Dólar com. 5,366
IBovespa -1,18
23 de outubro de 2020
min. 24º máx. 29º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Bolsonaro nomeia Kassio Nunes Marques como ministro do STF
22/09/2020 às 22h25

Blogs

“Quem avisa, Amigo é”

Divulgação

Eita que este assunto ainda rende mal-estar, e que constrange todo mundo, e poucos sabem realmente como abordar o tema e ajudar alguém.

1 das “saias justas”, que nos deixa sem saber o que fazer. Avisa ou não avisa quando notamos que 1 botão ou o zíper de alguém está aberto. Eu? Sou dos que avisa, diretamente, sem rodeios, afinal, quando acontece comigo, fico muito grato, e logo fecho, claro, os botões da calça, já que não gosto de zíper.

O outro, ainda + “delicado” é avisar se perceber mau hálito em algum conhecido. Sempre observei, mas confesso que este tema está + presente no meu dia-a-dia depois que me aproximei de Marcos Moura, há uns 10 anos. 1 das pessoas + gentis que conheço, é também 1 dos dentistas + apaixonados pela profissão e dedicados ao trabalho.

Dr. Marcos Moura - Felipe Camelo 

Logo após concluir Odontologia na Ufal, rumou para São Paulo, onde participou de vários cursos de especialização, inclusive sobre Halitose, e se engajou tanto no seguimento que foi presidente da Associação Brasileira de Halitose por 2 mandatos  consecutivos, entre 2009 e 2013. Percebeu lacuna nesta área e além da odontologia estética, focou nesta área. Sua agenda na capital paulista era disputadíssima.

Mas a Vida o trouxe de volta para Maceió, sendo o único odontólogo credenciado pela ABHA em Alagoas. Só ele. Sua agenda na Clínica Adryana Moura, também é cheia. Muitos pacientes vem do interior alagoano para se consultar com ele.

 A Associação promoveu pesquisa entre os pacientes dos consultórios associados perguntando se eles gostariam de ser informados caso apresentassem halitose. E incrível, 99% das respostas confirmaram que sim, gostariam de ficar sabendo. Todos confirmaram que ficaram constrangidos e chateados, mas logo entenderam a importância de ficar sabendo e resolver o problema.

E gratidão foi a reação. Entenderam como prova de amizade e carinho de quem alertou sobre o mau hálito, que não é doença. Naturalmente, temos placa bacteriana na boca, sendo 1 das maiores causas de maus odores, que infelizmente, as vítimas não identificam facilmente, que pode ser combatido com a higienização correta da boca, inclusive da língua (que tem escova e creme específicos para ela). Após o fio dental e a consciente e atenta escovação dos dentes, quem merece atenção e limpeza é a língua.  Sim! Ela!!! 

Nesta enquete com pacientes, surgiu o tema da campanha em 2020, “Quem Avisa, Amigo é”. Avisar que aquela pessoa querida está exalando estranho odor na boca é prova de amizade e amor. É como sempre digo, não é somente o que você diz. É como diz. Com carinho e suavidade, deve-se, sim, dar este toque.

E o genial, no site da associação, pode-se mandar e-mail, anonimamente, avisando com as palavras certas que aquele destinatário está precisando dar atenção ao seu hálito. É o projeto “S.O.S. Mau Hálito”, ideal para os que não tem tanta intimidade mas que percebeu e achou bom avisar, confirmando amizade e bem querer. No site, digita-se o endereço eletrônico da pessoa, que recebe sem saber quem mandou, o remetente é a ABHA. Com dicas, inclusive. Muito bacana.

Como consegui “relise” da entidade, com todas as informações sobre a campanha, publico aqui também, na íntegra, já que, com certeza, eu não conseguiria explicar tudo, e tão bem. Ah! Não creia em enxágues e pastilhas milagrosas. Não mesmo, o correto é procurar profissional associado e seguir todas as orientações. Então pense nisso, identificando mau hálito em alguém, avise, ou mande e-mail através do “S.O.S. Mau Hálito”. Eu confesso que prefiro o olho no olho, mão no ombro e conversa.

Hoje tive dia bem atribulado e infelizmente não consegui editar esta postagem + cedo, afinal, é o Dia Nacional de Combate ao Mau Hálito e merece atenção. E não esqueça, “Quem Avisa, Amigo É”!!!

‘Mau hálito: quem avisa amigo é’ é tema de campanha nacional

Ações com informações e o orientações sobre saúde bucal e tratamentos serão realizadas nas redes sociais

“Quem avisa amigo é”. Não há dúvidas de que todo brasileiro já ouviu essa famosa frase, que até música já virou, além de samba-enredo no Carnaval de 1988. Já neste ano, a verdade contida no ditado é tema da Campanha Nacional de Combate ao Mau Hálito, promovida pela Associação Brasileira de Halitose (ABHA), a partir do dia 22 de setembro, data que marca o Dia Nacional de Combate ao Mau Hálito.

"Diante da situação mundial atual, a campanha precisou ser adaptada pela impossibilidade de se reunir pessoas em palestras ou ações, como fazemos todos os anos. Sendo assim, toda a nossa campanha acontecerá nas redes sociais da ABHA. No entanto, o objetivo é o mesmo: informar sobre a saúde do hálito e nortear pessoas que passam pelo problema e buscam a solução", explica Karyne Magalhães, vice-presidente da ABHA. Prevendo orientações sobre higienização, adequação dos hábitos diários para manutenção da saúde bucal e informações sobre tratamento direcionado, que possam tranquilizar o paciente, as ações seguem até o dia 25 de outubro, data em que se celebra o Dia Nacional do Cirurgião-dentista.

A halitose ou mau hálito é uma condição anormal do hálito (odor expirado pelos pulmões, boca e narinas), que se altera de forma desagradável. No Brasil, pesquisas revelam que aproximadamente 30% da população sofrem com o problema, cerca de 50 milhões de pessoas. A halitose não é uma doença, mas pode denunciar a ocorrência de alguma patologia, problema de saúde ou alteração fisiológica. Ou seja, é um sinal de que algo no organismo está em desequilíbrio, devendo ser identificado através de um correto diagnóstico e tratado adequadamente quando o problema torna-se crônico.

"Todos nós, um dia ou outro, podemos apresentar um hálito desagradável. E sabe de uma coisa? Podemos não sentir o odor vindo da própria boca. O mau hálito ou halitose tem inúmeros efeitos negativos na vida das pessoas. A insegurança e o isolamento social, resultando em transtornos psicológicos, são alguns deles.

Muitas vezes, afasta o indivíduo do convívio social, afetivo e profissional. Na maioria dos casos, a pessoa desenvolve ansiedade, depressão, baixa autoestima, hábitos deletérios, como escovação excessiva dos dentes, limpeza exagerada da língua e se torna dependente das gomas de mascar e balas para mascarar o problema, além de casos de alcoolismo”, explica Karyne.

Ainda conforme a cirurgiã-dentista, sabe-se que quem sofre com halitose não é capaz de avaliar o próprio hálito. “É por isso que o tema deste ano é 'mau hálito: quem avisa amigo é'. Como bem sabemos, avisar um ente querido pode parecer uma tarefa difícil, mas saber como avisar faz toda diferença. Afinal, quando a gente gosta, a gente cuida. Assim, ser sutil, honesto e se dispor ajudar podem ser o melhor caminho para avisar um parente ou amigo que sofre com a halitose e aparenta não perceber. Se você teve o cuidado e a gentileza em fazer o alerta, isso demonstra que você se preocupa e quer o bem da pessoa. Caso contrário, essa pessoa pode passar por situações constrangedoras e excludentes.”

A vice-presidente da ABHA alerta que é comum as pessoas associarem o mau hálito a falta de higiene e aos problemas gástricos. “Piadas e chacotas correm soltas por aí, mas o que poucas pessoas sabem é que, muitas vezes, as alterações salivares, a desidratação das mucosas da boca, a retenção de bactérias no fundo da língua e as doenças gengivais sub-diagnosticadas são causas que levam a halitose. E muitas vezes, uma boa consulta diagnóstica e o tratamento adequado, em poucas sessões, podem ser capazes de controlar a alteração sentida ou não pela pessoa", finaliza.

SOS Mau Hálito

Comunicar o problema para quem tem mau hálito pode ter uma solução simples, gratuita e anônima. É o “SOS Mau hálito”, uma “área destinada a pessoas que têm um amigo (a) portador (a) desse problema e ficam constrangidas de informá-lo (a)”, diz o texto da entidade. Em um link disponível no site da associação (www.abha.org.br), você pode enviar um e-mail, de forma anônima e gratuita, para qualquer pessoa que tenha mau hálito.

O texto da instituição também traz esclarecimentos sobre halitose e, principalmente, sobre como resolver o problema. A associação reforça, ainda, que o serviço não deve ser usado como brincadeiras, mas sim para que quem realmente sofra do problema possa buscar uma solução.

Associação Brasileira de Halitose

Rua da Paz, 195, Sala 524 – MAB Centro Médico – Curitiba – PR CEP 80060-160

www.abha.org.br [email protected]

Conheça a ABHA

A Associação Brasileira de Halitose, designada pela sigla ABHA (www.abha.org.br), é uma Associação Civil, de direito privado, de caráter cultural e científico, sem fins lucrativos, religiosos ou políticos, constituída por um número ilimitado de associados. Atualmente é a principal referência quando se fala em halitose no Brasil, graças ao desempenho de seus diretores e membros, que trazem em cada ato a seriedade e, acima de tudo, o compromisso com a categoria odontológica e a população. Um dos objetivos é alertar a população contra o uso indevido de produtos que não possuem registro junto à ANVISA. Além de incentivar o desenvolvimento e aprimoramento de estudos e pesquisas na área de Halitose, contribuindo para o crescimento técnico e científico dos profissionais de diferentes áreas da saúde.


Fonte: Felipe Camelo


Felipe Camelo por Felipe Camelo

 Jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]