Dólar com. 5.2607
IBovespa 0.03
18 de maio de 2021
min. 23º máx. 30º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Com novas doses, Alagoas inicia imunização por idade simples a partir de 59 e 58 anos
20/04/2021 às 17h21

Blogs

Brasileiríssimos

Verdadeiros e Nativos

Cacique Raoni Metuktire em foto do Instituto Raoni - reprodução

Complicado o dia ontem, e não consegui concluir matéria marcando o Dia do Índio no Brasil, terra já habitada por eles quando por aqui chegaram os portugueses em 1.500. 

Consequentemente, essa não seria a postagem deste 20 de abril, que virá na sequência, afinal, preciso e quero reforçar minha admiração e respeito por estes que são, realmente, brasileiros nativos, originários da terra batizada de Brasil pelos invasores. 

Mas enfim, vi no Wikipédia que "Todo dia 19 de abril comemora-se no Brasil e em vários países do continente americano o Dia do Índio ou o Dia dos Povos Indígenas", proposta das lideranças que participavam do Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México.  Em 1940, presidente Getúlio Vargas oficializou a data aqui também. 

Verdadeiros guardiões das florestas, os índios são os responsáveis pelo que ainda existe de mata preservada, tendo que enfrentar a ganância e o poder dos empresários do milionário agronegócio. Incrível é que, com tantos estudos e pesquisas que atestam e confirmam que "árvore em pé vale muito + que deitada", morta, ainda tem quem siga destruindo, matando, invadindo reservas e querendo expulsar os índios de suas terras. 

2º dados da Funai, "a população indígena em 1500 era de aproximadamente 3.000.000 habitantes divididos entre 1.000 povos diferentes, sendo que aproximadamente 2.000.000 estavam estabelecidos no litoral do país e 1.000.000 no interior". 

Pinturas e desenhos confirmam que, assim que desembarcaram, padres e bispos já iniciaram interferência religiosa cultural,  comprometendo e desrespeitando a identidade indígena. E desde então, a luta pela sobrevivência é constante, sem trégua. Claro que resistir é o foco desse povo que se adaptou, descobriu a tecnologia e a consciência de sua importância na sociedade. Não foi fácil e ainda não é, mas temos médicos, advogados, professores, escritores, artistas, cineastas, estilistas... de origem indígena, que não se negam, pelo contrário. 

Desde o colégio, sempre fui fascinado pelo tema, e indignação, minha constante como reação aos atos de violência, não só vitimando os povos indígenas, mas também seu habitat natural, o Meio Ambiente. Eles, que lutam pela preservação da fauna e da flora, mesmo que custe suas preciosas vidas. 

Muitas lideranças dos povos indígenas já foram mortos em defesa das futuras gerações, já que a floresta é riquíssima em plantas com poderes medicinais, que, com certeza salvarão a humanidade de muitas doenças, causadas, inclusive, pelo desmedido desmatamento. 

Assim, pela história, pela garra, pela sabedoria e cultura, rendo meu respeito e homenagem na figura do Cacique Raoni Metuktire, Kapot do Mato Grosso, da etnia caiapó, e  que, aos 89 anos, é conhecido e respeitado pelos mais poderosos e influentes personalidades e chefes de Estado do mundo, sendo reconhecido por sua batalha pela preservação da Amazônia e dos povos indígenas. 

Sigo desejando que todos os dias do ano sejam dedicados também aos mais brasileiros de todos os que já nasceram aqui nesse país. 


Felipe Camelo por Felipe Camelo

 Jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]