” que será entregue em solenidade pública com ares de comício eleitoral.

É a velha e manjada história à qual nos submetemos por nossos equívocos políticos-eleitorais, com péssimas escolhas e pagando o preço de sermos exibidos na mídia suja nacional, expostos como um povo atrasado, sem educação e qualquer noção de honestidade. É assim que somos vistos pelo país que se indigna com o mar de corrupção que nos afoga.

Confesso que me abala o coração e treme a alma quando sou indagado por onde ando Brasil afora: - Você é da terra do Renan Calheiros? Tento mostrar que ele não é digno de Alagoas, que o nosso povo é bom e condena suas atitudes e maneiras de fazer política, mas ai vem o troco – “mas são vocês que o elege, sempre e repetidas vezes”. Engulo a vergonha e desconverso. Vou dizer o que diante dessa implacável constatação?

Infelizmente seguiremos em frente alvos de chacotas e vergonhas explícitas que nós mesmos construímos. Diante desse tenebroso quadro só poderemos mudar nossa imagem através do voto consciente de cada um alagoano, nos libertando de anos de atraso e escolhas políticas que nos condenam. No próximo ano teremos a oportunidade de fazer essa mudança de cenário, mas será que faremos? Cabe a cada um de nós o destino que seguiremos.


Gastando nosso dinheiro

BRASÍLIA – Esta semana a principal pauta aqui em Brasília é o escândalo envolvendo ministros do Tribunal de Contas da União e vergonhoso gasto do dinheiro público com viagens e mordomias inaceitáveis. O pior que tudo isso acontece no órgão superior que deveria cuidar da gastança do dinheiro do país pelos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Não cumpre o seu papel institucional e também não faz com que os demais cumpram. Volta, diante desse novo escândalo, a pauta de extinção dos Tribunais de Contas, por sua real desnecessidade de existir. A matéria, já apresentada e arquivada nas gavetas sujas do Congresso Nacional, tende a receber uma moção com milhares de assinaturas de brasileiros inconformados com a bandalheira nacional. Os ministros do TCU, que deveriam dar o exemplo e combater a imoralidade, já gastaram só este ano mais de 500 mil reais com passagens e diárias. Fiz contato com a assessoria de imprensa do TCU e obtive algumas informações.


As viagens imorais dos ministros

(BRASÍLIA) - Doze dias em Paris e Lisboa com tudo pago. Dez dias na Austrália, sem custo nenhum. Dois meses inteiros nos Estados Unidos pra fazer um curso pago com dinheiro público. Esses são só alguns exemplos de viagens recentes dos ministros do Tribunal de Contas da União (TCU). Em 2017, o campeão de viagens é o ministro Aroldo Cedraz. Em seis meses, foram 61 dias viajando, 56 deles no exterior. Onze dias nas Bahamas, 17 em Lisboa, 13 em Viena, 12 em Amsterdã e quatro em Bogotá. Foram mais de R$ 72 mil em diárias e passagens bancadas com dinheiro público. A justificativa é sempre a participação em seminários internacionais. O problema é que esses eventos costumam durar dois ou três dias. Cedraz ficou 12 dias na Holanda para um evento da ONU que durou apenas um dia. Em dois anos e meio, ele ficou 171 dias no exterior, passando por 17 países.

Para Roberto Romano, professor de Ética e Filosofia na Unicamp, o abuso torna-se ainda mais grave porque o TCU é um órgão fiscalizador:

"É muito típico de um Estado que não é republicano, não é democrático, e no qual não impera a responsabilização dos operadores. São privilégios para magistrados, deputados, senadores, governadores etc. E, nesse caso, particularmente, é escandaloso porque se trata de pessoas que controlam o gasto do dinheiro público em nome do parlamento. Essa prática de fazer turismo com dinheiro do povo tem que acabar rapidamente."


Dom Quixote da imoralidade

(BRASÍLIA) - Considerando deslocamentos nacionais e internacionais, o ministro Augusto Nardes, relator das pedaladas de Dilma Rousseff, foi o que mais viajou desde 2015. Ele esteve 264 dias fora de Brasília, o que dá quase nove meses. Muito mais que os colegas, já que, em média, cada ministro passa 41 dias do ano viajando. Nardes visitou 11 países nos últimos 30 meses.

De acordo com o próprio TCU, só neste ano Nardes passou 50 dias em trânsito, 29 deles no exterior, em países como Peru, Equador, Argentina e México. Os registros do tribunal indicam que o ministro também ficou 14 dias nos Estados Unidos para um congresso na Universidade da Pensilvânia que durou apenas dois dias.

"Sou o mais requisitado para fazer palestras. Estou me sacrificando porque acredito que é possível refundar o Brasil com nova estrutura na melhoria da governança. Sacrifício pessoal. Aliás, já foi apelidado de 'Dom Quixote da governança'. Os outros ministros me apelidaram."

O ministro Bruno Dantas faz viagens longas. Em julho deste ano, ficou 15 dias em Roma. No ano passado, passou dois meses inteiros nos Estados Unidos para fazer um curso que custou R$ 130 mil - pagos, claro, com dinheiro público. Em 2015, ele já tinha passado um mês completo em solo americano, a um custo de R$ 80 mil.

O ministro Vital do Rego está há menos de três anos no TCU e já visitou Rússia, Austrália, Egito, Polônia e Suíça. (Informações – assessoria TCU para a coluna e CBN).


Alagoas: futuro preocupante

Um importante evento está com agenda para o dia 31 de agosto, no auditório do Sindicato dos Urbanitários e certamente vai dar o que falar. Trata-se do Seminário Renúncia Fiscal em Alagoas e o Desmonte dos Serviços Públicos.   A abordagem central será da renúncia fiscal com o novo acordo com os usineiros, proposta da Lei de Teto do Gasto, que prevê elevação da alíquota previdenciária de 11% para 14%, a privatização da Casal e Eletrobrás, para que seja aprovada a rolagem da dívida para 20 anos.

O professor José Menezes, coordenador do Núcleo Alagoano da Auditoria Cidadã da Dívida e professor de Economia da UFAL ressalta que por trás da proposta de rolagem, o Estado ficará sem pagar a dívida pública por três anos, mas que todos os serviços serão cobrados após o término do período. “O seminário abordará quem irá se beneficiar com o endividamento do Estado”, questionou, acrescentando que a realização aglutinará os servidores públicos federais, estaduais e municipais. Varias entidades preocupadas com o futuro sombrio que ameaça a economia alagoana estão engajadas na realização do evento.

Seremos um Rio de Janeiro amanhã?


Conta Gotas

PARA ficar livre de Lula e não manchar sua imagem o prefeito de Penedo, Marcius Beltrão, encontrou uma providencial viagem ao exterior. Fez bem.

PALAVRAS de um sábio político local: “Rui Palmeira leva uma grande vantagem diante de outros. É honesto, tem história digna e tem pai”. Muita verdade.

Uma pergunta que viralizou esta semana: - O magistrado que considerou ilegal a greve dos servidores do TC há quantos anos não tem reposição salarial?


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]