Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
18 de novembro de 2019
min. 24º máx. 30º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel Justiça do Trabalho determina que a Equatorial cumpra acordos firmados antes da privatização da Ceal

Blogs

Onde está a felicidade?

02.11.2019 às 10:11
Reprodução

Eu só quero ser feliz! É o que todos dizem, ser feliz é abrangente, envolve muitas coisas, ou não envolve absolutamente nada, nada do ponto de vista de alguns, mas para outros fazem toda a diferença. Vejam o exemplo das  pérolas, elas são feridas curadas. Pérolas são produtos da dor; resultados da entrada de uma substância estranha ou indesejável no interior da ostra, como um parasita ou um grão de areia. Na parte interna da concha é encontrada uma substância lustrosa chamada nácar.

Quando um grão de areia a penetra, as células do nácar começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas, para proteger o corpo indefeso da ostra. Como resultado, uma linda pérola vai se formando.

Uma ostra que não foi ferida de algum modo, não produz pérolas, pois a pérola é uma ferida cicatrizada…

A nossa criança interior mantém registros, que atualizam dentro da gente o conceito da felicidade. O ser feliz é uma busca sem fim, mas o está  feliz é o aqui o agora, é onde estamos, e o que fazemos. "Eu só serei feliz se... As limitações surgem a partir dessas imposições, talvez você lembre de quando era criança, que apesar das dificuldades enfrentadas, você conseguia sentar e observar as estrelas e imaginar-se voando junto delas.

Ser feliz é muito mais do que ter todos os problemas resolvidos.

Postado por Hólus

Infância

26.10.2019 às 08:12
Reprodução

Algumas reflexões foram criadas para serem compartilhadas. Tenho questionado a infância de hoje em dia, não tem sido fácil ser criança atualmente. Lidar com as frustrações tornou-se uma missão quase impossível, os adultos próximos a eles não conseguem encontrar um equilíbrio, e muitas vezes parecem ser ainda mais infantis. E então, o que fazer?

Imagino um lugar com crianças em grupos, onde há os preteridos, pois aqueles adultos responsáveis têm questões mal resolvidas e deixam escapar, de forma inconsciente talvez, que aquele jovem com nome e sobrenome mereça mais elogios, mais atenção do que outras, ou de um ambiente que aquela criança da pele negra não seja observada como deve ser, cuidada e bem tratada.

Pasmem, existe sim lugares como esses e estão mais próximos do que você possa imaginar. A realidade é um meio cruel, exatamente no ponto das afirmações sociais da criança. Todas merecem um tratamento igualitário, sem privilégios, devem ser bem cuidadas, valorizadas, elogiadas de igual pra igual. 

Nem todas as crianças terão as mesmas habilidades, serão diferentes, no sobrenome, na cor de pele, na forma de aprendizagem, classes sociais, como se posicionam e se comportam. No entanto, estão sempre em transformação e a escola é o segundo local mais importante da vida delas. 

É nas escola que nossas crianças aprendem lições que levarão por toda a sua vida, independente de quais questões sejam tratadas ou do modelo adotado no ambiente escolar.

Postado por Hólus

Abuso sexual na infância

12.10.2019 às 15:58
Arquivo/Agência Brasil

O impacto do abuso sexual na vida do indivíduo é de uma imensidão tão obscura e de certa forma imaginada pela vítima e as crianças são as maiores vítimas, seja meninos ou meninas.

Esses abusos partem de  pessoas em sua grande maioria que deveriam estar protegendo essas crianças, homens ou mulheres. Há relatos de abusadores, pessoas perversas que se escondem dentro de uma máscara de pais de família, padrastos legais ou tios que adoram trazer balinhas, ou ficar com a criança em ambientes que não fazem o menor sentido.

O abuso sexual é uma das queixas quando identificamos a depressão e segue fazendo vítimas que se calam, traumas que ficam para o resto da vida. Porém, a capacidade de resiliência eleva o sujeito, mas para isso é necessário a escuta empática, pois o abuso deixa feridas na alma.

Observem as crianças, as orientem, não tenham medo de denunciar quando houver a desconfiança.

Postado por Hólus

Machismo que mata

14.09.2019 às 17:07
Reprodução

Há 10 anos atrás, iniciei meu trabalho no consultório de psicologia e no serviço de saúde mental. Eu observava a demanda feminina em busca de melhores relacionamentos, autoconhecimento ou soluções de problemas, enquanto os homens eram levados, em sua grande maioria, pelas parceiras e filhos e apresentavam quadros severos de transtornos mentais.

O ano é 2019 e ainda não mudou os motivos da busca por terapia, tanto para as mulheres quanto para os homens. Elas por espontânea vontade e por autoconhecimento. Eles, quando em crise, seja no casamento, financeira ou as duas coisas.

Os homens foram construídos dentro de um modelo que não se podia chorar, demonstrar seus medos, ter a sexualidade questionada e julgada a todo momento. E esse homem precisava manter toda à família pois "mulher minha não trabalha". Criança, já era obrigado a ter acesso a pornografia, "pois o homem para ser homem precisa observar bem, ter performance" e isso termina por criar um ser irreal, de altas expectativas e grandes preconceitos, além de uma imagem sobre o sexo baseada em fantasias.

Desconstruir esse homem ainda é um caminho longo pela frente, um modelo que acompanha há várias gerações. O machismo mata sim, eu vi e vejo muitos morrendo por dentro. 

Se está se sentindo dessa forma, busque ajuda especializada. É se conhecendo melhor, que podemos nos tornar pessoas mais sãs e menos preconceituosas. 

Postado por Hólus

Setembro Amarelo

07.09.2019 às 08:00
Reprodução

Quando entendemos a citação de Carl Gustav Jung que diz, conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar a alma humana, seja apenas outra alma humana, e o mês setembro Amarelo vem de forma tão humana, lembrando a todos que a escuta ativa o olhar sem julgamento diante da dor do outro e isso pode salvar vidas.

Interessante a quantidade de ações e cursos de como ensinar a ouvir, ensinar pessoas a se comportarem como pessoas, ensinando humanos a serem humanos. Esperamos que a voz do Setembro Amarelo possa perpetuar por todos os meses seguintes, já que o índice de pessoas desesperançadas tem aumentado consideravelmente.

Encontramos na Bíblia um personagem resiliente, Jó. E quando entendemos de onde vem essa capacidade, se abrem várias portas e nós colocamos essas possibilidades para que o outro possa seguir. Portanto que esse mês de setembro possa trazer-nos estratégias em todas as áreas, para que a saúde mental faça a sua parte, sem julgamentos e de braços abertos.

Postado por Hólus


Hólus por Jacqueline Pino

Psicóloga

Especialista em saúde mental

Consteladora familiar sistêmica

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]