Dólar com. 5,366
IBovespa -1,18
30 de setembro de 2020
min. 23º máx. 28º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Caixa inicia pagamento do auxílio emergencial extensão
09/08/2020 às 14h30

Blogs

Entorse do Tornozelo

Hoje conversaremos a respeito de “Entorse do Tornozelo”. Primeiramente, esclarecer que podemos chamar de “uma entorse” ou “um entorse”. Em Portugal, entorse é um nome feminino que entrou na língua portuguesa pela palavra francesa entorse, que também é feminina. No entanto, no Brasil, alguns dicionários a coloca como gênero masculino. No dicionário online de Português ele se define como sendo da classe gramatical substantivo feminino. No meu dia a dia, prefiro chamar mesmo de “Uma Entorse”.

E o que é uma entorse?

De uma maneira geral entende-se como entorse uma lesão ligamentar de qualquer articulação, neste caso, estamos falando do tornozelo. É uma lesão frequente que afeta o sistema musculoesquelético, esta incidência aumenta nos praticantes de esporte, tais como, futebol, voleibol entre outros, principalmente quando não estão usando sapatos apropriados para a prática desportiva ou o terreno é irregular, assim como o uso de certos sapatos, como os  de salto alto na vida social.

Anatomicamente o tornozelo é formado pelo maléolo lateral (terço distal da fíbula), maléolo medial (terço distal da tíbia), terço distal da tíbia na superfície articular do tornozelo, também conhecido como pilão tibial, o tálus e o calcâneo. Além da parte óssea, existe também inúmeros ligamentos que conferem estabilidade a articulação do tornozelo. Aqui vamos colocar em dois grandes grupos: Complexo Ligamentar Lateral e o Complexo Ligamentar Medial mais conhecido como ligamento Deltóide. 

Dependendo do movimento e da posição do tornozelo/pé no momento da entorse, qualquer um ou mais de um ligamento pode ser afetado. Dentre os ligamentos mais lesionados, encontramos o ligamento fibulo-talar anterior (um dos ligamentos que compõem o complexo ligamentar lateral) devido à facilidade de o paciente realizar a entorse com o pé na posição equina e realizando a supinação do pé ou inversão do retro pé.

Com relação à sintomatologia, esta vai variar de acordo com a gravidade. De maneira geral uma Entorse Grau I significa estiramento leve dos ligamentos; Grau II, os ligamentos podem ser parcialmente rompidos e o estiramento ser mais grave, já no Grau III os ligamentos estão completamente rompidos de modo que o tornozelo comprometido pode ficar instável, tornando aquele membro inferior funcionalmente limitado prejudicando a deambulação. Por tanto os sinais e sintomas vão desde dor leve a severa, edema, limitação dos movimentos, dificuldade para deambular, hematomaaté limitação funcional.

O diagnóstico da entorse do Tornozelo é realizado através de dados clínicos como anamnese, exame físico (aqui vale salientar que deve ser realizado a palpação na topografia dos principais ligamentos do tornozelo, assim como realizar a palpação óssea com o intuito de afastar a presença de fratura associada, lembrando também que faz parte da propedêutica palpar a base do 5º metatarso do pé onde se encontra inserido o tendão fibular curto. Continuando o estudo da entorse do tornozelo pode ser realizado radiografias do tornozelo e pé do paciente para avaliar partes ósseas ( fratura, luxação, sinais de instabilidade articular) e a Ressonância Nuclear Magnética que serve para avaliar a gravidade da lesão ligamentar, assim como avaliar lesões tendinosas ou das cartilagens associadas.

O Tratamento irá depender da classificação da Entorse do Tornozelo que vai desde o tratamento conservador (Gelo, elevação do membro afetado, imobilização, medicamentos para alivio da dor, fisioterapia) até o tratamento cirúrgico nos casos mais graves, onde encontramos lesão completa dos ligamentos e grande instabilidade do tornozelo.

De maneira geral temos um método denominado PRICE ( P= proteção, R=repouso, I =ice – gelo, C= compressão e E=elevação). É importante também lembrar que após a melhora clínica e antes de retornar as suas atividades o paciente deverá realizar uma reabilitação onde inclui a propriocepção e fortalecimento muscular em especial os tendões fibulares(fibularcurto e longo), devido ao caso mais frequente da entorse que são o equino e a inversão.

Dicas:

  1. Fortaleça sua musculatura, aqueça e alongue antes e depois de uma atividade física. 

  2. Use sapatos/ténis adequado para cada tipo de atividade física que você irá praticar.

  3. Observe/estude o terreno com suas irregularidades onde irá praticar suas atividades físicas.

  4. Mesmo assim, se você uma Entorse de Tornozelo procure um especialista de sua confiança, tratando corretamente você evitará dor crônica no futuro e artrose precoce em seu tornozelo. 



Dr. Rogério por Dr. Rogério Barboza

Rogério Barboza da Silva é alagoano, médico ortopedista. É preceptor de  residência médica em ortopedia e traumatologia do Hospital Veredas. Coordena a Liga Acadêmica de Ortopedia e Traumatologia (LAORTT/UNIT) e o Núcleo de Assistência do Pé Torto(NAPTC). É Professor Especialista do  curso de medicina da UNIT/AL.

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]