Dólar com. 5.2607
IBovespa 0.03
18 de maio de 2021
min. 23º máx. 30º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Com novas doses, Alagoas inicia imunização por idade simples a partir de 59 e 58 anos
22/02/2021 às 15h20

Blogs

Eleições 2022


 Eleições 2022

Começam agora as observações, articulações e possíveis alianças para as eleições do ano que vem. No alvo, o governo do estado e a renovação de uma das três cadeiras no Senado. Especular, é legítimo, e dentro dessas espe­culações colocaram um ingrediente novo, ou, pelo menos, mais visível a partir de agora, que é o deputado federal Arthur Lira (PP), presidente da Câ­mara Federal e apontado como o político de maior influência junto ao presidente Jair Bolsonaro.

 
Então, o que deseja Arthur Lira (foto) para 2022? Concorre à reeleição? Candidata-se ao senado ou ao governo? Seja lá o que o parlamentar tem em mente, uma coisa é certa: as definições da política eleitoral de Alagoas para o próximo ano passarão, inevitavelmente, por ele que, a propósito, elegeu um bom número de prefeitos e vereadores no interior do estado, ou pelo PP ou em parceria com o seu partido. Partido que, diga-se de passagem, ele tem total controle em Alagoas e bom trânsito na executiva nacional.

 
Resta saber, para que lado penderá o apoio de Arthur na eleição do próximo ano. De um lado, os Calheiros; de outro, a família Caldas, os Maia do deputado Davi, e o senador Rodrigo Cunha. O ex-prefeito Rui Palmeira, ainda sem partido, aguarda a leitura dos novos tempos para assumir alguma posição nesse jogo.


Por sua vez, o senador Collor mexe seus pauzinhos, ou melhor, sua comunicação na Organização Arnon de Mello, para atacar pretensos adversários e bajular possíveis aliados em 2022. Mas não se pode ignorar a presença de Collor no tabuleiro eleitoral do próximo ano.
O fato é que, agora, como dissemos acima, é o momento de observar – e avaliar – as jogadas.

 
Ah, o eleitor? Será lembrado durante a campanha eleitoral oficial para fotos, vídeos e votos, obviamente.

 

Vereador, presente

 
Vereador de primeiro mandato, Joãozinho (foto) tem se notabilizado pela presença constante nas ruas e junto às lideranças comunitárias. Filiado ao Podemos, o vereador já mostra que não chegou ao legislativo para brincar de poder político. E garante que vai transformar o que ouve nas comunidades em projetos de lei e ações para o município de Maceió.

 

Decadente


Está difícil para o senador Rodrigo Cunha (foto) se recuperar politicamen­te. A palavra que o define em comentários nas redes sociais e até mesmo em avaliações de analistas políticos, é decepção. Cunha teria vendido uma imagem de bom moço numa nova política, que ele não tem para entregar.

Presidente estadual do PSDB, viu a legenda se fragilizar durante sua gestão e ter uma participação minguada na eleição de 2020. O episódio envolvendo sua namorada Milane Hora e um cargo na secretaria municipal que ele indicou o titular, não caiu bem. Nem para ela, e muito menos para ele. E fazer o bê-á-bá que os outros fazem não o ajuda. Mas ainda lhe restam seis anos no mandato, vamos ver a que se destina esse tempo para o filho de Ceci Cunha.


PT X Bolsonaro


O ex-presidente Lula já indicou Fernando Haddad como candidato do PT à presidência da República em 2022. Novamente vamos ter no ringue PT e Bolsonaro, já que, até agora, as candidaturas propostas por outras legendas não alçaram voo, à exceção do governador de São Paulo, tucano Dória (foto), que armou palanque eleitoral com as vacinas contra o coronavírus.  Embora, o líder maior do PSDB, FHC, ande defendendo o nome do artista Luciano Huck para representar os tucanos na próxima disputa presidencial.


O contrário

 
O presidente da Câmara Municipal de Maceió, vereador Galba Netto (foto), é filiado ao MDB do governador Renan Filho, mas faz parte do grupo político liderado por JHC (PSB) e Rodrigo Cunha (PSDB), adversários dos Calheiros. Tem um pé lá, e outro acolá, mistérios da política que a ciência não explica.

 
Dúvida cruel


Hoje, se o governador Renan Filho precisar se ausentar do cargo, assume o presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, deputado Marcelo Victor (foto). Se Renan renunciar ao mandato ano que vem para se candidatar ao Senado, como apontam algumas previsões políticas locais, Marcelo será o governador de Alagoas por oito meses. Agora, haverá confiabilidade suficiente do governador para fazer uma aliança desse porte com o deputado? Ou Renan Filho se aquieta e fica no governo até o final? Quem aposta o que?

 *Nas redes sociais, senador Collor assumiu um personagem que não tem nenhuma relação com ele. Chegam a ser ridículas algumas postagens e comentários dele, como a pilhéria que fez sobre o caso da namorada do senador Rodrigo Cunha, que assumiria cargo na gestão JHC.


*A jornalista Zélia Cavalcanti assumiu a Secretaria Municipal de Turismo de Porto de Pedras. Ganha o município com uma profissional como ela, de extrema qualificação, compromisso e bom caráter.

 
*O ex-procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar, está exatamente onde ele gosta, na condução de um órgão de segurança pública, sempre na dianteira das missões policiais.

Legado de Rui

Na edição de dezembro passado, a Painel Alagoas trouxe uma entrevista com o então prefeito de Maceió, Rui Palmeira, sobre a Maceió que ele entregou ao povo e ao novo prefeito. Rui destacou a educação, com o avanço sistemático do Ideb, salários em dia, muitas obras em toda a cidade, o início do projeto De Frente para a Lagoa, e a transparência e moralidade na gestão pública da capital. Nessa mesma reportagem, os vereadores Eduardo Canuto e Cleber Costa avaliam os oito anos de administração de Rui. Ainda na revista, matérias sobre cultura, entretenimento e economia.

*Publicado originalmente na Coluna Palanque da edição 44 da revista Painel Alagoas


Painel Político

Notas e notícias sobre política e bastidores do poder

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]