Dólar com. 4.9703
IBovespa 0.58
01 de março de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel STF adia julgamento sobre revisão da vida toda do INSS
22/08/2022 às 15h58

Blogs

Dr.Hemerson Casado inicia uma cruzada pela ciência

Por Assessoria

Quem não conhece o Dr. Hemerson Casado, deveria conhecer. Ele foi cirurgião cardiovascular por trinta anos, mas há dez anos atrás, ele foi acometido por uma doença grave, neuro degenerativa, sem cura e sem tratamento específico, chamada de Esclerose Lateral Amiotrófica, (ELA). Quem pensava que ele ia parar, se enganou, ele colocou Alagoas no mapa mundial das doenças raras. Com o seu humilde instituto, revolucionou o Brasil. 

Com o seu simpósio internacional de ELA, já convidou mais de cinquenta pesquisadores internacionais e inúmeros brasileiros. A partir dos seus esforços junto ao ministério da saúde, conseguiu recursos para a construção do primeiro laboratório de Células tronco, especializado em ELA do Brasil, além de ter viajado para os principais centros de pesquisas do mundo e feito parcerias com os principais pesquisadores do mundo e, em terapias genéticas, celulares e desenvolvimento de novas drogas, além das parcerias com os profissionais que cuidam dos pacientes raros, como fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, nutricionista, terapeutas ocupacionais, neurologistas, geneticistas clínicos. 

Agora o Dr. Hemerson Casado,inicia um novo projeto, uma cruzada pela ciência . Esse projeto começou hoje, no Centro Universitário  Cesmac.  A palestra intitulada “A ciência a serviço da humanidade”. Essa revolução, que tem como objetivo estimular os estudantes de escolas públicas e privadas a desenvolver o projeto interesse, curiosidade e porque não dizer o amor pela sua ciência, através da construção de laboratórios de iniciação científica, em  convênio com as universidades federais, estaduais e privadas, olimpíadas de português, química, física e escolas de reforço em inglês para que os alunos das escolas públicas de baixa renda, possa corrigir o déficit, da principal língua estrangeira científica, feiras de ciência, municipais por região do estado e uma final estadual, estimular a  criação de laboratórios de robótica, inteligência artificial,  engenharia mecânica, elétrica, ciências da computação, metaverso, bigdata,  matemática básica e aplicada, engenharia ambiental e  florestal, energias renováveis, entre outros. Como também, prêmios para os alunos que se destacarem, em forma de bolsas de intercâmbio com instituições renomadas, como o  Massachusetts Institute of Technology, Google, Universidades de São Paulo, Oxford e Harvard, entre outras.

  Para o ensino superior, ele planeja organizar eventos de diversas áreas do conhecimento. Desde congressos, simpósios, seminários e workshops nas áreas de ciências humanas, e biológicas e exatas. 

O primeiro o primeiro hack med, hackathons de ofertas de cursos profissionalizantes e acadêmicos, concursos em inúmeras áreas, com premiações em bolsas de  intercâmbios científicos. E por último, a  construção do Polo de doenças raras, que será no campus da universidade Federal de Alagoas. Ideias são muito bem-vindas. A cruzada prevê ainda  a  criação de leis, criação de disciplinas, programas de residência em doenças raras, para todos os cursos da saúde, bem como cursos de pós graduação na especialidade e por último, um projeto para o  Brasil inteiro, chamado Brasil Nobel 2050, para criar uma geração preparada para concorrer e ganhar um prêmio Nobel. 

O intuito dessa iniciativa, é estimular a atração pelas diversas áreas da ciência, tecnologia e inovação , criar  as  bases, para o preparo de novos profissionais e aumentar o nível da ciência no nosso estado, que deixa a desejar e precisa melhorar. Para que vocês tenham uma ideia, o número de pesquisadores classe A é ínfimo em Alagoas, o número de patentes registradas no nosso estado é quase  zero, isso porque existe uma relação entre causa e  consequência nas linhas de pesquisas na  academia , no Norte Nordeste. Como a maioria dos investimentos, vão para as regiões Sul e Sudeste, os professores e pesquisadores, vivem em uma realidade que não se é permitido sair dos limites impostos pela realidade econômica, em outras palavras, não se é permitido ousar e essa realidade é transmitida diretamente para os alunos de pós graduação e para as linhas de pesquisas dos laboratórios, o resultado disso é pouca pouca produção científica e de qualidade baixa,. Isto é medido pelo baixo número de publicações em revistas de  alto conceito e o número baixíssimo de patentes. Não importa apenas aumentar os recursos, é preciso criar um ambiente favorável e uma  cultura que reflita esse anseio. 

“Eu não recebi uma missão divina para iniciar esse movimento, nem sou a pessoa mais preparada para liderar essa revolução. O que eu acredito é o que move e eu acredito que o desenvolvimento econômico, uma distribuição de renda mais igualitária, uma revolução cultural que refletirá no  comportamento de toda a sociedade, passa obrigatoriamente por uma revolução tecnológica, que irá criar a economia do conhecimento”, reforçou o Dr.Hemerson Casado Gama.


Painel Opinativo por Diversos

Espaço para postagens de opinião e expressão dos internautas

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]