Dólar com. 5.2607
IBovespa 0.03
18 de maio de 2021
min. 23º máx. 30º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Com novas doses, Alagoas inicia imunização por idade simples a partir de 59 e 58 anos
28/04/2021 às 19h37

Blogs

Sigamos Sapiens

Viva o Dia Mundial da Educação

Sem Educação, não há Evolução (reprodução)

Comprovadamente, somos a única espécie animal inteligente, racional e pensante, entre todos os que habitam este planeta. E claro que pesquisei antes de iniciar esse texto, com o qual celebro o Dia Mundial da Educação neste 28 de abril.

"Humano, termo que deriva do latim "homem sábio", ser humano, ser pessoa, gente ou homem, é a única espécie animal de primata bípede do gênero Homo ainda viva. A espécie surgiu há cerca de 350 mil anos na região leste da África e adquiriu o comportamento moderno há cerca de 50 mil anos", 2º Wikipédia

Obviamente, mesmo inteligente e pensante, não haveria evolução sem conhecimentos, e enquanto se firmava como homem/mulher  (independente de gênero) foi adquirindo informações com experiências e descobertas, e cada vez mais, honrando a nomenclatura "Homo sapiens, termo que deriva do latim  "homem sábio" ,ser humano, ser pessoa, gente". 

A ciência comprova que somos como somos hoje, por sermos pensantes, dotados de razão para agir e viver. A educação é o "processo de facilitar o aprendizado ou a aquisição de conhecimentos, habilidades, valores, crenças e hábitos. Os métodos educacionais incluem ensino, treinamento, narração de histórias, discussão e pesquisa direcionada", ainda com Wikipédia

Sem educação, ainda estaríamos desenhando em pedras, nem no latim teríamos chegado. 

Com essa evolução de saberes, os professores tem papel fundamental nesse crescimento intelectual, criativo e produtivo. Por mais inteligência que alguém tenha, sem a orientação e os ensinamentos dos professores, é impossível se desenvolver. Tanto creio nisso que já publiquei, várias vezes, que os professores deveriam seR a classe mais bem avaliada entre todas, com os melhores salários, inclusive. Mais que  presidente da República, ministros, juízes, médicos, engenheiros, jornalistas, desembargadores, políticos em geral... Afinal, sem os professores não haveria qualificação para que nenhuma dessas atividades profissionais existissem. 

E o que vemos? Baixíssimos salários, e consequentemente, a necessidade de ter que trabalhar em vários lugares para poder viver com o mínimo de dignidade. Além da absurda jornada de muitas horas em salas de aula, ainda tem que, continuamente, elaborar planos de aula, corrigir provas e trabalhos, continuar estudando e buscando novos conhecimentos, e ultimamente, já que os pais deixam todo o processo educacional dos filhos nas mãos deles, muitas vezes tem que ser, também, psicólogos e terapeutas. 

Como se não bastasse, com a naturalização e banalização da violência, não são poucos os casos de alunos que agridem seus professores, fisicamente e/ou psicologicamente. Estatísticas comprovam que não é raro profissionais de ensino se aposentarem "por justa causa", ainda bem jovens e produtivos, vítimas de desrespeitos e agressões. Botem no Google para ver. É triste, deprimente. 

Quando eu era estudante, meus professores me ensinavam,  mas quem me deu exemplos, quem me educou? Meus pais, avós, tios... 

Hoje em dia, na educação básica, quem tem que ensinar são os professores, que ganham miseráveis salários,  com os quais tem que investir em  atualizações já que a vida está sempre em movimentos e mudanças. 

Aqui em Guaxuma, ouvindo grilos, cigarras e sapos no jardim, lembrando dos professores que passaram e ficaram na minha vida. 

Comecei com "tia" Lourdinha Vieira, minha alfabetizadora. Sem observar a cronologia, tive Heloísa, Norma, Osmandina, Rogério, Henry, Roberto, Maria José/Lílian Rose, Cristina, Salomão, Almir, Sávio, Gusmão... na minha vida estudantil e acadêmica, impossível nominar todos os que compartilharam comigo seus conhecimentos, inclusive. Além de amigos que também dedicaram e dedicam suas vidas ao ensino, como Beto Nobre, que, mesmo aposentado, segue dividindo e multiplicando saberes, garantindo os melhores fazeres. 

Como creio que na educação incluímos cultura e valores como ética, humanidade, solidariedade, sigo pleno de gratidão aos mestres que fizeram de mim o que, e como sou hoje. 

E por falar em hoje, impossível não citar o péssimo momento que vivemos no Brasil, não só pela pandemia do Coronavírus, mas principalmente, pela absurda ideologia que sabe muito bem a força que tem a educação na vida da sociedade (que, com conhecimentos, vai pensar, questionar e mudar o que nos é imposto) e diminui radicalmente os investimentos na área, tentando nos garantir na ignorância, subservientes, subalternos. Atualmente, de todos os ministérios, o que mais sofre cortes  de verbas tem sido o da Educação. Vivemos uma triste realidade de guerra de classes sociais, com os mais ricos, incomodados e contrários ao acesso de trabalhadores e seus filhos, aos bancos das universidades. Triste prova de ignorância, já que, numa sociedade educada e esclarecida, todos ganhamos. Com qualificação, melhores oportunidades de trabalho, e consequentemente, condizentes salários, e com eles, consumo, movimentando a economia do país. Todos ganhamos com educação para todos, igualitariamente. Se um filho de uma empregada doméstica se forma em medicina, ele pode salvar a vida da patroa da mãe, por exemplo, não pode? 

Assim, com meus pensamentos e posicionamentos aqui assumidos e expostos, sigo na torcida para que volte logo o tempo em que o  governo brasileiro  invista na qualificação da população, para que todos cresçamos e  evoluamos. 

Para o "bem geral da nação",  amplo e igualitário, Educação, Cultura, Paz e Amor, inclusive aos próximos!!!


Felipe Camelo por Felipe Camelo

 Jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]