Dólar com. R$ 3,308
IBovespa +0,25%
15 de dezembro de 2017
min. 22º máx. 31º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Semed oferta 600 vagas para Projovem Urbano 2018
01/09/2017 às 10h10

Blogs

Culpa da Imprensa

Para refletir:As polícias não podem resolver problemas sociais e de formação cultural”. (Ricardo Mota, sobre aumento da violência em Alagoas).


Culpa da imprensa

Faltou maturidade ao governador Renan Filho ao criticar a imprensa alagoana, pela pauta negativa que tem sido constante, atingindo sua administração. E olhe que a mídia local, por motivos óbvios, tem sido bastante generosa na exploração dos fatos. Um exemplo que salta aos olhos foi a recente matéria do “Diário do Poder”, que levanta suspeita de desvios de finalidade no gasto de 10 milhões de reais, somente em uma locadora de carros de um amigo da família Calheiros. O assunto quase não foi tratado nos maiores veículos. Na verdade o governador tem tido uma comunicação capenga, ouve pouco e principalmente quem deveria ouvir. É muito ruim o sussurro dos áulicos palacianos, que covardemente apenas aplaudem, para agradar o chefe. Seria muito mais apropriado e aceitável o governador convocar uma coletiva e olhando nos olhos explicar de saída três assuntos que dominam a opinião pública o colocando em desaprovação: 1) a questão do rombo milionário na Secretaria de Saúde, 2) a situação de “estado de coma” do Hospital Geral do Estado, 3) a notícia sobre o espantoso pagamento de 10 milhões de locação de veículos a uma locadora. Nada a temer se tem a convicção que não errou. Passaria a pauta a limpo, tiraria as dúvidas e restabelecia a credibilidade em sua gestão atualmente sob desconfiança. Resta uma pergunta: Tem condições de fazer? Faça-o.


Gilmar Mendes solta o verbo

(BRASÍLIA) - O ministro Gilmar Mendes, que se encontra em Bucareste, participando de um evento internacional de Direito, enquanto aqui em Brasília ele é o assunto mais pautado, por suas decisões e opiniões contraditórias, concedeu por telefone uma entrevista polêmica ao jornalista Josias de Sousa, da Folha de São Paulo e afirmou que o pedido de suspeição que tenta afastá-lo do caso sobre o empresário de ônibus Jacob Barata Filho se baseia “num falso escândalo.” Para ele, o real objetivo da iniciativa do procurador geral da República Rodrigo Janot é fazer um “patrulhamento por concessão de habeas corpus.” Disse que o Ministério Público quer “botar medo nas pessoas que concedem habeas corpus”.


Sobre Rodrigo Janot

”Qual é a especialidade do Janot? Você não sabe. É direito constitucional? Não. É direito penal? Não. O maior ponto do currículo dele é ter sido presidente da Associação dos Procuradores”.

Podiam ter entregado a Procuradoria-Geral ao Vicentinho - deputado federal do PT, ex-sindicalista da CUT. (Ministro Gilmar Medes)


Sobre o Ministério Públlico

Basta olhar. É que as pessoas estão com poucos olhos críticos. No primeiro embate com uma massa de dinheiro, dois procuradores ficaram no chão (Ângelo Villela e  Marcello Miller). Isso considerando apenas o que a gente sabe. Ainda podem aparecer mais coisas. E vão aparecer. (Ministro Gilmar Mendes)


Sobre a Lava Jato

O que está acontecendo hoje é uma prisão sistemática. Na verdade, está começando antes. Se você olhar os casos da Lava Jato, as prisões estão começando antes da condenação na primeira instância. Se você olhar o Zé Dirceu, desde a prisão preventiva, ficou na cadeia. Marcelo Odebrecht, Gim Argello, Antônio Palocci e coisas do tipo. Então, você já tem até sentença e o cara continua preso. No fundo, o que nós dissemos que era segundo grau  transformou-se numa decisão de primeiro grau. Ou até antes disso. Não foi isso que o Supremo decidiu. (Ministro Gilmar Mendes).


Quintella & Beltrão

Alagoas não conta apenas com dois ministérios no governo de Michel Temer, mas diferente do passado tem na representação o peso de dois deputados federais, Maurício Quintella e Marx Beltrão, com total prestigio junto ao presidente da República que por gratidão e simpatia quer ver ambos muito bem colocados nas eleições do próximo ano. A dupla tem jogado bem e com vitórias alcançadas em todas as partidas da política e dos resultados em benefício de Alagoas. Maceió tem recebido atenção especial em várias áreas de desenvolvimento o que acontece também em grande número de municípios do interior. No decorrer do tempo, até o final do atual mandato presidencial, deverão acontecer investimentos de peso não apenas nos setores abrangidos pelos fortes Ministérios do Turismo e dos Transportes, Portos e Aviação Civil, como em áreas vitais como educação, saúde e desenvolvimento, nas quais o presidente Michel Temer já assegurou a ambos a disponibilidade total em ajudar Alagoas. Com essa banca toda Mauricio Quintella e Marx Beltrão serão os grandes contrapontos das eleições de 2018. Podem anotar.


Rodrigo Maia: O poderoso

(BRASÍLIA) - Mesmo substituindo Michel Temer, que está em missão oficial na  China, no comando do país, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tomou a frente das negociações sobre a reforma política, no vácuo de lideranças que marca a semana um tanto quanto esvaziada. Como Temer levou na comitiva presidencial o primeiro vice da Casa, Fábio Ramalho (PMDB-MG), sobrou para o segundo vice, André Fufuca (PP-MA), a missão de concluir a votação da reforma política, que se arrasta há meses sem ter alcançado qualquer consenso. Aos 28 anos e em seu primeiro mandato, Fufuca é visto pelos próprios pares como alguém sem a devida experiência para conduzir uma votação desse porte, e ficar à frente da missão. Resultado: Maia ocupa os dois espaços ao mesmo tempo (comanda o país e a Câmara).

Acumulando atribuições durante a semana, Rodrigo Maia utiliza a residência oficial da Câmara para se reunir com líderes partidários e discutir a pauta – uma tarefa que, em tese, caberia a Fufuca como presidente interino. Fufuca também participa das reuniões, mas, com papel secundário no jogo político, resta-lhe executar tarefas administrativas, enquanto os parlamentares mais experientes conduzem os trabalhos legislativos.

E assim Rodrigo Maia (O Botafogo das delações na Lava Jato) de repente se tornou o homem com maior poder no Brasil. E poder dobrado, feito tapioca.


Um aeroporto pra chamar de meu

O prefeito Gilberto Gonsalves, fez um apelo inusitado apelando para os ministros do Transporte e do Turismo (Mauricio Quintella e Marx Beltrão), ao prefeito de Maceió, Rui Palmeira e até à imprensa, para que “ ao se reportarem ao Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, frisar que o mesmo está localizado no Município de Rio Largo”. Vai ficar difícil, senhor prefeito atender a sua, até justa, reivindicação. Ninguém diz que ‘desceu no aeroporto de Guarulhos, mas em São Paulo, como também não é usual dizer “pousei no aeroporto de Confins”, mas Belo Horizonte. É uma questão de hábito e jamais mudará. Já imaginou um turista, ou mesmo em uma viagem a negócio o passageiro dizer: “Vou para Rio Largo” (nome de cidade que nunca ouviu nem falar)? Se contente prefeito em receber os tributos que cabem ao seu munícipio, por direito, mas jamais ouvirá a voz sonora do comandante dizendo: “Senhores passageiros estamos em procedimento de descida no Aeroporto Internacional de Rio Largo”. E para todos será sempre o Aeroporto de Maceió.


Conta Gotas

RENAN CALHEIROS é o campeão em numero de processos de denúncias por corrupção no STF. Palmas para Alagoas.

ELEIÇÕES EM ALAGOAS – 1978/2016 – Livro de Marcelo Bastos que será lançado hoje, às 19 h, no auditório da Associação dos Magistrados. Recomendo a leitura.

ALAGOAS, até que enfim, na pauta positiva da imprensa nacional, com a realização da Feira Literária do Pontal da Barra. Parabéns ao curador Carlito Lima.


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]