Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
09 de dezembro de 2019
min. 25º máx. 30º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel Centro tem horário especial em dezembro
16/09/2019 às 13h28

Blogs

Mínimo menor do que o previsto em 2020


Mínimo menor do que o previsto em 2020


A proposta de orçamento para o ano de 2020, divulgada semana passada pelo Ministério da Economia, prevê aumento do salário mínimo dos atuais R$ 998 para R$ 1.039 a partir de janeiro do ano que vem - com pagamento em fevereiro.


O valor está abaixo da previsão anterior, feita em abril, de que o salário mínimo avançaria para R$ 1.040 em 2020.


A explicação é que o governo previu a correção do salário mínimo do próximo ano apenas pela variação da inflação de 2019 - que, por conta do fraco ritmo de crescimento da economia, está menor do que a estimativa feita em abril.
A previsão do governo para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2019 ficou em 4,02%. Ao prever, em abril, salário mínimo de R$ 1.040 para o ano que vem, a previsão era de que a variação do INPC fosse de 4,19% neste ano.


Mesmo assim, essa será a primeira vez que o salário mínimo, que serve de referência para mais de 45 milhões de pessoas, ficará acima da marca de R$ 1 mil.

Contramão


Alagoas figura entre os estados do Nordeste que reduziram os crimes violentos neste primeiro semestre de 2019, segundo o Monitor da Violência do portal de notícias G1, divulgado semana passada, mas capenga na história contra a impunidade dos crimes de mando. O caso do Cabo Gonçalves mostra bem isso.


Dia 22 de agosto passado, a Justiça condenou o ex-coronel Cavalcante por ter contratado e participado diretamente da trama que executou com dezenas de tiros o Cabo PM José Gonçalves Filho, em maio de 1996. Mas absolveu, “por clemência”, Marcos Cavalcante, acusado de ser um dos autores materiais do crime.


Sem falar que o “mandante” (ou mandantes) continua livre.


Tipo, por aqui, ainda há “perdão” para quem mata e manda matar.

Nova Maceió


O prefeito Rui Palmeira (foto) lançou em agosto o Programa Nova Maceió, que investirá cerca de R$ 420 milhões em obras de infraestrutura em mais de 400 mil metros quadrados de pavimentação, mais de 40 mil metros de rede de drenagem pluvial e mais de 100 mil metros de rede coletora de esgoto. O trabalho começou na parte alta da cidade, na Avenida José Moura Rocha, principal via de acesso ao Conjunto Maceió I, no bairro Cidade Universitária. Os recursos desse programa são provenientes do Banco do Brasil, Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), Codevasf e da Prefeitura Municipal.

Sob a mira do MP

Vereadores e ex-vereadores de Maceió que já passaram pela Mesa Diretora da Casa nos últimos anos, devem ser investigados pelo Ministério Público Estadual por possíveis ilegalidades em progressão de salários de alguns servidores. Tramitam na Procuradoria Geral do Município vinte processos de pedido de aposentadoria de funcionários da Câmara com salários inflados em até dez vezes mais do que o valor contratado. Por exemplo, entra recebendo R$ 3,5 mil e quer se aposentar com R$ 35 mil. Entre essas pessoas, há ex-esposa de deputado, mãe de vereador, parente de toda ordem de políticos acostumados a usar o poder público para “acomodar” (bem) familiares.

Alagoas sediará convenção nacional da CVC em 2020


Alagoas será sede da convenção nacional da CVC em 2020. O anúncio foi feito semana passada durante encontro do governador Renan Filho e do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, com o presidente da empresa, Luiz Fernando Fogaça. O evento, que reúne os mais de 1600 colaboradores da empresa, projeta o Destino Alagoas para dentro e fora do país.


Pero si, pero no


O procurador-geral de Justiça de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça, não diz nem que sim, nem que não sobre a sua vontade pessoal de disputar o mandato de prefeito de Maceió em 2020. Mas é fato que anda estudando com afinco a possibilidade, inclusive vendo pesquisas na capital sobre onde pode se acolher partidariamente e politicamente. Há quem diga que ele tem mais chances de se unir ao prefeito Rui Palmeira do que ao governador Renan Filho. É aguardar o desenrolar da história.


Destaque


Secretário de Governo de Maceió, o vereador Eduardo Canuto (PSDB) vem se destacando tanto na articulação política junto à Câmara Municipal de Vereadores, como à frente das ações no caso dos bairros ameaçados de afundamento pela mineração da Braskem. Canuto tem assessorado diretamente o prefeito Rui Palmeira nas reuniões em Brasília com o Ministério das Minas e Energia, Ministério do Desenvolvimento Regional, CPRM e Agência Reguladora de Mineração e comandado, ao lado de Dinário Lemos, coordenador da Defesa Civil Municipal, os trabalhos em cada um dos locais atingidos, além de ter aberto canal direto com as lideranças desses bairros. É um nome forte do PSDB para disputar a prefeitura da capital na eleição do próximo ano.


*Francisco Sales, vereador de Maceió, confunde oposição com agressões gratuitas e irresponsáveis sobre a gestão municipal. Acha que atacar sem fundamento agrada ao eleitorado. Puro engano. Verá o resultado de sua histeria nas urnas ano que vem.


*Ex-deputado, ex-vereador, ex-prefeito e ex-governador de Alagoas por dois mandatos consecutivos, Ronaldo Lesa tenta arrumar o xadrez eleitoral em seu grupo político para sair candidato a prefeito da capital em 2020. Entre as pessoas que ele vem conversando, a ex-senadora Heloísa Helena.


*Cícero Almeida anda buscando algum pretenso candidato a pre­feito de Maceió que se habilite a tê-lo como vice. Na preferência dele, JHC e Alfredo Gaspar de Mendonça.


*Artur Lira tem dado as cartas no governo Bolsonaro, principalmente quando se trata de indicar os cargos federais em Alagoas. Marx Beltrão bem que tenta, mas não chega nem perto do poderio de Artur junto ao Palácio do Planalto.


*Cá pra nós, o programa “Remédio em casa”, lançado semana passada pelo governador Renan Filho como uma iniciativa pioneira no Nordeste, é igualzinho ao programa “Farmácia Cidadã”, lançado em 2013 pelo então governador Teotonio Vilela. Sem tirar, nem por.

Suicídio


O que leva alguém a tirar a própria vida?


O suicídio foi tema central da nossa edição de agosto e continuamos a cobrar o debate acerca do assunto, que vem preocupando Alagoas, o Brasil e o mundo. As estatísticas de pessoas se matando crescem paralelo ao indicador perverso da depressão, em especial atingindo jovens. A Painel Alagoas foi buscar a avaliação de especialistas e de pessoas que perderam familiares e amigos para a depressão. É preciso falar, sim, sobre suicídio, temos que ir ao esgotamento para encontrar respostas e alternativas que possam nos dar um canal, uma linguagem, uma comunicação direta para evitar tanta angústia a ponto de levar alguém a se matar. Só nos primeiros sete meses deste ano, a média de suicídios em Alagoas chega a cinco casos por mês. Entre 2014 e 2019, foram 625 pessoas que se suicidaram no estado. Como parar essa dor?


*Publicado originalmente na coluna Palanque na edição 32 da revista Painel Alagoas


Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]