Dólar com. 5.6093
IBovespa -3.39
28 de novembro de 2021
min. 25º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Música clássica, MPB e afoxé povoam cultura no Jaraguá
17/11/2021 às 16h09

Blogs

Dançando a Memória

Pés que contam Histórias

Sávio de Almeida por Eduardo Bastos e Dydha Lyra - reprodução

Meus avós maternos, infelizmente, já haviam falecido quando nasci em 1961, mas os pais de meu pai moravam na esquina na Pedro Monteiro com a ladeirinha Gabino Bezouro, e eu adorava passar o dia na casa deles, inclusive por poder passear pelo centro da cidade, de mãos dadas com minha avó Afra.. 

 E 1 dos lugares que + me encantava era o Teatro Deodoro. Incrivelmente, o tempo voa e essa semana, são , merecidamente, celebrados seus 111 anos. ️

Por seu tradicionalíssimo palco, grandes espetáculos, em todas as linguagens artísticas. Inúmeras peças, shows, lançamentos culturais contam a história da arte. Como os apresentados nesses últimos 22 anos pela talentosa bailarina, coreógrafa e professora Maria Emília Clark, que também posso classificar como historiadora e memorialista, já que, com seus bailarinos, conta dançando grandes nomes da cultura de Alagoas, principalmente. Com rico currículo, ela, que já ultrapassou fronteiras e divisas do estado, valorizando nossas riquezas intelectuais com suas sapatilhas. 

 Não foram poucos seus espetáculos que divulguei e aplaudi, sendo impossível não me emocionar com histórias narradas nas pontas dos pés. Povo que não eterniza sua história fica no esquecimento, e a Companhia e o Balé Maria Emília Clark não deixam no esquecimento as incríveis obras produzidas por talentosos filhos dessa nossa abençoada terra, como (sem obedecer ordem cronológica) os pintores Eva Le Campion, Fernando Lopes, Paulo Caldas, Delson Uchôa, Tânia de Maya Pedrosa, Solange Chalita, Pierre Chalita, o botânico Ladislau Netto, a agitadora cultural Mirna Porto Maia, os médicos Ib Gatto Falcão e Milton Ênio Gouveia, a pianista Selma Britto, os escritores Jaime de Altavila, Anilda Leão, Venúzia de Barros, Arriete Vilela, Jayme de Altavila e Lêdo Ivo, o cineasta Joaquim Alves, o teatrólogo Bráulio Leite, os músicos Djavan e Roberto Carlos (mesmo não sendo alagoano “por toda a eternidade + 1 dia”), com trilhas orquestradas pelas filarmônicas do mundo, após profundas pesquisas. 

E como os pés, a cabeça e o coração de Maria Emília não param, o agitador cultural Juarez Orestes Gomes de Barros, omédico Emerson Casado e o teatrólogo e ator Homero Cavalcante no foco da ativa e irrequieta bailarina. Eles que são futuros projetos. 

E nesse honroso time de personalidades, o escritor, editor, pensador, professor e educador social Luís Sávio de Almeida, cujo espetáculo, com certeza, será muitíssimo aplaudido. Ah! Entrada franca, sem a necessidade de convite impresso para acesso ao espetáculo. 

Imperdível, Savium, às 20h de amanhã, 5ª-feira, dia 18, no maravilhoso Teatro Deodoro, brilhantemente dirigido por Sheila Maluf e Alexandre Holanda. Quem, por acaso, não puder ir, reapresentação no próximo dia 30, também às 8 da noite. Com essa obra memorialista, Maria Emília realiza a fase 10 do projeto Infusão, selecionado pela Lei Aldir Blanc. 

Garanto,faria o mesmo sucesso em qualquer palco do mundo. Daqui e desde já, meus aplausos de pé, tanto para o incrível professor Sávio, como para Maria Emília Clark, seus bailarinos e todos os envolvidos no projeto. E para os 111 anos do Deodoro. 

Viva a arte, viva o teatro!!!

Galeria de Fotos


Felipe Camelo por Felipe Camelo

 Jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]