Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
21 de agosto de 2019
min. 21º máx. 28º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel Campos Neto nomeia presidente da Unidade de Inteligência Financeira
26/02/2019 às 10h50

Blogs

Agora entendi...o problema da nossa educação é o Hino


Não li o decreto do Ministro da Educação portanto não posso opinar sobre seu conteúdo, mas...me preocupa o ar de deboche e palhaçada que se alastrou sobre respeito e patriotismo. Respeitar os símbolos nacionais, demonstrar algum vestígio de simpatia à Pátria é motivo para ser execrado nas redes.

 Sou de um tempo ( e todos os inacianos, independentes da ideologia que possam ter hoje, também são) em que se rezava uma Ave Maria antes do início das aulas, nos levantávamos, demonstrando respeito, de nossas carteiras quando uma "autoridade" entrava em sala de aula e aprendíamos e cantávamos o Hino Nacional , pelo menos nas datas comemorativas à Pátria. Nesse tempo isso era absolutamente normal e automaticamente absorvido por nossas mentes em fase de formação (assim como era automaticamente absorvido o azul masculino e o rosa feminino). 

O que mudou de lá pra cá? Devemos renegar nosso precioso processo de formação e não passá-los a filhos e netos? É errado ensinar o Hino Nacional nas escolas? É errado passar o sentido de patriotismo e amor ao país a crianças ainda em fase de formação? Não acreditamos mais nos valores que moldaram nosso caráter e consciência?. Hoje somos passíveis de deboches e outros tipos de "zuações" se incentivarmos nossos filhos ou netos a se interessarem por respeito a valores "pátrios"? 

Sei lá...já tô cansando de não entender mais nada.. sabe do que mais???? Vou vestir minha jaqueta cor de rosa ,pegar a bandeira vermelha(de vergonha) do meu País das Maravilhas e ir ao Cine Paraíso assistir nossos mais recentes exemplos de ídolos nacionais : o socialista Wagner Moura que adora torrar dinheiro falando mal do Brasil na Europa e o Seu Jorge que jura de pé junto que ele e Marighella são irmãos gêmeos...Algum fio (em curto) se soltou em algum lugar, não sei quando nem onde, mas tenho a sensação que toda essa desvairada realidade a qualquer momento pode explodir e virar pó .


Aí( se eu sobreviver) abro uma garrafa e entre um gole e outro morro de amor "ao som do mar e à luz do céu profundo".


Etcetera por Ricardo Leal

Publicitário, radialista, poeta e escritor. Carioca, radicado em Alagoas desde 2002, trabalhou em diversas campanhas eleitorais no estado. Foi diretor da Organização Arnon de Melo (OAM) e do Instituto Zumbi dos Palmares (IZP). É diretor executivo da Press Comunicações e titular da coluna Etcetera, veiculada no portal Painel Notícias e  na revista Painel Alagoas

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]