Dólar com. 5,366
IBovespa -1,18
19 de outubro de 2020
min. 23º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Beneficiários do Bolsa Família recebem 2ª parcela de auxílio residual

Blogs

Medo: um gigante menor que Eu

19.10.2020 às 08:00

Quem nunca sentiu medo de alguma coisa?! Em qualquer momento da vida já sentimos medo de escuro, altura, insetos e até mesmo da tão temida morte. 

Nascemos como uma pedra bruta que a natureza coloca no meio com toda a sua beleza intacta e brilho ainda ofusco. Nossos pais são quem nos lapidam, pois são com eles que temos nossos primeiros contatos.

Eles nos ensinam a falar, andar e até mesmo a nos esquivarmos de algumas coisas através do medo como forma de nos proteger. 

Quando nascemos possuímos dois medos: o de cair e o de barulho, esses medos são os denominados inatos. No ventre de nossa mãe sentimos medo de rejeição  como também outras sensações resultantes de suas emoções diante de vivências. 

Para a Psicologia, o medo é entendido como sentimento de insegurança em relação a alguém, a situação ou objeto. 

O medo está relacionado ao instinto de sobrevivência, através do qual pensamos nos riscos e consequências antes de fazermos algo. Assim, são 

as experiências  de nossas vidas que instauram determinados medos. 

Há um diferença entre medo e fobia, visto que o medo é o que nos preserva de situações de perigo, preservando assim a espécie. A fobia causa transtornos graves, limitações na vida do individuo necessitando de uma atenção maior e até tratamento.

Enfrentar esse tão temido sentimento é a única forma de vencê-lo, é preciso que você analise em que momento o seu medo se instaurou e assim, resignifique essa experiência. 

Por maior que seja tal medo e que a ansiedade contribua para que ele se torne um gigante; o autocontrole auxilia você a lidar com determinadas emoções e sensações.  

Saber lidar com as emoções é uma das habilidades adquiridas por meio da inteligência emocional. 

Quantas vezes recuamos diante de situações novas por termos medo? Quantas vezes nos privamos de conhecer o novo por medo?

Não permita que um sentimento limite sua vida e adie seus sonhos, você é capaz de controlar sim suas emoções. Você é o protagonista da sua história e assim pode escrever capítulos diferentes a cada dia. Viva o hoje, sinta o momento! Sonhe, brinque, sorria, relaxe! 

Busque alimentar pensamentos bons, veja o colorido de cada manhã e sinta o aroma da vida! 

Você pode e deve ser feliz! Você é maior do que qualquer gigante que só existe dentro de você! Pense nisso! 

Dany Pimenta 

Psicóloga 

Digital influencer 

@danypimentaof 

Postado por Dany Pimenta

O que aprendi com essa pandemia? Uma breve reflexão

10.10.2020 às 13:30

De tantas coisas que aprendi durante toda minha vida de forma rotineira na escola e até mesmo na faculdade, afirmo que vivenciar uma pandemia e lidar com a incerteza do amanhã tem sido a experiência mais rica que já vivenciei. 

Aprendi a viver o hoje como se o amanhã não mais existisse, a me reinventar para preencher o tempo antes escasso e agora excedente. 

Aprendi que juntos somos mais fortes no combate à algo que foge do nosso controle e que pensar no outro e mais importante neste momento  do que pensar somente em mim.

São tantos aprendizados que surgem a cada dia que passa e que superamos o não estar contaminado nem contaminar alguém. 

Aprendi que posso viver sem tantas coisas antes consideradas essenciais mas que hoje se tornaram banais, porque sei que posso viver sem ela.

O indispensável se tornou dispensável, o essencial se tornou banal. A agenda antes lotada de compromissos segue com páginas em branco sem prazo determinado para as horas serem mais uma vez preenchidas

A família passou a acordar junta, a dividir os mesmos espaços da casa durante o dia, a ouvir um ao outro; o que antes não existia.

Aprendi que me encher de informações sobre índices e óbitos não me fazem bem e que uma boa leitura ou uma música de qualidade se tornaram as melhores opções para alimentar minha mente.

Que um abraço é a melhor maneira de acolher alguém.

São tantas lições que toda essa fase ruim está me dando que passaria o dia listando tamanho aprendizado.

Nessa fase nunca ouvi nem falei tanto "te amo" pra todas as pessoas que de perto ou de longe me ajudam a viver o hoje. E, como esse hoje tem sido longo não é verdade?

Como o presente tem se tornado verdadeiramente um presente de Deus.

Como tem sido difícil lidar com uma saudade que não tem prazo para acabar.

Como gostaríamos de estar com pessoas que são tão importantes pra nós e, não podemos.

Até lidar com a tristeza e com perdas se tornou um verdadeiro aprendizado.

Enfim, foram inúmeras as vezes em que dormi e pensei que acordaria e tudo não passaria de um pesadelo.

Lidar com o não poder e o principal aprendizado visto que nosso cérebro não aceita o não!

Daí tantas angústias, tanto sentimento de impotência, de incerteza, de raiva, de medo, de ansiedade.

Não deve ser fácil lidar com o luto sem poder vivenciar esse luto, porque é uma situação de sobrevivência.

Diante de tudo exposto o que espero que todos nós tenhamos aprendido é que não devemos jamais desistir de sonhar, de viver, de ser feliz. Porque a cada novo dia nasce uma nova esperança de dias melhores que com certeza irão acontecer.

Dany Pimenta 

Psicóloga 

Digital influencer 

@danypimentaof 

Postado por Dany Pimenta

A Síndrome do Sobrevivente em Pacientes do Covid-19

02.10.2020 às 19:32


Já inicio esta matéria questionando a você se já ouviu falar sobre a síndrome do sobrevivente. Não?! Pois então irás agora compreender o que estou falando. 

Esta síndrome se apresenta em pessoas que sobreviveram a tragédias, doenças graves e acidentes. 

Tal síndrome foi descrita pela primeira vez em meados dos anos 60 tendo como principal característica o sentimento de culpa pela morte de alguém quer seja familiar ou não. 

Além da culpa há a presença de sintomas fisiológicos, psicológicos e comportamentais. Dentre estes cito:

*alteração do sono

* pensamentos negativos 

* ansiedade

* alterações gastrointestinais 

* alterações do humor

* dor de cabeça 

* depressão 

* isolamento social 

* nervosismo

A intensidade do quadro é de acordo com o sobrevivente.

Daí você me pergunta e quem são esses indivíduos que tendem a desenvolver esse sintoma de stress pós trauma?

Lembra de quando éramos crianças e nossos avós diziam que sobreviveram a guerra mundial? Os sobreviventes dessa tragédia são exemplos de indivíduos potenciais para tal síndrome. Outro exemplo é quando algum amigo muito próximo é demitido e você se pergunta por que ele e não eu? Esse é um exemplo de pensamento de quem apresenta a síndrome. Trazendo para os dias atuais um exemplo forte e próximo são os sobreviventes da Covid-19 que perderam seus parentes e amigos devido à pandemia. 

Para esses pacientes faz-se indispensável que seja acompanhado por médico e psicólogo. O auxílio da família, faz-se fundamental neste momento, pois quem apresenta o quadro não tem noção do que está passando. 

Mais uma psicopatologia que essa pandemia traz ao cenário dos consultórios de psiquiatria e psicologia. 

Finalizando, agora que você já entendeu o que é a síndrome do sobrevivente, deixo meu auxílio por meio deste texto como forma de você auxiliar as pessoas que possam estar passando por esse sofrimento. 

Trabalhando os danos emocionais e os infortúnios destes pacientes através da vivência do luto, do encorajamento, acolhimento e  resignificando a culpa; o paciente tem o auxílio preciso em seu processo de recuperação, voltando assim a sua vida normal. 

Agora se você que está lendo este texto está passando por esse momento como sobrevivente, veja que o controle da vida das pessoas independe de você e que o destino delas não está relacionado com a sua vontade. Veja essa oportunidade de estar vivo como um presente que Deus te deu para inspirar pessoas a crerem que há cura sim. Vivencie sua vida a partir de agora de forma mais intensa, mais feliz. Não maximize situações que possam te desestimular. Alimente pensamentos positivos e comece a traçar metas e o mais importante sonhe, porque uma vida sem sonhos não é uma vida feliz. 


Dany Pimenta 

Psicóloga 

Digital influencer 

@danypimentaof 

Postado por Dany Pimenta

O Poder da Resiliência

22.09.2020 às 13:30

Para falar sobre Resiliência, preciso inicialmente abordar o significado desse termo.

Este termo surgiu da Física e é a propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a uma deformação elástica.

Para a psicologia a resiliência é a capacidade do indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas como choque, estresse, algum tipo de evento traumático, entre outros.

Agora que você já entendeu o significa e a representação desta palavra vamos começar a aprofundar sua importância em nossas vidas. 

Como seres humanos somos únicos e assim apresentamos uns maior capacidade de superação enquanto que outros não sabem lidar com perdas, frustrações etc. 

Pessoas resilientes tem maior controle sobre suas vidas, apresentando assim comportamento mais saudável e proativo. 

Quando falamos "fazer do limão uma limonada" estamos dando conotação a um exemplo de comportamento resiliente ou seja, quando mediante a uma situação difícil você consegue buscar soluções sem se deixar abalar psicologicamente. 

Pessoas residentes aceitam ser ajudadas, acreditam em si, veem o lado positivo de uma situação difícil e assim dão a volta por cima das circunstâncias. Traçam estratégias, pensam positivamente, acreditam sempre em seu potencial. 

Ser resiliente é importante em qualquer situação e você pode se tornar uma pessoa resiliente. 

Seguem algumas dicas para você se exercitar: 

1. Uma dica importante é manter seu corpo bem por meio de alimentação saudável e exercícios, assim você terá mais condições de reagir melhor emocionalmente.

2. Aceite ajuda quando não conseguir sozinho buscar soluções: reconhecer seus limites e saber que você tem pessoas com as quais pode contar em situações adversas ajudarão a você ser resiliente. 

3. Mantenha sua auto estima elevada: o amor próprio e o auto cuidado são essencias para auto estima. Quando se ama não se permite permanecer muito tempo em sofrimento.

4. Seja positivo: acredito que você já cansou de ouvir mente sã, corpo são. Quando pensamos positivamente, conseguimos visualizar estratégias para superar qualquer obstáculo. 

5. Por fim Confie em Você: quantas vezes achamos que está no fundo do poço é não ter condições de superação?! Para pessoas resilientes está no fundo é está a um passo do recomeço porque não se tem mais pra onde descer e a alternativa é subir quer seja estendendo a mão pra alguém que queria ajudar ou escalando sozinho. Veja que de lá do fundo quando você olha pra cima há uma luz e, consequentemente uma esperança. Acredite que você é capaz!

Não espere para amanhã para trabalhar suas habilidades e formas de lidar com suas emoções. Seja proativo e resiliente. Busque soluções e não foque apenas na dificuldade nem no problema. Você verá o quanto é capaz!

Dany Pimenta 

Psicóloga e digital influencer 

@danypimentaof 

Postado por Dany Pimenta


Dany Pimenta por Dany Pimenta

Modelo, psicóloga, escritora e influencer digital. Especialista em Psicologia Social e Comunitária, Psicoterapia Breve e Recursos Humanos. Colunista da Revista X Cat , Jornal O Campista (RJ) e Revista Statto (RS). Contribui com seus textos de auto ajuda para vários blogs e sites  @danypimentaof  


Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]