Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
17 de fevereiro de 2020
min. 25º máx. 31º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Receita paga hoje restituição do lote residual do IRPF de 2008 a 2019
17/12/2019 às 14h53

Blogs

Respeito Mútuo, Geral

Emerson Pereira / Cortesia

Sexo é vida, mas não pode, nem deve, ser o centro dela. Já se foi o tempo de pouco, ou nenhum conhecimento sobre o assunto, tanto que somente 2 gêneros eram identificados e classificados. Ou era Mulher ou Homem.

Com a multiplicidade de sentimentos, e em busca de autoconhecimento, autoaceitação e autorrespeito, se assumir e defender seu espaço é + que necessário, é fundamental pra que pessoas se entendam como gente, como ser humano, não sendo ninguém melhor ou pior que ninguém.

Será o máximo se o sexo e suas práticas não forem o foco principal das relações humanas. Será o máximo não precisar ir pr’as ruas defender posições e cobrar, principalmente por direitos iguais, já que os deveres são os mesmos, independentemente de orientação ou prática sexual.

Confesso que fico horrorizado pelo fato de pessoas se importarem tanto com a vida sexual de gente que nem conhece. Quer xingar alguém? As 1as palavras são “viado” e “puta”, como se ser homossexual ou prostituta fosse demérito, sinônimo pejorativo, negativo.

Pra mim, as piores agressões deveriam atacar a civilidade, a educação, a moral, a ética,  e não a sexualidade. Ser desonesto, preconceituoso, racista... isso sim, são comportamentos e atitudes deploráveis e condenáveis.

O que é que alguém tem que se importar com o fato de alguém sentir atração, se apaixonar e se relacionar com pessoas do mesmo sexo? O que é que alguém tem com quem vou pra cama???

“Vão cuidar de suas vidas, e de suas orientações e práticas sexuais”.

Mas, principalmente num momento de coletiva e extrema ignorância e preconceito, + que nunca é preciso se manifestar e se defender. O ideal seria irmos pr’as ruas celebrar a vida e a união, mas enquanto esta utopia não é realidade, vamos ter sim, que nos unir, posicionar, enfrentar e cobrar, principalmente respeito.

Assim, como acontece mundo afora, Paradas LGBTQI+ são necessárias, e aqui em Maceió, neste recente domingo, a “maior de todas as paradas que já aconteceram”, reunindo umas 23 mil pessoas, 2* a Polícia Militar e o próprio presidente do Grupo Gay de Alagoas, Nildo Correia.

Não houve registro de graves agressões, roubos ou sérias confusões. Umas 3 da tarde, concentração na ponta da Ponta Verde, seguindo até a área do terminal do Porto, que ‘separa’ a Pajuçara de Jaraguá. Ali havia palco pra shows de ‘drags’ e bandas musicais.

Imprevisto me impossibilitou de ir, inclusive pra registrar o que me chamasse atenção, mas contei com meu amigo, e jornalista, Emerson Pereira, que gentilmente fotografou e mandou estas imagens que publico aqui, com exclusividade.

Sigo na esperança de que não precisemos de Paradas pra cobrar. Desejo ir pr’as ruas festejar vida plena, com felicidade e respeito sem distinção, tudo amplo, geral, irrestrito. “Amai-vos uns aos outros”, já ensinou Jesus Cristo!!!


Fonte: Felipe Camelo

Galeria de Fotos


Felipe Camelo por Felipe Camelo

Felipe Camelo é jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]