Dólar com. 5.1318
IBovespa 0.58
24 de abril de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Nova vacina contra a covid-19 chega à população em 15 dias
11/03/2024 às 22h40

Blogs

Pé plano da criança e adolescente

                                                              

Vários pais tem procurado nosso consultório, trazendo seu filho para ser examinado, devido a criança ainda não ter formado o arco longitudinal medial do pé, o que chamamos de pé plano/ pé chato.

Mas o que é Pé Chato/Plano?

O pé plano é definido como o pé que apresenta o desabamento do arco longitudinal medial plantar durante o apoio de carga do pé, ou seja, em posição ortostática/posição de pé, suportando o peso do corpo.

Nestes casos, devemos durante o exame físico avaliar a mobilidade da articulação subtalar, que tem uma função importante no retropé.

Assim, na realização do exame físico de uma criança com pé plano, devemos procurar observar se o pé plano se trata de um pé plano flexível ou rígido.

Pé Plano Flexível é o mais comum, presente durante o crescimento da criança com boa evolução.

Pé Plano Rígido mais incomum, com rigidez da articulação subtalar e sem correção do arco plantar. Normalmente está associado à uma outra alteração como a coalisão tarsal (fusão ou ponte entre dois ossos, que compromete a articulação talocalcânea e/ou calcâneo-navicular).

O pé plano flexível pode ser parte do desenvolvimento normal, uma vez que, nas crianças até os 2 anos de idade, quase 100% delas não apresentam o arco plantar.

Normalmente, os pais procuram o ortopedista, na fase do desenvolvimento da marcha pela ausência do arco plantar. Em criança maiores, a queixa costuma ser a dor associadas a longa caminhada.

Portanto o diagnóstico é clinico, realizado através da anamnese e do exame físico bem feito, onde é possível diferenciar o pé plano flexível do rígido (patológico), usando alguns testes, como jack teste, colocar a criança na pontas dos pés em posição ortostática e até mesmo colocar a criança sentada (sem o peso do corpo).

As radiografias se fazem necessária em casos de pés rígidos, onde procuramos as fusões entre os ossos, ou então para medir os vários ângulos constituídos pelos ossos dos pés.

Com relação ao tratamento, iremos comentar a respeito do Pé Plano Flexível que é o mais comum e que traz grande preocupação para os pais. Normalmente este tratamento é baseado na informação aos pais a respeito do desenvolvimento da criança pequena e nestes casos não é necessário uso de botas ortopédicas, nem cirurgia.

Já nos casos de pés rígidos e dolorosos, devemos primeiro adotar uma mudança de estilo de vida, mudança nas atividades físicas, uso de sapatos rígidos, fisioterapia e analgésicos.

Em casos de Pés Rígidos dolorosos, sem melhora com condutas conservadoras e que impedem as crianças de realizarem suas atividades diárias, podemos pensar em tratamento cirúrgico.

Lembrando, cerca de 23% da população com pés planos, a maioria apresenta pés planos flexíveis. Apenas 9% da população com pé plano possui o pé plano rígido, entre os quais se estima que apenas 25% são dolorosos.

Portanto, o importante é acompanhar a criança e o adolescente no seu desenvolvimento para não tomar medidas precipitadas.

Fica a dica, na dúvida procure um profissional experiente.


Medicina & Saúde por Dr. Rogério Barboza

Rogério Barboza  é médico ortopedista, com área de atuação em trauma desportivo, ortopedia pediátrica, gestão em saúde e auditoria médica. Supervisor do programa de residência médica em ortopedia e professor especialista da disciplina de ortopedia do curso de medicina. Coordenador do Núcleo de Assistência do Pé Torto.

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]