Dólar com. R$ 3,19
IBovespa +0,14%
22 de outubro de 2017
min. 24º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Temer quer que deputados não compareçam à votação de denúncia
06/10/2017 às 10h16

Blogs

Um fundo pra chamar de seu

Agência Câmara


Para refletir “Renan Calheiros está destilando ódio e veneno pra todo lado. Cuidado para não engolir”.


Um fundo pra chamar de seu

(BRASÍLIA) - Com o nosso dinheiro, com os mesmos métodos e com os vícios de sempre os parlamentares aprovaram a nova maneira de financiar suas campanhas sujas, com  as mesmas práticas criminosas de compra de votos, aluguel de legendas criadas com esse fim e no mais fazer mais eleições  às custas do dinheiro público e  sobrando até um “troco” para bancar suas vidas de parasitas e políticos profissionais.

Nesta quarta feira o plenário da Câmara conseguiu aprovar, o texto-base com as regras para o fundo público de financiamento de campanhas a ser criado. Já por volta das 21h30, os deputados aprovaram a criação do fundo, por meio de um requerimento para que essa votação não fosse nominal, ou seja, não identificasse como cada deputado votou. Mas, depois de protestos que quase descambaram para a briga física em plenário ,a votação foi levada a revisão devido à revolta generalizada. Ao final, o voto nominalmente registrado foi a regra que prevaleceu. Superada a confusão, a Casa vai enviar à sanção do presidente Michel Temer um fundão público eleitoral de R$ 1,7 bilhão.O Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) será composto por 30% das chamadas emendas impositivas (repasse obrigatório de recursos orçamentários a parlamentares) reservadas às bancadas de deputados e senadores. Também abastecerá o fundo a compensação fiscal que o governo paga as emissoras de rádio e televisão pela exibição de propaganda partidária, que a matéria em questão  extingue.


Muito dinheiro e sola de sapato

Entre os críticos do fundo público está o deputado Chico Alencar (Psol-RJ), para quem o valor está muito elevado. Chico disse entender que a matéria não visa alterar o modelo de financiamento das campanhas, mas bancar com recursos públicos o mesmo sistema. “A gente quer denunciar aqui este ‘fundão’ por impróprio, criado por quem sempre viveu de dinheiro de empreiteira e de grandes financiadores. Defendemos o Fundo Partidário já existente, que pode ser ampliado em época de campanha, mas de maneira austera”, reclamou o parlamentar fluminense.

“Estamos acostumados a fazer campanha com muito dinheiro, mas dá para fazer campanha gastando sola de sapato, fazendo discurso e visitando as pessoas. Precisamos de novas formas que não um fundo que, eventualmente, vai tirar dinheiro necessário em outros lugares”, emendou o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), também contrário ao fundo.


Um plenário de merda

A tentativa de votação simbólica produziu em empurrões e gritaria em plenário. Júlio Delgado se exaltou e gritava com deputados do PMDB, defensores do fundo bilionário, principalmente com Hildo Rocha (PMDB-MA). Mas foi com Carlos Marun (PMDB-MS), líder da tropa de choque do presidente Michel Temer na Câmara, que a situação quase saiu de controle.

Marun tentou acalmar Delgado, que continuou a gritar e avançar de dedo em riste e punhos cerrados em direção aos adversários. Foi aí que os dois se desentenderam e trocaram gritos, empurrões e ofensas. “Seu merda! Seu merda!”, vociferou Marun, enquanto colegas tentavam afastá-lo do colega da oposição. Nada de anormal numa Câmara de merda.


Reitor ameaçado

Ao que parece o inferno astral do reitor na Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL) cresceu bastante depois do episódio degradante da entrega do título de “Doutor Honoris Causa” ao líder de quadrilha petista. Há quem diga que seria “a maldição lulista” que atinge quem dele se aproxima. Com uma gestão pífia à frente da entidade de ensino, tem recebido muitas críticas por parte de alunos e professores. Não bastassem suas mazelas e desacertos administrativos é alvo agora de veementes críticas por parte do vice-reitor, professor Clébio Araújo, que se somando às inúmeras críticas que crescem a cada dia , principalmente sobre sua postura política equivocada que impõe ao processo de administração da instituição.

Candidato a reeleição o atual reitor, Jairo Campos, dificilmente continuará no cargo, por conta da rejeição crescente entre alunos, professores e pessoal administrativo, todos insatisfeitos com sua maneira equivocada de administrar a UNEAL.

De um experiente professor e especialista no assunto: “ Vai perder o cargo por incompetência  e arrogância, assim como aconteceu com a reitora da UNCISAL, Universidade de Ciências de Saúde de Alagoas, que não fez sua sucessora. O atual reitor conta com o apoio do governador Renan Filho.


Novo procurador chefe no MP

(BRASÍLIA) - Sob o comando da nova chefe nacional do Ministério Público, Raquel Dodge, o procurador da República Marcial Duarte Coelho tomou posse como procurador-chefe do Ministério Público Federal em Alagoas em solenidade na Procuradoria Geral da República (PGR), em Brasília, juntamente com todos os demais procuradores-chefes das diversas unidades do MPF eleitos no último mês de setembro.

Na mesma ocasião tomaram posse os procuradores Regionais Eleitorais, entre eles a procuradora da República Raquel Teixeira, confirmada para a função de procuradora Regional Eleitoral em Alagoas pelos colegas também no último mês de setembro.

Marcial Coelho está assumindo o lugar deixado pela procuradora da República Roberta Lima Barbosa Bomfim, que agora assume a substituição da chefia, assim como o procurador Gino Sérvio Lôbo. O novo procurador-chefe já estava no exercício da função desde maio, quando Roberta Bomfim tirou licença maternidade.


Fazendo acontecer

Por enquanto o prefeito Rui Palmeira não quer falar em política quando se trata de eleições no próximo ano. Mas o fato não quer dizer que ele não está pensando no assunto, muito pelo contrário. Cuidando de administrar a cidade, assegurando recursos para a implantação de novas e importantes obras de mobilidade urbana, quer concluir este ano com um volume de realizações quer Maceió merece e ele pretende cumprir. Com uma equipe afinada com o seu pensamento e sua orientação vai ajustando os diversos setores públicos e investindo nos mais necessitados. Quer melhorar a avaliação da população nas justas reclamações do setor de saúde que não está bem e vai pessoalmente assumir algumas demandas crônicas que até agora nenhum secretário conseguiu resolver. Se precisar vai criar “forças tarefas” e “brigadas de ação” com objetivos concretos de sanar essas situações que se arrastam há anos, penalizando a população mais carente.

Não importa se será ou não candidato a governador (mas está muito perto de ser) , seu principal objetivo é honrar os milhares de votos que teve e o fizeram prefeito de Maceió. Se optar pela disputa do governo do estado, uma coisa é certa: Alagoas terá governador.


Conta Gotas

CONSELHEIRO Otávio Lessa vem realizando um marcante trabalho como diretor da Escola de Contas do TCE. Apostando no diálogo, na informação e na preparação dos gestores públicos.

MINISTRO Guilherme Palmeira se prepara para passar uma temporada em Alagoas. Quer conversar com amigos e correligionários e estar mais perto de Rui Palmeira em momentos de importantes decisões políticas.

POR falar em Rui Palmeira, ouvia de um interlocutor: “Rui e Guilherme se parecem até no caráter. Que bom para Alagoas”.

ELEIÇÕES em Alagoas pode, a qualquer momento, virar de pernas para o ar. 


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]