Dólar com. 5.6264
IBovespa -0.49
28 de outubro de 2021
min. 23º máx. 30º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em agosto
27/09/2021 às 11h37

Blogs

Renda-se ao Som

Quando a Música faz Moda

Reproduções

Adoro pesquisar, descobrir e aprender o que não sei. Procuro, pergunto, não tenho vergonha. 

“ A música surgiu quando o homem descobriu que, batendo um objeto no outro, ele produzia sons e que isso não era simplesmente, um tanto de barulhos. A música teve várias funções no decorrer da história, como para louvar os deuses, exaltar autoridades, lutar, etc”; “A música é um dos principais elementos da nossa cultura. Há indícios de que desde a pré-história já se produzia música, provavelmente como conseqüência da observação dos sons da natureza. É de cerca do ano de 60.000 a.C. o vestígio de uma flauta de osso e de 3.000 a.C. a presença de liras e harpas na Mesopotâmia”. 

Não consigo imaginar o mundo sem música. Meus pais sempre foram muito musicais, mas não para produzir alguma, mas adoravam dançar, o que faziam muito bem. Tenho fotos e histórias de quem testemunhou os 2 rodopiando pelas festas. Como também dançavam muito em casa, cresci ouvindo as melhores, com certeza. E em todos os estilos. Eles diziam e eu concordo, independente do ritmo, se for boa, tiver sonoridade, beleza, tá valendo. Tango, MPB, Samba, Foxtrote, frevo, forró… se não tivesse alguém estudando, era música direto. Claro que num civilizado volume, para não incomodar ninguém, diferentemente de hoje, quando não se respeita o limite de volume, bom senso, bom gosto. Mas então, minha ligação com música acompanhou meu crescimento, e esse segmento cultural entre os que + me tocam. Confesso que, como o olfato, a audição é o sentido que + ativa minha memória. Tico&Teco, meus neurôniozinhos, adoram dançar e quando ouço alguma música, logo me lembro da época, dos costumes, de pessoas, lugares… é incrível como sons mechem comigo. Barulho não, me incomodam, detesto, mas os sons, pode ser o da chuva caindo nas folhas do meu cajueiro. Música boa se eterniza. 

 Em todos esses anos de civilização, músicos, instrumentistas, compositores, maestros, cantores… conquistam plateias e fãs. 

“Um DJ é uma sigla em inglês que significa disc jockey, ou em português, disco jóquei. ... Um DJ é um artista responsável por transmitir música (muitas vezes da sua autoria) na rádio, televisão ou em qualquer local onde se ouça música (boates, discotecas, etc.)”. DJ são verdadeiros astros, equiparados aos + badalados cantores e bandas. Alguns inclusive, superam em números de público, seguidores em redes sociais, em execução em rádios e TVs. 

 Tenho vários amigos que são incríveis dominando suas mesas de som. E entre os que + me encantam é o querido e talentoso DJ Siq, que conheci como Juninho, mas hoje, meu foco e microfone estão no Siq, que arrasou na edição 2020 da 1ª Mostra de Moda Alagoana Renda-se. Com certeza, as músicas do desfile arrasaram, além da curadoria, da produção, dos estilistas e modelos, a trilha sonora agregou valor ao projeto idealizado por Mirna Porto Maia, que tem patrocínio Magazine Luiza através de Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo, apoio cultural Aloo Telecom, Escola Técnica de Artes da Ufal e Prefeitura de Maceió através da sua Secretaria de Turismo, Renda-se 2021 será transmitido ao mundo fortalecendo a importância cultural artesanal da Moda de Alagoas, especialmente a renda Filé. 

E sem dúvida, a atuação do DJ Siq será brilhante, atestando formidável trabalho de pesquisa, primando pela total harmonia entre a música e o que está acontecendo na passarela. Tudo com forte ligação, e o público vai sacar. Esse ano, DJ Siq volta ainda +, tocando no alto de 1 dos janelões do Espaço Armazém, literalmente dominando os centenários casarões de Jaraguá e os 50 metros de passarela montada na Sá e Albuquerque. Anotem e não percam, “às 8 da noite de 8 de outubro “ (viva a sonoridade), vale audiência e aplausos. Verdadeiro espetáculo de Arte, Cultura e Bom-Gosto, inclusive musical. E hoje, aqui no blog, publico interessante entrevista com ele, que vem se firmando e se confirmando como “jovem senhor das picups”. Assim, seque o Siq…

Qual é a importância da música em sua vida?

A músicapreenche grande parte do meu dia, nos estudos, nos exercícios físicos, nas festas, com amigos, em atividades terapêuticas, e no trabalhoé minha ferramenta de interação, onde posso transmitir emoções, sentimentos, animação, boas lembranças, cultura e resistência. A vida sem música seria muito triste.

Que memória vc tem das primeiras músicas que te chamaram atenção?

As primeiras músicas que me chamaram a atenção foram de Raul Seixas e Luiz Gonzaga.

Na infância vc já curtia música?

Curtia muito ouvir e dançar. Ainda quando criança arriscava gravar fitas, cantando com uma música de fundo, usando o rádio de casa e um microfone, junto a minha irmã Vitória.

Seu gosto musical foi mudando com a idade?

Mudou um pouco, porque ainda escuto e gosto de muitas produções que eu ouvia há muito tempo. E também aprecio as atualizações das produções atuais.

Vc tem estilo favorito de música?

Eu não conseguiria dizer um estilo especifico, a música é muito plural, tenho preferências em cada subvertente. Na música eletrônica tenho mais afinidade com os estilos House Music e Techno, e suas variações. Também curto Reggae, MPB, Axé e Rock.

Vc prefere as que são pra ouvir baixinho ou as pra topar o botão do volume?

Depende do momento, do ambiente e do meu humor.Equilíbrio é tudo!

Quando te deu o estalo “vou trabalhar com música”???

A partir do momento que conheci alguns nichos, e vi que era possível fazer daquela arte o meu trabalho, e poder proporcionar boas experiências para o público.

Qual a tua idade?

29 voltas ao sol, estou quase trintando. (risos)

Vc é nativo de Maceió?

Sim, nasci e sempre morei aqui

Que grupos marcaram sua vida?

Os artistas Caetano Veloso, Elza Soares, Cazuza, e os grupos,DepecheMode, Daft Punk, The Prodigy, Benny Benassi, The Black EyedPeas.

Vc fez curso pra ser DJ, ou foi descobrindo sozinho as técnicas e os segredos?

Conclui a “Ophiccina para DJs” com o DJ Bacana em 2012. Em 2019, participei do curso de Produção Musical com o DJ e Produtor Woltexx. Fui desenvolvendo a curiosidade e descobrindo algumas coisas sozinho, desde criança admirava a performance de DJ. Tive um grande apoio da DJ Eleva e do DJ Nathan no início desse sonho. Então são essas referências que formam esse alicerce na minha trajetória.

Como vc seleciona as músicas que vc vai tocar em determinado evento?

Faço a seleção a partir da proposta do evento, do horárioque vou tocar e do possível público. Então organizo as faixas por estilos e pelo tom, o que chamamos de “mixagem harmônica’’.

Faz diferença se é festa ou desfile?

Faz diferença sim! São referências diferentes, festa geralmente é um som mais dançante, para pista “Dance Floor”; e no desfile as referências estão voltadas para a performance e a estética do evento.

Lembro do sucesso que foi seu set no Renda-se no ano passado, como aquela seleção aconteceu?

Fiz uma pesquisa com a estética, voltada para o regionalismo e com um toque sofisticado, foi uma homenagem ao Filé Alagoano e a Teka Rendeira (em memória). Filtrei essa seleção com um pequeno núcleo da produção do evento, formado pelo Coordenador Fabio Elias, e o Diretor David Farias.

Esse ano, a homenagem é pra Vera Arruda. Como está sendo seu processo de escolha das músicas do desfile?

A sonoridade desse ano será um pouco diferente, terão mais músicas sem vocal, porém mantendo as referências brasileiras, regionais e elementos significativos.

Está fazendo diferença a passarela ser na rua, diferente de 2020, que aconteceu dentro do Espaço Armazém?

A diferença será a acústica do ambiente. Tocar nas ruas do Jaraguá vai unir minha arte com as construções maravilhosas desse bairro histórico, será uma acústica diferente, pois dentro da trilha sonora também teremos interferências urbanas do cotidiano local.

Quem são suas referências entre os DJs???

Carl Cox, Sophia Rock, Gui Boratto, Bruno Be, Denis Ferrer, Vitor Lou, Gustavo Mota,SebastienLeger.

O que o público pode esperar de seu set Renda-se2021?

Um repertório bem brasileiro, cheio de suingue e com um toque sofisticado.

Vc chega nervoso ou relaxado pra tocar?

Sempre fico nervoso! Acredito que se não tiver o frio na barriga, não vale a pena. No "Renda-se", por exemplo, a tensão é ainda maior, por conta da grandiosidade do evento.

Seu estado de espírito interfere na seleção de suas músicas?

Sim, a seleção é muito influenciada pelos meus ciclos na vida.

Que planos para o futuro, o breve e o distante???

Pretendo continuar estudando mixagem e produção musical, muito breve lançar minhas músicas e expandir minha arte por outros lugares desse mundão.


Felipe Camelo por Felipe Camelo

 Jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]