Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
23 de outubro de 2019
min. 22º máx. 32º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel MEC divulga horário de provas do Enem em cada estado
20/09/2019 às 17h56

Blogs

Ao rei o que é do rei

Para refletir:

A política brasileira é lamentável. Não se encontra um político honesto e aqueles que assim são, raramente chegam ao poder e se conseguirem duas saídas lhes restam: sucumbir à corrupção ou serem destruídos pelos desonestos.


Ao rei o que é do rei

Pelé foi incontestavelmente o maior jogador de futebol do Mundo. É brasileiro, com muito orgulho. Seu nome dignificaria qualquer estádio esportivo. Acontece que as pessoas passam a dar palpites vazios sobre sua vida pessoal sem ao menos conhecer, mas apenas pelo que leu ou ouviu na imprensa. Roubou? Matou? Esteve envolvido em algum escândalo? Problemas com drogas? Corrupção? Diferente das “estrelas tatuadas” do esporte de hoje, nunca viveu de exibicionismo, nem ostentou sua riqueza e poder. Poucos conhecem onde mora, como mora e como vive. Nunca participou do espetáculo milionário do futebol exibido pelos grandes astros locais e internacionais. Vive hoje uma situação de saúde que praticamente o mantém em uma cadeira de rodas. Recatado e reservado, como sempre o foi, se mantém íntegro. Não se expõe. Não pediu para ter seu nome dado ao estádio de Alagoas. Só as mentes doentias, ignorantes e desprezíveis de deputados alagoanos, para propor e aprovar tamanha aberração, além de tudo inconstitucional – a retirada de seu nome da nossa arena desportiva - Acho até que a senhora Marta já deveria ter se pronunciado recusando um título que lhe é oferecido, sendo este ilegal, imoral e outorgado por aqueles que há muito não têm legitimidade para representar o povo alagoano. Pelé é incomparavelmente o rei mundial do futebol. Para honra nossa é brasileiro e motivo de orgulho para todos nós. Ou Alagoas não é Brasil? Chega de hipocrisia – ao rei o que é do rei.


Servidores sem aumento

O governador Renan Filho já encaminhou para a Assembleia Legislativa o Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2020, tendo sua publicação acontecido no Diário Oficial da última terça feira. Chamou a atenção das classes dos servidores públicos o fato de que nenhum reajuste de salário está previsto para qualquer categoria.

Sabe-se que o governador nunca viu com bons olhos o servidor público e sempre que tem oportunidade demonstra isto com perseguição e descaso para com aqueles que carregam nas costas as atividades públicas estaduais.

O secretário da Fazenda do governador, importado do Rio de Janeiro onde passou pelo governo estadual e deixou um rastro e denúncias de gestão irresponsável, desdenha dos alagoanos e impõe ao governador sua maneira de governar caolha e equivocada.

Diversas categorias representativas dos servidores estaduais estão se mobilizando, após conhecimento da não previsão de aumento, algumas já convocando assembleias para protestar. Provavelmente o governador não terá um final  e começo de ano de muito sossego. Quem planta colhe. 


É dando que se recebe

(BRASÍLIA) - O esforço para viabilizar a aprovação de Eduardo Bolsonaro à embaixada do Brasil nos EUA fez de Davi Alcolumbre (DEM-AP) o principal articulador do governo no Senado. Segundo dirigentes de partidos, o Planalto deu “todos os instrumentos” para que o presidente da Casa possa negociar com as bancadas. Ao contrário do que houve na Câmara, a liberação de cargos não está condicionada à reforma da Previdência.

A proximidade do presidente do Senado com os planos da família Bolsonaro passou a incomodar governadores de centro e centro-direita que apoiaram sua eleição para o comando da Casa. Alguns têm chamado Alcolumbre de “vice-presidente de fato”, numa ironia ao tamanho dos poderes que Jair Bolsonaro delegou ao democrata. Segundo dirigentes de partidos ouvidos pelo Painel, o presidente do Senado tem feito conversas individuais com senadores do centrão.


Podemos fortalecido ameaça MDB

(BRASÍLIA) - Pela primeira vez desde a redemocratização, o MDB pode perder o título de maior bancada do Senado. O Podemos, que teve Álvaro Dias concorrendo à presidência da República acaba de chegar à marca de dez senadores, segue arregimentando novos parlamentares. Segundo o próprio senador mais quatro senadores já demonstraram a intenção de ir para o partido e podem acertar a filiação nos próximos dias. O número é suficiente para a sigla ultrapassar o MDB e sair na frente da briga pelo comando no Senado em 2021. Os emedebistas ocupam 13 cadeiras na Casa.

Sob a liderança de Álvaro Dias, que passou a defender o discurso de renovação política nos últimos anos, o Podemos começou o ano com oito senadores. Mas, no mês passado, tirou Marcos do Val (ES) do Cidadania. E, nesta semana, conseguiu filiar o senador Reguffe (DF, que estava sem partido desde a saída do PDT, em 2016. Fala-se que os possíveis quatro senadores que ingressarão no partido todos são da base aliada de Bolsonaro.


Sangue novo e competente

O jovem administrador Moacir Teófilo, secretário-executivo do gabinete da Prefeitura de Arapiraca, tem se revelado um competente articulador na política e na atividade pública. Herdou do pai o gosto pela política e a competência na gestão das atividades públicas. Do avô, o patriarca Moacir, o censo de organização e a maneira de aglutinar e somar forças quando se trata da defesa de sua terra. Tem sido um importante reforço na administração municipal e está à frente de grandes projetos para o desenvolvimento do município e região. Diligente nas ações de gestão tem mirado principalmente as áreas de saúde, educação e desenvolvimento econômico de Arapiraca.


Uma nova Maceió

Tenho dito aqui e vou repetir: o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, sairá da prefeitura de Maceió com uma excelente avaliação da população, principalmente aquela desassistida por anos e que já começa a sentir a chegada de realizações de grande porte focadas na mobilidade urbana, desenvolvimento com responsabilidade e serviços públicos de qualidade.

A partir de agora passa a investir pesado em obras há muito reclamadas pelos bairros periféricos da capital.

Esta semana assinou ordem de serviço para início das obras do prolongamento da Avenida Doutor Fernando Couto Malta, que receberá o nome de Avenida Humberto Gomes de Barros, e da duplicação de um trecho da Avenida Cachoeira do Meirim II, que dá acesso ao Conjunto Graciliano Ramos.

A obra faz parte do Programa de Urbanização Nova Maceió e será executada com recursos financiados pelo Banco do Brasil. A previsão é de que em seis meses as vias estejam concluídas e entregues para a população.


Mentiras sobre as ONGs

No governo Bolsonaro, as ONGs, especialmente as ambientais, já foram acusadas pelo presidente de estar por trás dos incêndios recentes na Amazônia. Foi publicado recentemente, que há muitas ONGs na Amazônia e nenhuma no Nordeste. Pura conversa fiada.

Das 820.455 ONGs no país, de todas as áreas de atuação, apenas 8% delas estão na região Norte e 12,9% na chamada Amazônia Legal (que compreende, além dos estados do Norte, o Maranhão e Mato Grosso). No Nordeste, são 205.182 organizações.

A maioria das organizações não tem a conservação ambiental como objetivo principal. Na Amazônia e no restante do país, quase a metade delas declara como foco o desenvolvimento e a defesa de direitos. 

Outro dado importante: apenas 3% das ONGs no país acessam recursos do governo federal. (Dados colhidos junto ao IPEA).


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]