Dólar com. 5,366
IBovespa -1,18
26 de setembro de 2020
min. 23º máx. 29º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Justiça absolve ex-prefeito de Feliz Deserto de acusação de improbidade
24/08/2020 às 09h08

Blogs

Os desafios das eleições municipais

Coluna Palanque da edição 39 da Revista Painel Alagoas

Fábio Pozzebom/Agência Brasil


Os desafios das eleições municipais


Sob a motivação da pandemia da Covid-19, o Congresso Nacional adiou as eleições municipais deste ano para novembro, mas candidatos e eleitores sabem que a diferença dessa disputa vai além da mudança de prazos eleitorais. O índice de óbitos por coronavírus no país tem caído em vários estados, embora o nível de contaminação ainda seja grande e, pela perspectiva da Organização Mundial da Saúde (OMS), essa situação ainda continuará pondo vidas em risco por um longo tempo. 


Então, o desafio de ambos os lados, candidatos e eleitores, é como dialogar no processo eleitoral. 


As redes sociais, que certamente serão o canal mais interativo para isso, estão contaminadas por fake news e campanhas de ódio, sendo até alvos de investigação pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ou seja, como acreditar em quem e no que via essas alternativas? Como o eleitor poderá saber que o que se fala ali é verdadeiro ou não? E como os próprios candidatos se comportarão diante da adversidade anônima que essas redes permitem? 


Os programas eleitorais também devem mudar seus formatos. Não haverá imagens de multidões ostentando apoio a esse ou aquele candidato, com abraços, apertos de mão e sorrisos estendidos nos lábios.  Então, como o eleitor se identificará dentro desse novo padrão? 


Porém o mais complicado vai ser convencer o eleitorado a ir votar, caso o vírus ainda esteja circulando com força em cada cidade. Já há previsão de que a abstenção será grande, principalmente do eleitor que a ciência considera grupo de risco nesta pandemia. 


Não será fácil, mas será feito.


É aguardar o desenrolar do cenário.


Bebeto, a contradição eleitoral 


O deputado estadual Cabo Bebeto (foto), do PSL, informou que vai apoiar a candidatura de JHC para prefeito de Maceió. Até aí, tudo certo, o que destoa desse apoio é o fato de o Cabo Bebeto, em Alagoas, ser o maior defensor do presidente Bolsonaro e subir no palanque de opositores ao seu Mito. JHC é um dos deputados federais de oposição a Bolsonaro, vota na Câmara Federal contra os projetos do Palácio do Planalto, e é presidente, aqui no estado, do PSB, partido que pediu oficialmente o impeachment de Bolsonaro. Coisas da política, resta saber se o eleitor de Bebeto, sobretudo o eleitor de Bolsonaro, vai entender essa aliança cheinha de contradições.  


Coerência política 


A ex-senadora Heloísa Helena (foto) é pré-candidata a vereadora em Maceió. Carrega em seu histórico político os mandatos de vice-prefeita da capital alagoana, deputada estadual, senadora e vereadora de Maceió por duas vezes consecutivas. Quem acompanha a trajetória de Heloísa sabe que ela defende os mesmos ideais desde sua primeira campanha eleitoral, em 1992, com Ronaldo Lessa. Nunca se juntou a grupos políticos com os quais diverge ideologicamente e continua a ter, como pauta, a defesa dos que mais precisam do poder público. Ela continua na Rede Sus­ten­tabilidade, partido que ajudou a construir ao lado de Marina Silva. 


O mi-mi-mi contra o apoio de Rui a Alfredo


Já rola pelas redes sociais um vídeo onde o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, critica os Calheiros. É a verdadeira pregação no deserto, porque o candidato a prefeito de Maceió que terá o apoio de Rui, não é o governador Renan Filho e nem o seu pai, senador Renan Calheiros, é o ex-procurador-geral de Justiça de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça. Tentar confundir o pleito não ajuda a democracia e muito menos a construir a política séria que o Brasil exige neste momento.

Prêmio Gestão Escolar


Mostrar como a escola pode se reinventar e fazer a diferença na vida de seus alunos e em sua comunidade, mesmo em um período de afastamento e isolamento social. Esta é a proposta da edição 2020 do Prêmio Gestão Escolar (PGE) - iniciativa do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), que está com inscrições abertas até o dia 15 de agosto. Este ano, a premiação evidenciará ações criativas adotadas pelas instituições de ensino da rede pública para dar continuidade à aprendizagem de seus estudantes, reconhecendo não só o gestor, mas toda a equipe escolar. As inscrições podem ser feitas pelo site http://agenciaalagoas.al.gov.br/premiogestaoescolar.com.br

Pesquisas: crer ou não crer?


Não é novidade surgir, aqui e acolá, uma pesquisa de intenções de votos com dados manipulados. Tem instituto de pesquisa que se notabiliza exatamente por isso, de dar peso a algumas candidaturas com o intuito de influenciar o eleitorado. E desde que isso começou a acontecer que, felizmente, a maioria dessas pesquisas acaba desmoralizada no fim da campanha ou, muitas vezes, ainda dentro da campanha. Autoridades e órgãos de fiscalização devem se manter atentos, haja visto que, pelo menos em Maceió, o desembesto já começou.

Urubus eleitorais


Em eleição, cada catástrofe pode ser um trunfo. O caso dos bairros do Pinheiro, Bebedouro, Mutange e Bom Parto, atingidos por um desastre provocado, segundo a CPRM, pela atividade de mineração da Braskem, mostra muito bem isso. O que já apareceu de “Salvadores da Pátria “para mobilizar a população desses locais e criar “movimentos”, é uma coisa absurda. Inventam protestos, reuniões, fazem notas, se dizem filhos dessas localidades, grande parte candidata a uma vaga na Câmara de Vereadores de Maceió. Vale quem fala mais alto e melhor mobiliza a mídia, porque resultado prático, nenhum. As soluções para o problema passam longe dessa zoada toda.

 


Ofensa de ex-ministro gera multa de R$ 50 mil


O ex-ministro da Educação Abraham Weintraub (foto) foi condenado a pagar uma indenização de R$ 50 mil em uma ação coletiva movida pela União Nacional dos Estudantes (UNE). O processo se deu após uma entrevista dada por ele ao programa 7 Minutos com a Verdade onde afirmou que as universidades públicas têm “extensivas plantações de maconha”. De acordo com a decisão da juíza Silvia Figueiredo Marques, a fala caracteriza ofensa à coletividade dos estudantes. A magistrada também afirma que por diversas vezes, o então ministro fez afirmações sem embasá-las em provas, “que, por óbvio, visavam denegrir a imagem dos estudantes”. 


Transparência pública


Maceió aparece na 4ª posição entre as capitais brasileiras com melhor desempenho no Índice de Transparência de dados do Covid-19. Dentre as ações de enfrentamento à covid-19, a transparência pública tem recebido atenção especial da gestão municipal e este esforço fez com que Maceió assumisse a 4ª posição entre as capitais brasileiras com melhor desempenho na avaliação de dados no boletim da Transparência Covid-19 2.0 da organização Open Knowledge Brasil (OKBR).

 

Vice definido


O pré-candidato a prefeito de Maceió, Alfredo Gaspar de Mendonça, é o único que já definiu o seu vice, Tácio Melo (foto), indicado pelo atual prefeito da capital, Rui Palmeira. Tácio é presidente do Podemos Alagoas e, na gestão de Rui, foi gestor da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Secretário Municipal do Trabalho, Abas­tecimento e Economia Solidária (Semtabes), Secretário Municipal de Governo, e superintendente municipal de Energia e Iluminação Pública. É policial rodoviário federal e bacharel em Direito.Não se pode dizer que a escolha do prefeito Rui Palmeira pelo nome de Tácio tenha sido uma mera questão política. A indicação do vice na pré-can­didatura de Alfredo passou principalmente pela qualificação do escolhido.

*Curtinhas*

*“Se estiverem discutindo a reforma tributária como a salvadora da pátria, em decorrência da pandemia, essa premissa não é verdadeira. Tudo no Congresso é pautado pelo lobby”. (Presidente da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip), Décio Bruno Lopes)

*Tem pré-candidato a prefeito e a vereador achando que enquetes nas redes sociais é pesquisa. Não é. Na verdade, nem chega perto.

*Tem partido político que é nanico mesmo. Não pelo número de filiados ou pela pouca ou nenhuma importância em instâncias de poder, mas pela pequenez de suas posições. E ainda lançam candidaturas ampliando o próprio descrédito.

*Em Maceió, a cultura terá um representante na disputa pela Câmara de Vereadores: Vinicius Palmeira, ex-presidente da FMAC. Ele é pré-candidato pelo PDT.*

*O Podemos Alagoas vai apostar suas fichas em Lucila Toledo para prefeitura de Cajueiro, Eustaquinho em Capela e Flávio Catão, em São José da Laje. Segundo pesquisas internas, os três têm grandes chances de vencer as eleições municipais deste ano. 


Aos leitores e anunciantes

A nossa última edição (foto) foi em março. Logo veio a pandemia da Covi-19 e decidimos só retornar quando a situação estivesse mais sob controle e as bancas de venda reabertas. Não foi fácil, como toda empresa tivemos prejuízo com a paralisação, mas decidimos seguir a ciência e resguardar os nossos funcionários e os nossos leitores. Afinal, impresso também estava sendo visto como um vetor de possível contaminação do coronavírus e, para a Painel Alagoas, a vida em primeiro lugar, sempre. Com a retomada gradual da economia, estamos de volta agora em agosto, esperando manter os nossos parceiros e os leitores de todos os meses. Mas avisamos que apesar de estarmos dando os passos para o “novo normal”, o vírus não foi debelado. Todo cuidado é pouco, faz-se necessário obedecer as recomendações das autoridades sanitárias, como o distanciamento social, o uso de máscara e a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel, especialmente. De resto, vamos juntos nos recuperando e acreditando que esta pandemia está com os dias contados.

 


*Publicado originalmente na edição 39 da Revista Painel Alagoas


Fonte: Painel Alagoas


Painel Político por Redação

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]