Dólar com. R$ 4,132
IBovespa +1,58%
22 de setembro de 2018
min. 23º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Bolsonaro recebe alta de UTI semi-intensiva em hospital de São Paulo
06/07/2018 às 13h37

Blogs

Multinacionais na mira da Operação Lava Jato

Daurio Speranzini Jr/GE Heathcare/Divulgação


Executivos de empresas do setor-médico hospitalar e ex-secretário de Sérgio Cabral podem estar envolvidos em esquema de fraude bilionário


Licitações Fraudulentas

Daurio Speranzini  Jr. , CEO da General Eletric Healthcare para a América Latina foi preso  no Rio de Janeiro, em operação da “Lava Jato”. O executivo é suspeito de atuar em fraudes em licitação de equipamentos para o Instituto Nacional de Traumatologia, quando era diretor da área de serviços da Philips no Brasil.


Sobrepreço e Propina

Para o Ministério Público, um cartel de fornecedores internacionais cobrava sobrepreço para viabilizar propina. No comando das  ações estaria o empresário Miguel Iskin, grande distribuidor de material médico-hospitalar, parceiro de Sérgio Côrtes, dirigente do Into e secretário de Saúde no governo de Sérgio Cabral. Segundo matéria publicada em “O Globo” o esquema pode ter movimentado R$ 1,5 bilhão entre 1996 e 2017.


20 suspeitos presos

Speranzini , Iskin e outros dezoito envolvidos no esquema estão presos. Sérgio Côrtes foi preso no ano passado, mas desde fevereiro está em liberdade graças a um despacho do ministro Gilmar Mendes.


Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2018 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]