Dólar com. R$ 3,242
IBovespa +0,7%
23 de fevereiro de 2018
min. 23º máx. 31º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel Se intervenção no Rio não der certo, governo não deu certo, afirma Temer
12/02/2018 às 08h40

Geral

Fisioterapeuta dá dicas para evitar lesões durante carnaval

Para que a folia não gere prejuízos à saúde, alguns cuidados com os joelhos e tornozelos são imprescindíveis

No carnaval alguns cuidados precisam ser tomados para manter a saúde dos joelhos e tornozelos - Carla Cleto

O carnaval chegou e, para as pessoas que vão curtir os trios elétricos, brincar nos blocos, subir e descer ladeiras sob o Sol escaldante e temperaturas que fazem a folia ferver e, até mesmo, sambar nas passarelas, em meio a pedrarias, plumas e paetês, alguns cuidados precisam ser tomados para manter a saúde dos joelhos e tornozelos. Por isso, a fim de prevenir lesões que possam abreviar a festa, o fisioterapeuta do Hospital Geral do Estado (HGE) Thiago Alencar alerta sobre a importância de algumas medidas para evitar lesões durante o período momesco.

De acordo com ele, preparar a musculatura, principalmente a coluna, abdômen, quadril e joelho, é muito importante, já que os percursos geralmente são longos e, na maioria das vezes, bastante cansativos. “Passar grande parte do tempo em pé, ao som do frevo, maracatu, axé, samba, dentre outros ritmos, exige grande esforço do corpo. Então, para prevenir lesões, o ideal é usar calçados adequados, de preferência tênis, com amortecimento em gel, que protegem os pés e evitam torções nas irregularidades das ruas e calçadas”, orientou.

No caso das mulheres que gostam de cair na folia usando salto alto, o recomendado é ter bom senso na hora de escolher o mais adequado. Isso porque, ao permanecer longos períodos em pé, caminhando e dançando, a musculatura e articulações dos joelhos e quadril são bastante exigidas. “É importante que o uso de saltos altos e sandálias abertas sejam evitados para quem vai pular e dançar o dia inteiro, pois eles podem desestabilizar o corpo e provocar uma entorse e até fraturas nos pés e tornozelos”, ressaltou.

Outro alerta que o fisioterapeuta do HGE faz são para as pessoas que vão curtir o Carnaval na praia, visto que a areia fofa gera muita instabilidade, o que pode causar estiramento ou ruptura de um ou mais ligamentos agrupados na articulação do tornozelo. “O ideal é que, ao estar na areia fofa, o folião fique descalço, porque o risco de ter uma entorse ou lesão é muito grande. Se for um horário à noite, o recomendado é ficar sem calçado algum. No entanto, durante o dia e, sob o Sol quente, infelizmente é melhor procurar a areia dura, pois é perto da água”, orienta.

Já para os músicos, organizadores de festas, jornalistas, policiais, seguranças, animadores, vendedores, entre outros, o fisioterapeuta aconselha cuidado redobrado para que a carga intensa de trabalho, durante a festa do Rei Momo, não resulte em dores e, por conseguinte, lesões permanentes. “Para este público, o recomendado é o descanso após o término dos eventos, bastante ingestão de líquido e, se possível, a cada duas horas, realizar alongamentos da região lombar, pernas e posterior das coxas. Utilizar calçados adequados e evitar excessos de peso, também ajudam a prevenir lesões, haja vista que a incidência de pacientes que procuram o hospital pós-Carnaval é muito comum”, frisou.

Alongamentos

Outra dica que pode ajudar bastante, antes de o folião sair de casa, é investir em alongamentos para promover o aumento da flexibilidade muscular e prevenir dores ao longo da festa e, principalmente, após a folia. Segundo Thiago Alencar, o alongamento é uma atividade que proporciona agilidade, elasticidade e previne contra lesões. Além disso, ele consegue reduzir as tensões musculares, ativar a circulação e deixar os movimentos mais soltos e leves, sobretudo se coordenados com a respiração lenta e profunda para oxigenar melhor os tecidos.

“Tudo deve ser lento e suave, segurando em torno de 30 segundos até sentir a tensão. Ao chegar nesse ponto, relaxe e faça tudo novamente, em torno de duas a três vezes em cada perna. A flexibilidade ou estiramento dos músculos surge aos poucos e prepara o corpo do folião para cair na folia”, explicou o fisioterapeuta do HGE.

Ele orientou que, em casos de lesões graves, o folião deve evitar o uso de anti-inflamatórios, com o intuito de mascarar a região dolorida. A melhor opção é procurar um especialista para que seja feita uma avaliação clínica e, se necessário, um exame de imagem complementar para se certificar que não há danos estruturais ou ligamentares do joelho.

No caso de lesões simples, o ideal é usar o gelo, pois ele ajuda a aliviar a inflamação. “Coloque os cubos de gelo ou gelo picado em um saco plástico lacrado. Embrulhe a bolsa em uma toalha ou pano. Coloque sobre o joelho na área dolorida por 20 a 30 minutos, três vezes ao dia”, complementou, ao frisar que, com alguns cuidados simples, é possível passar tranquilamente pelos dias de festa, sem voltar para casa machucado.


Fonte: Agência Alagoas

Todos os direitos reservados
- 2009-2018 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]