Dólar com. R$ 3,318
IBovespa +0,64%
15 de dezembro de 2017
min. 22º máx. 31º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel Receita paga hoje o último lote do ano de restituição do Imposto de Renda
07/05/2017 às 11h53

Política

Lula "cutuca" a imprensa e defende sua regulamentação

Foto:Paulo Pinto/Agência PT

Na abertura do 6º Congresso Petista, em São Paulo, sexta-feira passada, 5, o ex-presidente Lula cutucou a imprensa e já anunciou que se for eleito em 2018 para o terceiro mandato na presidência do Brasil, vai regulamentar a mídia.

Esse é um discurso antigo do PT que acabou não prosperando nos 13 anos em que o partido esteve no poder, mas que agora virou uma das bandeiras da campanha antecipada de Lula para voltar ao Palácio do Planalto.

Lá em 2009, já opinava Lula sobre a imprensa brasileira: “ela se excede, despreza os fatos e embarca em campanhas, divulga inverdades ou mesmo dissemina calúnias e infâmias". Sete anos depois, o petista queixa-se de que todo dia jornalistas dizem que ele vai ser preso: “Faz dois anos que eu ouço isso. Se eles não me prenderem logo, quem sabe um dia eu mando prendê-los por mentir”.

Em entrevista à Folha de São Paulo, em 22 de outubro de 2009, Lula já sentenciava sobre o papel da imprensa no Brasil: o de informar, não o de fiscalizar, e ensinava a alguns meios de comunicação:

“Para ser fiscal, tem o Tribunal de Contas da União, a Corregedoria-Geral da República, tem um monte de coisas. A imprensa tem de ser o grande órgão informador da opinião pública. Essa informação pode ser de elogios ao governo, de denúncias sobre o governo, de outros assuntos. A única que peço a Deus é que a imprensa informe da maneira mais isenta possível, e as posições políticas sejam colocadas nos editoriais.”

*Com informações da Folha de São Paulo e O Globo


Fonte: Redação

Todos os direitos reservados
- 2009-2017 Press Comunicações S/S
Avenida Hamilton de Barros Soutinho, 1866 - Jatiúca - Maceió-AL
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]