Dólar com. 5.8755
IBovespa -3.98
08 de março de 2021
min. 25º máx. 31º Maceió
sol com poucas nuvens
Agora no Painel 124.729 alagoanos já foram vacinados contra a Covid-19
29/01/2021 às 13h47

Blogs

E aí, vai de pudim ou brigadeiro?


PARA REFLETIR

O governo Bolsonaro consumiu em 2020, em torno de 7 mil latas de leite condensado por dia. Será que foi para alguma “Fantástica Fábrica de Chocolates”? 

E aí, vai de pudim ou brigadeiro?

Uma ampla reportagem publicada esta semana em vários veículos da imprensa brasileira, mostrou que o governo federal gastou R$ 1,8 bilhão em alimentos durante o ano de 2020. Com uma ampla relação de artigos alimentícios de luxo e em quantidade incompatível com o consumo, o assunto chamou a atenção nas redes sociais. 

A notícia caiu como uma bomba, principalmente no exato momento em se denuncia o governo Bolsonaro pelo desmonte das políticas de segurança alimentar e nutricional e soberania alimentar. Nesse sentido, esse desmonte vai ao encontro do agravamento das condições de vida da população pobre, que ficou completamente desprovida de assistência, gerando, assim, um quadro de crescimento da pobreza e abandono",

Não é preciso esforço para se perceber que “o dinheiro gasto nas referidas compras não guarda sintonia com a natureza, nem tampouco com a quantidade de pessoas que porventura consumirão os produtos, o que indica ocorrência de prática criminosa “, ressalta uma liderança política aliada do governo. Ciro Gomes, a maior liderança nacional do PDT declarou: “Já entramos com a ação no Supremo Tribunal Federal pedindo investigação sobre os gastos absurdos de Bolsonaro. Leite condensado aos milhões enquanto falta oxigênio? Que os responsáveis sejam punidos!

O deputado David Miranda (PSOL-RJ) protocolou uma ação pedindo que o procurador-geral da República, Augusto Aras, investigue o absurdo gasto. O parlamentar solicita que o órgão apure o ocorrido e responsabilize o presidente Jair Bolsonaro. A ação também é assinada pelas deputadas Sâmia Bomfim (PSOL-SP), Fernanda Melchionna (PSOL-RS) e Vivi Reis (PSOL-PA) e vários outros, inclusive alguns da base do governo.

"Bolsonaro gastou mais de R$ 1 bilhão 800 milhões de reais em mercado. Isso só em 2020. O Brasil não estava quebrado? Quantos cilindros de oxigênio esse valor compraria? Isso é lavagem? Superfaturamento?", questiona o deputado.

A lista de compras é de espantar. Também há R$ 5 milhões na compra de uvas passas, R$ 1 milhão em alfafa, R$ 15 milhões em açúcar, R$ 16,5 milhões em batata frita embalada e R$ 14,8 milhões em temperos.

Enquanto isso a gestão Bolsonaro realiza um conjunto de fatores desastrosos que vão desde a ineficiência do governo federal no enfrentamento das crises ora instaladas, passando pelo aumento do desemprego e cortes de orçamento da agricultura familiar, até as políticas neoliberais e ultra neoliberais fomentadas pelo Ministério da Economia que geram o crescimento da pobreza e da extrema pobreza de forma acelerada.

"Tal situação de caos e fome, aliada à atual crise sanitária decorrente da Covid-19, evidencia mais ainda o grau de desigualdade, o grau absurdo de pobreza e falta de condições da população trabalhadora de viver uma vida digna”, ressalta Miranda.

De quem o governador gosta?

O governador e seu pai senador já são conhecidos dos alagoanos pela prática que ambos têm de “descartar” aqueles que lhes serviram ou que lhes foram leais por longos tempos. Tratam pessoas como se fossem propriedade suas e que se tornaram “inservíveis” e para que isto aconteça basta ousar contrariar. Adoram pessoas servis, bajuladores e lambe botas da política. E assim cresceram e se mantêm no poder. O caso mais emblemático foi com o então vice-governador e hoje prefeito de Arapiraca, Luciano Barbosa, em cujo final o tiro saiu pela culatra, abatendo pai e filho. 

O govenador vai além: mantém uma relação de humilhação com políticos do interior e detesta o servidor público. Essa conta será ajustada em 2022.

Cuidando dos idosos

Com o objetivo de ampliar o atendimento para a imunização contra a Covid-19, a Prefeitura de Maceió criou mais um canal para cadastramento dos idosos acamados acima dos 85 anos. Além do telefone 3312-5589, também poderá ser utilizado o e-mail [email protected] Os dois serviços estarão disponíveis desde ontem (28), das 8h às 17h.

Vale ressaltar que este serviço é exclusivo para os idosos acamados que têm 85 anos ou mais. Os usuários que possuem mais de 85 anos e não são acamados devem se direcionar, das 10h às 16h, ao drive-thru do Estacionamento do Jaraguá e aos pontos fixos nos estacionamentos dos shoppings Maceió (Mangabeiras) e Pátio (Benedito Bentes).

Cadeia neles

Três projetos de lei apresentados nesta semana no Senado determinam a prisão de quem furar a fila para tomar a vacina contra o novo Coronavírus. As penas sugeridas variam de três meses a seis anos, além de multa. As proposições dos senadores Daniella Ribeiro (PP-PB), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Plínio Valério (PSDB-AM) ainda não foram numeradas pela Secretaria-Geral da Mesa.

O projeto de Daniella Ribeiro altera o Código Penal (Decreto-Lei 2.848, de 1940) e o Programa Nacional de Imunizações (Lei 6.259, de 1975). O texto prevê pena de um mês a um ano contra os “fura-filas”. O mesmo vale para quem permite, facilita ou aplica a vacina contra covid-19 em pessoa que sabidamente não atende à ordem de vacinação estabelecida.

A parlamentar defende ainda que o infrator restitua o valor do imunizante ao poder público e pague multa de R$ 1,1 mil. Quem burlar a ordem de vacinação também fica proibido de ingressar em cargo, emprego ou função pública por dois anos, quem já está perde o cargo. A matéria será votada em regime de urgência.

Paripueira à frente 

Em mais uma gestão à frente do município-balneário de Paripueira o prefeito Abraão Moura começa do jeito que gosta: muito trabalho e operar transformações para o povo que o elegeu. Escolheu a dedo uma equipe   aguerrida, com destaque para um jovem craque, com muita experiência exitosa por onde passou, na atividade pública: o administrador Antônio Moura que começa a dar uma “roupagem” na cidade, que será referência exemplar para o turismo da região Norte. Podem anotar.

Um troco

De repente a Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios resolveu atuar no desempenho do papel que lhe cabe, fiscalizar os atos administrativos da gestão municipal. O inusitado por parte dos legisladores palmeirenses é que após eleitos, alguns neófitos e outros vindos de outras legislaturas nunca tiveram uma preocupação tão grande com o dinheiro do povo que representam.  Achei louvável a iniciativa fiscalizatória dos edis conterrâneos, pois nunca é tarde para se começar. No entanto conversando com um político local este resumiu para mim a história: “Estão pressionando por um “troco”, mas o prefeito aguenta aperto”. Agora entendi.

Pílulas do Pedro

Palmeira dos índios torce pela ascensão do deputado Marcelo Victor ao Governo do Estado. E acredita em reeleição. 

Ministério Público de olho nos que furarem filas de vacinação. Quem souber denuncie! (82) 2121-1400.

Direita isenta Bolsonaro e culpa Forças Armadas e Indígenas pelo consumo de Leite Condensado. 


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]