Dólar com. 5.1714
IBovespa -2.26
30 de julho de 2021
min. 19º máx. 30º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Maceió: Prefeito anuncia vacinação contra Covid-19 para pessoas de 29 anos
16/06/2021 às 15h52

Blogs

D de Dança, Despejo, Destruição, Dor

Ballet Eliana Cavalcanti - 40 anos

reprodução

Comprovadamente, nenhuma sociedade evolui sem educação e cultura. 

Entre as atividades artísticas mais praticadas, a dança, e entre suas diversas linguagens, o ballet sempre atraiu crianças e adolescentes, afinal, muito além de aprender a dançar, socialização, disciplina, postura, equilíbrio, fortalecimento e expressão corporal, postura, entre vários outros benefícios das aulas de ballet, inclusive para quem não pretende se profissionalizar. 

Desde cedo, escolas de ballet fizeram parte da minha vida. Não, eu nunca fui aluno de dança, mas familiares, amigas e conhecidas estudavam nas escolas que sempre movimentam Maceió, inclusive com os espetáculos que produziam atraindo grandes públicos. E claro que eu ia aplaudir. 

Entre as escolas de ballet, Eliana Cavalcanti sempre foi sinônimo de excelência, conseguindo que diversos de seus alunos seguissem carreira como bailarinos. 

Sua trajetória e evolução confirmam sucesso com a incrível marca de 48 ininterruptos anos, formando seres humanos para a vida, desde que inaugurou sua sede própria na bairro Pinheiros, há praticamente 4 décadas. Em suas barras, inúmeros profissionais da dança foram formados por Eliana, e estão espalhados, dançando pelo mundo. 

"Alguns seguiram carreira como bailarinos e outros abriram suas próprias escolas. Aqueles que não se tornaram bailarinos, sempre se mostraram gratos pelo período que frequentaram a escola. Tem saudades das aulas, dos ensaios, dos espetáculos e daquele espaço que só lhes deu alegrias. Garantem que o ballet foi importante nas suas formações como pessoa e profissionais, ainda que em outras áreas de atuação", me disse Eliana.

E tudo ia bem até que a mineração em Maceió causou afundamento do solo, provocando inúmeras e perigosas rachaduras em casas, edifícios,  inicialmente no Pinheiro, e a Escola de Ballet Eliana Cavalcanti foi também, e infelizmente, "condenada", interditada. O problema foi se agravando, atingindo outros vários bairros, vitimando milhares de maceioenses. 

Abaladíssima, Eliana segue desabafando comigo: "Na verdade, isto parece um grande e desgastante pesadelo, que espero, chegue logo ao fim. Toda essa destruição causada pela Mineradora Braskem me afetou financeiramente e emocionalmente. Eu me senti expulsa do meu porto seguro. Ali eu tinha uma escola construída  especialmente para tal e um apartamento confortável, no qual morei por muitos anos e, ultimamente, morava a minha filha. Com a conclusão dos estudos realizados pela CPRM,  acerca da dura realidade que nos atingia, atônita, procurei desesperadamente um local para dar continuidade à nossa escola. Em 2019, alugamos duas salas dentro do Colégio Monteiro, e em 2020, achei um lugar mais amplo, na Gruta de Lourdes. Fiz uma grande reforma, sem qualquer ajuda da Braskem, e sem receber verba para os aluguéis, pois ela só dá auxilio-aluguel para moradores. Inauguramos o novo espaço em fevereiro e, em março, fechou tudo por causa da pandemia. Hoje, fragilizada, com vários sinais de estresse, sinto- me nocauteada e com as forças exauridas. Tive uma reunião com a Braskem há poucos dias. Como eles não levam em consideração o tempo da empresa no bairro e outras coisas mais, já recebi uma oferta que ficou muito aquém das minhas expectativas". 

E Eliana segue confessando a tristeza que é compartilhada por centenas de amigos, principalmente alunos e ex-alunos, que estão se mobilizando para abraço simbólico, às 16h do próximo sábado, dia 19, em frente ao nº 440 da 

Rua Ranildo Cavalcante, na Gruta de Lourdes (a mesma rua da Academia Cena e da Clínica NOT, e vizinha à Cross Fit Corais). Prédio esse que, "Desde fevereiro de 2019 que estamos pagando aluguel, quando tínhamos nosso imóvel próprio, construído especialmente para dança. Em junho do 2020, assinamos o termo de posse para a Braskem, pois assim exigia o acordo entre o Ministério Público e a Braskem. Já se vão dez meses desse acordo e dois anos de sofrimento. Essa demora é cruel; é desumana!".

Assim, confirmo solidariedade e reforço apoio, afinal, essa causa é além de justa. Então, quem se solidariza com o problema será muito bem vindo, já que todos os cuidados com a pandemia serão respeitados e praticados.

Ah! Capturei fotografias e cartazes de vários espetáculos, de diversas épocas, no perfil do Ballet Eliana Cavalcanti no Facebook, ilustrando esta publicação.   

Galeria de Fotos


Felipe Camelo por Felipe Camelo

 Jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]