Dólar com. 5,366
IBovespa -1,18
20 de setembro de 2020
min. 23º máx. 28º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Caixa: 770 agências estão abertas hoje até 12h

Blogs

A Energia das Cores

17.08.2020 às 20:02
Felipe Camelo

 Na última 6a-feira, constante é desconfortável dor de cabeça não me deixou editar a postagem do dia, não conseguia pensar nem escrever. Assim, me desculpo com os internautas leitores deste Portal pela involuntária ausência.

Ontem, umas 11 e 1/2 da manhã, meu celular travou, não obedecia nenhum comando. Nem desliga-lo eu conseguia. Deixei ligado pra ver se descarregando por falta de energia, voltaria ao ser recarregado. Hoje, ele seguia com carga na bateria e seguia travado. Hoje, acabei procurando a Apple, que me indicou a BukOne, sua assistência técnica. Coincidentemente, lá, a bateria descarregou geral, e ao receber nova carga, voltou ao funcionamento normal. Ufa!!!

Vamos lá, então. Amanhã, 18, será o último dia de inscrições para estilistas profissionais e estudantes do último período de Moda poderem participar da 1ª Mostra de Moda AlagoanaRenda-se, com curadoria de Mirna Porto Maia, patrocínio Magazine Luiza através de Lei de Incentivo à Cultura, realização da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo e apoios Escola Técnica de Artes da UFAL/ETA e ALOO Telecom.  E para dividir informações e conhecimentos, às 7 da noite de amanhã, no @rendasealagoas , “live” com a idealizadora e curadora Mirna Porto, e 2 representantes da ETA, o diretor-geral David Farias e a professora do curso de Moda Pollyanna Isbelo, que tirarão todas as dúvidas sobre este projeto que é 1 verdadeira “botija  no fim do arco-íris” para quem vai participar, afinal, oportunidade única para mostrar talento criando modelos utilizando a renda + alagoana, o Filé. O desfile será no dia 24 de setembro, transmitido pelo YouTube. + detalhes, amanhã aqui neste blog.

E por falar em arco-íris, aproveitei que precisei sair pra resolver o problema do celular no Parque Shopping e fui até a Pajuçara ver minha mãe, que vive acamada aos 93 anos, vítima do Mal de Alzheimer. E saindo da casa dela, este presentão da Natureza, confirmando a grandiosidade da vida. Compartilho com todos, claro, reforçando que minha matéria desta 3a-feira, 18, será sobre o Renda-se.

Até lá, então. Hoje, a ampla diversidade deste arco-íris e todas as suas inclusivas cores. Amor e Respeito, inclusive ao próximo.

Postado por Felipe Camelo

Pensamentos e limões

13.08.2020 às 17:17
Felipe Camelo

Aqui suspirando profundo enquanto penso na postagem desta 5ª, 13 de agosto, já que tantos assuntos me são relevantes e me chamam a mesma atenção. Sofro com meus velozes e múltiplos pensamentos, que se atropelam.  Detesto ficar em dúvida, acho perda de tempo. Se bem que tempo nesta pandemia não falta, pelo contrário. Quanto + me ocupo, + tempo tenho para ocupar. Chega cansa.

Mas enfim, sigo na torcida pra que meus dedos acelerem, acompanhando o raciocínio.

Neste momento em que o Meio Ambiente no Brasil vem sofrendo fatais atos criminosas de violências, sigo horrorizado com a desumano tráfico profissional de cobras, que vem sendo descoberto. Além da ideológica política de extermínio dos + nativos dos brasileiros. É inadmissível e imperdoável o que o (des)governo vem fazendo contra a vida dos índios, principalmente os da Amazônia. Justamente eles, em sua completa falta de conhecimentos científicos e são sabiamente os verdadeiros guardiões da Natureza.

E por falar em Natureza, me vem à cabeça meu querido da vida toda, saudoso e inesquecível arquiteto, urbanista, paisagista, artista plástico... Alex Barbosa, cuja sentida partida completou o 1º ano ontem. Ele que escreveu incrível história de vida, se destacou e marcou época, sendo referência, deixando valioso legado. Lembro sempre com saudade, e orgulho.

Na mente também, a 1ª Mostra de Moda Alagoana Renda-se, que segue com inscrições abertas até o próximo dia 18, selecionando 5 estilistas profissionais e 5 estudantes de Moda, para ocupar a passarela no Espaço Armazém no dia 24 de setembro, transmitido por canal no YouTube. A produção está em acelerado ritmo. A curadora Mirna Porto Maia numa real maratona de entrevistas, divulgando o desfile que confirma e valoriza a importância das rendeiras, já que todos os modelos terão o alagoanérrimo Filé como base e principal elemento nas criações.

Tantas pautas para abordar, justamente hoje, marcado como Dia de Santa Dulce dos Pobres, cuja vida foi dedicada ao próximo e menos favorecidos, da qual sempre fui devoto, e encantado admirador da freira baiana que sempre identifiquei como Santa, sem nem imaginar que 1 dia, seria Santificada pelo Papa. Justo Francisco, que vem marcando sua devoção, principalmente aos seres que + carecem de atenção. Costumo dizer que minha fé é múltipla. Creio na força do amor e respeito aos próximos, e aos distantes também, claro. Sou pan, ao mesmo tempo (ou seria templo?) católico, espírita, budista, macumbeiro. Este ponto me lembrou também da partida de Dom Pedro Casadáliga, que viveu para defender seres humanos em vulnerabilidade, como os índios brasileiros e combater a violência nos conflitos agrários, com gananciosos latifundiários desmatando e matando. Meus respeitos à sua história e memória.

Pensam que acabou??? Nananinanão. Impossível, depois de escrever sobre tantas vidas, não listar também o recente susto que nós moradores do Gurgury tomamos quando soubemos que haveria alteração do projeto original de duplicação da AL101Norte, que eliminaria área verde aqui no loteamento em Guaxuma. Protestamos, conversamos e conseguimos salvar centenas de árvores e nossa qualidade de vida.

Mas, além da obra aqui na rodovia, operários e máquinas trabalham no saneamento básico. O problema é que, sem ouvir a comunidade e moradores, querem construir estação de bombeamento de esgoto exatamente onde há a praça de convivência, com quadra de voleibol, espaço para atividades físicas, parque com brinquedos infantis e onde celebramos São João e Natal entre vizinhos. Iniciamos conversação com os órgãos envolvidos para salvar a praça construindo a estação em outro local, que não na área central entre tantas residências.

Enquanto escrevo e descrevo observações e pensamentos, meu limoeiro segue com carga total. Ontem, foram 191, hoje, deve corresponder.

Agora vou, que amanhã tem +, fatos, histórias, pensamentos, limões. Vida que segue. Que esta pandemia passe logo, só depende do povo, mantendo isolamento e todos os cuidados para evitar propagação ainda maior. Menos ignorância. Todas as vidas importam!!!

Postado por Felipe Camelo

Seres mais Humanos

12.08.2020 às 17:27

Enquanto tantas pessoas sofrem, padecem e falecem vítimas da pandemia do Coronavírus, impossível me sentir feliz. Tanto que não sei bem o que responder quando alguém pergunta como estou. 

Como sempre digo, não acho ser possível viver sozinho, pelo contrário. A vida é 1 corrente e todos precisamos de todos. Ninguém é alguém sem outro alguém, eu creio. 

Além dos que partiram pelo Covid19, os que faleceram por outras causas também são “afetados” por este fatal e microscópico vírus, já que velórios e sepultamentos não acontecem como até então. Com normas, regras e recomendações de isolamento social, evitando aglomerações, despedir-se de parentes e amigos tem sido ainda mais difícil e doloroso. Prestar homenagens, velar e acompanhar o enterro não é mais possível. 

Parece que está já conhecida dor, de perder alguém querido, se apresenta estranha, inclusive pela rapidez e o distanciamento com que tem acontecido. Não se pode nem se deve abraçar e consolar ninguém. Isso aumenta ainda + a tristeza. 

E em plena pandemia mundial, me confesso horrorizado, incrédulo e triste quando vejo pessoas que negam este maldito vírus, por pura ideologia (sic!) política. 

Como podem, pessoas que não são médicos, se achar “especialistas” ao ponto de contestar e negar fatos e dados científicos? E para piorar, acham também que podem agredir os profissionais que tem arriscado suas vidas (e de seus familiares) para combater esta altamente transmissível doença e os agridem, com palavras e atos violentos. 

Fico pensando que, com a ignorância, é também explicita a falta de vergonha em se expor diante do mundo, via redes sociais, demonstrando despreparo, inclusive para entender a realidade, e agir para combater esta pandemia que se alastra pelo mundo com a velocidade da luz, de 1 sopro, literalmente. 

Assim, nesta postagem de hoje meu profundo sentimento de tristeza pelas mortes de tantas pessoas e é também meu sentido desabafo, já que estou 100% isolado desde março passado. Tenho conversado pelo celular, mas não é a mesma coisa, olhar nos olhos e ouvir os tons da voz fazem diferença. E tenho aproveitado o blog para compartilhar pensamentos e ideias. 

Nesta postagem de hoje, reconhecimento e gratidão aos médicos, enfermeiros, maqueiros, motoristas de ambulância, laboratoristas, coveiros, e também os que não podem ficar em casa, e tem sido fundamentais neste combate, como garis, motoristas de transportes públicos, motoboys, policiais, bombeiros, fiscais... que se desdobram para salvar vidas. 

Sigo na torcida por novo surto, que infecte mais pessoas que este Covid19. Sim, verdadeiro surto de amor ao próximo, empatia, solidariedade, civilidade, educação, generosidade... Que a humanidade evolua!!!

Postado por Felipe Camelo

Arte X 2

11.08.2020 às 16:57
Reprodução

Terra de muitos, múltiplos, inspirados e talentosos artistas, Alagoas é conhecida internacionalmente. É incontrolável minha felicidade ao saber, com total exclusividade, que Maceió vai ganhar 1 presentaço.

Será 1 obra de Arte, com 2 estreladas assinaturas, num trabalho inédito, quando 1 artista produz e reproduz a obra original de outro.

O resultado???! Vocês não tem ideia do quão belo e impactante!!! No total, o painel terá enorme dimensão, 3.50 x 20.00m, e será exporto na fachada de 1 edifício, cuja visibilidade será de longo alcance. Com certeza, muito atrativo para inúmeras fotos e “selfies”.

Como jornalista, fico doido para dar a notícia em 1ª mão, mas vou me controlar, e deixar chegar a hora certa, afinal, o trabalho evolui em sua 2ª etapa, e não quero, nem vou, adiantar o impacto da surpresa. Tanto que aqui, não direi + nada, nem os nomes dos artistas envolvidos. Hoje, apenas este fragmento, este detalhe que já confirma excelência e qualidade total. 

É aguardar e ir caprichando nos “Ah!”s e “Oh!”s. E ir treinando os “autorretratos”.

Postado por Felipe Camelo

Renda-Se ao Filé

10.08.2020 às 18:21
Fábio Elias Costa - Acervo Pessoal

Muito mais que cobrir e proteger contra sol e frio, há verdadeira comunicação através do que vestimos. A moda vai muito além das indicações das tendências de cada estação. Traduz cultura e costumes.

Claro que a indústria tem muita importância, gerando emprego e renda, movimentando a economia nacional, produzindo em grande escala. Mas o que é produzido manualmente vem ganhando cada vez mais destaque. Quanto mais autoral e exclusivo, mais desejado e valorizado. Aqui em Alagoas, além de todas as linguagens artísticas, as rendas são símbolos culturais, e entre elas, que são inúmeras, o filé é considerada a mais nativa.

Numa rede igual as que os maridos usam para pescar, suas esposas  começaram bordando nestas telas, produzindo toalhas de mesa, paninhos, colchas, que passaram a serem bordadas em redes de algodão, similares as originais, em nylon.

Sucesso principalmente entre turistas. Até que surgiu Teca, que resolveu produzir roupas e acessórios com o filé. Ficou conhecida nacionalmente como Teca Rendeira,  marcando época. Claro que, com o sucesso, outras rendeiras foram ampliando horizontes, aprimorando técnicas, colocando a renda, definitivamente, no circuito da moda produzida em terras Caetés.

Nos anos 1980, Fernando Perdigão apresentou novas tramas, num trabalho autoral inconfundível. Recentemente, passou a produzir sem a rede que serve como base da renda, sendo impossível distinguir a tela dos bordados, que se fundem.

E assim, novos nomes em Alagoas, que segue encantando com modelos de filé assinados por talentosos estilistas.

E nesta mundial pandemia, quem vive produzindo cultura e artesanato, tem precisado de oportunidades, como esta agora, com o projeto “Renda-se”, sob o comando da arquiteta e agitadora cultural e social Mirna Porto Maia, reunindo estilistas profissionais e estudantes de Moda, incluindo desfile no Espaço Armazém, respeitando todas as normas de segurança sanitária da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde. Sem aglomeração, o público estará acompanhado por canal no YouTube, e durante o evento, serão seguidos rigidamente todos os cuidados, protegendo os envolvidos, como técnicos, estilistas, maquiadores, cabeleireiros, modelos, enfim, todos. Com proposta de inclusão social, todo material terá tradução em libras.

E confirmando sua atuação em apoiar projetos culturais de inclusão social, Renda-se também tem patrocínio Magazine Luiza, que sempre apoia atitudes inclusivas Brasil afora, e em Alagoas, diferencial afetivo, já que Fábio Elias Costa é filho de alagoana e muitos familiares moram no estado.

Ele, que nasceu em Brasilia, mora em São Paulo, e é assessor da empresária Luiza Helena Trajano há 7 anos, sendo Especialista em Leis de Incentivos e inteligência Social, e vem garantindo total assistência aos projetos que acontecem em Alagoas, neste especialmente, já que acontecerá neste novo formato, de transmissão ‘online’, além da produção do superdesfile, que colocará a 1a Mostra de Moda Alagoana “Renda-se” na vitrine do mundo.

Todas as informações, inclusive das inscrições, gratuitas, (já abertas, e se encerrando no próximo dias 18), no http://www.projetorendase.com.br/

Postado por Felipe Camelo

Exemplos de Amor

07.08.2020 às 15:09
Arquivo Pessoal

Eita, tantos dias pensando nesta postagem de hoje, que não sei nem por onde começar, já que muitos e importantes pontos quero abordar. 

Bom, vou do início do dia.

No próximo dia 11 de março, completo + 1 ano de vida, fechando meu 59* aniversário. Consequentemente, no dia seguinte, inicio meu ano 60. Nenhum amigo, ou amiga, concorda com este meu pensamento, que pra mim, é lógico, matemático, científico. Mas enfim, melhor ficar idoso que ter morrido jovem.

Desde sempre, detesto remédios, sou + de lambedores, chás... mas já comecei o dia, tomando o recomendado para controlar a pressão, que tomarei diariamente até falecer. Logo após, liguei a TV para ouvir notícias enquanto troco a água da Toda (minha filha de 4 patas).

Sim, minha filha sim, mesmo sendo cã, eu sou seu pai. Ela que seria morta, já que estava há 4 meses pra ser vendida num ‘pet-shop’, mas ninguém queria, ela é “vira-lata”, misturada de boxer com rodesiano, “não é raça pura”. Quando soube disso, fui lá resgata-la. Lembro até hoje do seu peso se jogando dos braços do funcionário para os meus, assim que me viu. Tinha ferida em toda a testa, já que batia a cabeça na gaiola quando via alguém. Se poupei sua vida, cuido, alimento, brinco, amo... sou seu pai, independentemente de ter gerado.

Lembrei do Thammy & Bento, que provocam revolta de ignorantes, contestando sua paternidade na campanha Natura Dia dos Pais, assunto já abordado aqui.

Mas voltando ao começo do dia, na TV, o assunto era racismo e mesmo não sendo explicitamente, externamente preto, me sinto tão vitima quanto os agredidos. Como sou muito emotivo, chorei. E lembrando do Dia dos Pais, dos ensinamentos e exemplos que recebi do meu, Rubens, como melhor herança.

Acredito que cada pessoa escreve sua história de vida, e que triste característica é ser racista. Que sentimentos fazem alguém se achar melhor que os outros, agredir, inclusive na Internet, para o mundo ver, literalmente, só porque este outro postou foto mostrando seu cabelo crespo que cresce há 3 anos para chegar ao ponto que está agora??? As reações são muito além de violentas, são absurdamente desumanas. Que exemplo esta racista está dando para seus filhos?!?!?

Mas enfim, segui pensando em exemplos, lembrando dos que tive em casa. Meu avô paterno foi caixa do Banco do Brasil a vida toda, e outro dia, encontrei placa de prata, dada pelo banco quando ele se aposentou, destacando que nunca houve em suas notas, nenhuma diferença de caixa. Vovô José Farias de Almeida nunca errou 1 conta, nem nunca quis outro cargo, já que seu prazer era fazer contas e pegar no dinheiro. Adorava, apesar de que não era ganancioso ou egotista. Pelo contrário.

Hoje me pego repetindo atitudes que observava neles, mesmo sem ter coincidência de que estava aprendendo. Quando fiz 18 anos, fui contratado para trabalhar na Prefeitura de Maceió, e passei 1 ano cumprindo diariamente minha função. Mas acabei indo morar em São Paulo. Papai me orientou e de lá, mandei procuração pra ele, que foi cancelar meu contrato, “meu filho não vai ganhar dinheiro público sem trabalhar, morando fora”, explicou.

Esta lição, como todas as outras, me norteia até hoje. Lembrando agora que há 8 anos, ele internado numa UTI, no 25 de março, dia do casamento dele com mamãe. Sai quase 10 da noite do jornal no qual trabalhava, e mesmo sendo muito tarde, fui até o hospital e expliquei ao médico plantonista que era aniversário de casamento e eu precisava dar 1 beijo nele.

Fui autorizado e encontrei-o em coma, ligado em vários aparelhos, que faziam repetitivo e calmo som. Me aproximei dele e felicitei pelas Bodas e desabafei, agradecendo por ser tão incrível pai e ser humano. Conversei muito.  E num momento, foi forte meu susto quando o som da máquina se alterou, em volume e ritmo. Apavorado, chamei 1 enfermeiro que estava perto e falei o que havia acontecido. Ele chamou o médico que me explicou. Mesmo em coma, ele estava entendendo tudo que eu sussurrava em seu ouvido.

Fiquei + alguns minutos me despedindo, desejando-lhe boa noite, e o som do aparelho foi diminuindo, tranquilizando. Dei 1 beijo e 1 cheiro nele e fui embora. Não sabia que seria meu ultimo encontro nosso nesta existência.

Me lembrei agora do grave e quase fatal acidente que sofri no trânsito, em 1999, tendo ficado muitos dias em coma, e numa parada cardíaca, lembro da sensação de levitação, estava flutuando muito alto e me vendo desfalecido numa cama, e lembro claramente de vozes que tentavam me acalmar, dizendo que eu devia relaxar “pra voltar”, que “ainda não era a minha hora”. Voltei e estou aqui, depondo, emocionado e agradecido. Assim, sei que a vida não começa na maternidade nem termina no cemitério.

Engraçado, me sinto muito próximo de meu pai, que sempre me vem na memória e no coração.

Em sua figura, elegantérrimo com o inesquecível Gogó da Ema, adianto minha homenagem aos homens que são pais, tendo pênis ou não. Tenho muitos familiares e amigos que são impecáveis seres humanos, e também  pais, tendo gerado ou não seus filhos. Minha reverência aos que amam seus filhos, que terão os melhores exemplos e repetirão com seus próprios filhos. Que as gerações evoluam, praticando amor ao próximo, humanidade, gentileza, empatia, solidariedade... Feliz Dia dos Pais, indistintamente!!!

Postado por Felipe Camelo

“Nem com flor”

06.08.2020 às 20:23
Felipe Camelo

Que ótimo que a língua é viva e segue em constante evolução. Com informações, descobertas e experiências, costumes e atitudes também acompanham este desenvolvimento humano.

E com isso, ditados populares, comuns e frequentes do dia a dia, estão sendo repensados. Deles, segue valendo o “Em mulher, não se bate nem com uma flor”.

Mas outros, não. Como “Atrás de todo homem, 1 mulher”. Em 2020, é inconcebível. Comprovadamente, as mulheres não estão + atrás da gente, em nenhum sentido. Nem 2 passos atrás caminhando numa calçada, muito menos porque está querendo casar. Com sua importância na vida devidamente reconhecida, mulheres devem ser respeitadas. E valorizadas. É indevido e antigo o pensamento de que as mulheres são inferiores e devem submissão.

Mas voltando aos tais ditados, que, de forma alguma são tolerados, como “Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”.

Esta máxima, que é “mínima” deve ser combatida, já que defender 1 mulher que está sendo agredida, violentada, desrespeitada, e talvez assassinada, é obrigação de todos. Muito + que esposa, ali está 1 ser humano, 1 mulher, mãe, avó... sendo vítima de hediondo crime. É imperdoável.

Sou privilegiado por ter nascido numa família na qual todos tem o merecido respeito. Nunca vimos brigas, discussões, agressões, nada disso. Pelo contrário. Aprendi vendo meu avô paterno (os maternos já haviam falecido quando nasci, mas sei que era do mesmo jeito) e meu pai abrindo portas pra minha avó e minha mãe, além de outras práticas. Na calçada, eles andavam perto do meio-fio e elas, perto do muro. Pra subir escada, eles iam atrás e pra descer, eles iam na frente delas, evitando algum problema. Nunca ouvi gritos em casa. Assim me tornei o homem que sou.

Major Danielle Assunção - Reprodução

Hoje, ví a major (e minha amiga querida) Danielle Assunção na TV, falando sobre suas ações do comando da Patrulha Maria da Penha, num trabalho impecável que a Polícia Militar vem realizando, na defesa e proteção das mulheres.

Nesta pandemia, + ocorrências, já que, com convívio frequente dos casais em isolamento social, os casos de feminicídio vem aumentando.  Este 9* mês do ano é destacado como Agosto Lilás, focando “na conscientização pelo fim da violência contra a mulher”.

Agora em 2020, a Lei Maria da Penha completa 14 anos, e precisa da participação de todos para fazer Justiça. Vários mecanismos estão disponíveis. As que puderem, basta ligar 180, serviço que funciona 24h. Mas se não houver esta chance de telefonar, agora basta escrever X de baton ou caneta na palma da mão quando for até a farmácia e mostrar para algum vendedor, que discretamente, fará contacto e policiais chegam rapidinho, e o agressor só saberá quando não puder fazer + nada, além de se “entender” com a Justiça. Parabéns ao Conselho Nacional de Justiça e a Associação dos Magistrados Brasileiros pela iniciativa, que vem salvando muita gente.

Aqui em Alagoas, a major Danielle, na coordenação da Patrulha Maria da Penha garante vigilância permanente para manter a tranquilidade das mulheres que estão amparadas pela Lei. Há contactos diários para confirmar a paz na vida destas vítimas e seus filhos.

Nós, cidadãos, temos dever de ajudar no combate aos absurdos crimes que afetam vidas. Se cada pessoa puder contribuir com a quantidade de vida da comunidade, a vida melhora pra todos. Se colocar no lugar dos outros é fundamental pra o bem geral. Empatia já! E sempre!!!

Postado por Felipe Camelo

Dose extra??? “Overdose”!!!

05.08.2020 às 19:01
Felipe Camelo

Meus crescidos cabelos amanheceram pesados hj, além de + revoltos. Revoltados mesmo, eu diria.

São muitos os motivos. Desmatamento e queimadas na Amazônia e no Pantanal atrapalharam meu sono, e assim que levantei pra tomar o remédio que controla minha pressão, recebi vídeo sobre + 1 absurdo crime que está acontecendo agora no Rio de Janeiro. O desgoverno carioca quer derrubar 200.000 árvores da floresta Camboatá, em Deodoro, subúrbio do cidade que já foi maravilhosa. Árvores centenárias, algumas em risco de extinção, assim como milhares de espécies de animais, são as próximas vítimas da criminosa e ideológica política ambiental federal e estadual, e para que? Para construção de autódromo. Imagino quanta grana vai sumir sob o asfalto.

Também revoltante a absurda e criminosa filmagem que 1 vendedor ambulante (ainda não identificado) e 1 empresário (já identificado) fizeram. Este, postou o registro na internet com comentários de forte e machista apelo sexual. No foco dos deformados tarados, 2 amigas que praticavam yoga ao ar livre. Será coincidência que este desprezível senhor tenha o bolsonárico presidente tatuado na perna esquerda ?!?!?!? Logo pensei que seria + coerente se fosse na direita (sic!).

 Enfim, sigo neste turbulento redemoinho de sentimentos e emoções. E preocupações.

Ainda feliz pela vitória na defesa da preservação de área verde aqui no Loteamento Gurgury, em Guaxuma, que corria risco por mudança no projeto original da duplicação da AL101Norte. Mas, enquanto agradecemos o saneamento que vem sendo realizado aqui, nós moradores soubemos ontem que pretendem construir estação de bombeamento da rede de esgoto exatamente onde temos 1 praça, bem no “coração do loteamento”, com espaço para esportes, festas populares e convivência, além de parque infantil. E o pior, sem conversar com a maioria dos moradores para ouvir as opiniões de quem será drasticamente afetado com esta estação. Lá vamos nós, para nova batalha e protestos. 

Mas tem dias que acordo tranquilo, acreditando que esta pandemia vai passar e as pessoas voltarão ao natural estado de civilidade, gentileza, empatia e humanidade, apesar do que tenho observado, da vontade de sair gritando “socorrrrro”.

Nesta 4a-feira, por exemplo, levantei assim, abusado.

O comportamento das pessoas, neste momento de flexibilização do isolamento social, vai muito além da falta de educação. Situações de ignorância, agressividade e violência tem sido alvo de celulares que registram tudo, viralizando geral, me causando indignação, tristeza, vergonha, revolta.

O caso + recente, de 1 moça, num badalado bar na Ponta Verde, que, literalmente, encheu a cara, bebeu todas, e descontroladérrima, acusou garçom de mexer na bolsa dela, e agredindo policiais, cobrava a entrega de seu celular e de sua bolsa, que, incrivelmente, estava pendurada no seu ombro. Só foi levada detida (sob aplausos), quando aos gritos, sem máscara, distante 1 palmo do rosto do PM, o chamou de “filho da puta”.

Eles foram surpreendentemente pacientes com a dita cuja, já identificada nas redes sociais. Mas fco imaginando se a polícia teria o mesmo comportamento se fosse numa área menos “nobre” da cidade, e a barraqueira não fosse branca, com marcante marquinha de biquíni no profundo decote.

Enquanto isso, do outro lado do mundo, explosão num porto em Beirute provoca monstruosa destruição, matando muita gente. Comoção mundial.

Numa época em que milhares de pessoas morrem mundo afora, vítimas da pandemia do Coronavírus, é, sem dúvida, outro ponto que tem me deixado bem mal, o negacionismo do desgoverno brasileiro sobre a rápida contaminação e letalidade do Covid19, que não tem tido o devido combate, atenção e investimentos.

Também ontem, soube que a Justiça seguirá absurdamente morosa com o processo que cobra o pagamento de direitos trabalhistas que demitidos profissionais continuamos aguardando que a Organização Arnon de Mello cumpra ordem judicial, depois de 2 anos. Sem previsão, enquanto isso, o senador-devedor mantém a pose, o status, o cargo, e a preciosa coleção de carrérrimos carros importados.

É, tenho consciência de que este texto está  pesado, negativo, desesperançoso, pra baixo... mas sou humano, ao contrário de todos os cidadãos aqui, acima citados.

Me confesso bem cansado, suspirando muito, num hercúleo esforço e manter a Fé, na Justiça e na humanidade. Mas não está fácil, pelo contrário.

Sobre as reações contra a campanha Natura Dia dos Pais, e os desmandos criminosos da familícia que atua como se o Brasil fosse sua casa, as agressões que Felipe Neto vem sofrendo, o genocídio indígena que vem dizimando os nativos moradores do país, nem vou abordar hoje. Por hoje chega, tô exausto!!! Que amanhã eu acorde melhor...

Postado por Felipe Camelo

Nova Florada

04.08.2020 às 15:21
Felipe Camelo

Sigo 100% isolado, e tenho procurado me manter ocupado, lendo, escrevendo, editando as postagens diárias no blog, fotografando o que me chama atenção entre os 4 lados do meu muro. Há 2 semanas, apresentei série de 10 fotos no @academico.cesmac convidado por @anacavalcanti_mcz ,  e continuo cuidando da casa, das plantas, do jardim, da Toda...

E como a revista Painel Alagoas não vinha sendo editada desde março, seguindo medidas de isolamento na pandemia do Coronavírus, confesso estar sentindo falta deste trabalho desde então.

E qual foi minha felicidade quando soube que voltaríamos agora em agosto. Por tantos meses sem esta função, e me adaptando a edição ‘online’, confesso também que levei + tempo do que normalmente levava. Com tantas e interessantes pautas, dividi as 2 páginas que publico em 4 matérias. Pesquisar, entrevistar, colher informações, conseguir as fotos, checar tudo, ir contactando o editor e diagramador Afrânio Aquino, eram 9 e 1/2 da noite quando finalizamos tudo. Tudo não. Hoje ainda precisei incluir informação num dos textos.

Resultado, ontem não almocei e não tive como postar aqui no blog. Assim, me desculpo com os internautas, já ansioso para ver a revista impressa nestes próximos dias. Aproveito para reforçar e confirmar meu orgulho em fazer parte deste time que edita a revista e o portal, ambos, publicando matérias de qualidade e excelência.

Agradeço ao Ricardo Leal, Afrânio & Eliane Aquino. Este 1* jasmim brotou aqui em casa hoje, e simboliza bem esta nova “florada” jornalística da Painel Alagoas. É aguardar a notícia “Já está nas melhores bancas”.

Postado por Felipe Camelo

Empatia, sinta o Outro

31.07.2020 às 21:32
Felipe Camelo

Emocionado hoje, com mensagem “in box” do Facebook, que recebi de 1 leitora. Alagoana, técnica de enfermagem, que trabalha na linha de frente num grande hospital em Maceió, que quis agradecer todas as matérias que já publiquei, abordando Coronavírus, pandemia, isolamento, agressões aos que trabalham contra o rápido e mortal Covid-19...

Justamente hoje, que precisei comprar comidas e ir ver minha mãe, mesmo que de longe. As poucas vezes que fui ao supermercado, farmácia, e/ou lotéricas pagar contas, fiquei horrorizado com a quantidade de gente circulando como se não estivesse correndo sérios riscos, sem mascaras nem nenhum dos cuidados recomendados por especialistas e estudos científicos.

Já me senti tão incomodado com a proximidade de alguém sem máscara, que pedi que a pessoa colocasse sua proteção. Recebi desaforo seguido de baixarias e agressões, culminando a reação com o dedo “do meio” da mão direita. Direto no meu rosto.

Com Alagoas há alguns dias com declínio no número de mortos, a quantidade de gente na orla, triplicou. Calçada, ciclovia e areia, gente d+, correndo, pedalando, empurrando carrinho de bebê, sobre skate e patins, jogos na praia, e quase ninguém protegido, ou mantendo distanciamento.

Este foi 1 dos pontos abordados pela minha leitora. Enquanto milhares de profissionais envolvidos na batalha contra sofrimento e morte Brasil afora, pessoas insistem em negar a gravidade da pandemia, a necessidade de usar máscara e manter o isolamento. E o pior, confiando na impunidade, já que este criminoso comportamento é praticado e estimulado pelo presidente da República, saem desrespeitando as recomendações, destratem e desrespeitam e agridem.

Empatia é tudo que não sentem, se colocar no lugar do outro. Imaginar que as vítimas são pessoas, com sentimentos, com histórias, com famílias, amigos.

No agradecimento, desabafou, ela que desde março não convive com a família, incluindo marido e filhas, optando em ficar na casa de 1 colega de trabalho, evitando contaminar os seus, que estão confinados, respeitando a quarentena.

Fico pensando nesta fase de flexibilização, com todos os setores precisando recuperar o prejuízo desta paralisação. Não sou pessimista, pelo contrário, mas, pelo que tenho observado pelo mundo, todas as cidades que retornaram “ao normal”, voltaram atrás, com aumento de casos e mortes. E aqui no Brasil, pessoas absurdamente expostas ao vírus e pondo os outros em risco também. E sem a menor vergonha em se mostrar tão ignorantes. Além de se acharem superiores aos que estão trabalhando e se arriscando, como enfermeiros, médicos, fiscais...

Ainda vou responder a mensagem da minha leitora, com gratidão como sentimento principal. Esta foto, dedico-lhes, e aos abnegados trabalhadores desta guerra pela vida.  #isolamento #isolamentosocial #pandemia #pandemiamundial #pandemiacoronavirus #pandemia2020 #coronavirus #covid19 #covid_19 #toemcasa #fiqueemcasa #fiquememcasa

Postado por Felipe Camelo


Felipe Camelo por Felipe Camelo

 Jornalista formado no Rio de Janeiro. Em Alagoas, passou pelas principais redações de jornais e portais .Tem em sua história profissional a cobertura de vários eventos importantes festivos e culturais em Maceió e outras cidades. É um apaixonado por fotografia. Para Felipe, “fotografar significa congelar o tempo”.

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]