Dólar com. 5.6107
IBovespa 0.35
15 de abril de 2021
min. 25º máx. 29º Maceió
pancadas de chuva
Agora no Painel Operação desarticula organização especializada no tráfico de drogas em Anadia e Maceió
20/03/2021 às 10h00

Blogs

A mentira tem pernas curtas

 

Para Refletir:

“Se Bolsonaro não mudar, nem o Nobel da Medicina resolverá”. ( Covid 19)


Lamentavelmente a ex-futura ministra da Saúde, Ludhmila Hajjar, faltou com a verdade ao anunciar sua “recusa” ao convite de Bolsonaro para ocupar o cargo.

Antes de declarar publicamente que diferenças técnicas colocaram ponto final na possibilidade de se tornar ministra da Saúde, a cientista escreveu um texto ao presidente dizendo estar "pronta" para estar "alinhada 100%" com ele.

Na mensagem, da noite de domingo (14), a cardiologista se defendia de um áudio que circulava e minimizava temas caros ao bolsonarismo, como a resistência ao lockdown e a defesa do uso de cloroquina.

O recado sugeria que, apesar de pensamentos diferentes estava disposta a ser leal ao presidente. E que poderia ser demitida caso não cumprisse sua palavra

A amigos ela disse que a incumbência de assumir a pasta e de ajudar o Brasil a sair do colapso era muito grande e que seria possível fazer isso driblando enfrentamentos.

Ludhmila se encontrou com Bolsonaro na tarde do domingo, por volta das 14h. Na reunião, entre outros assuntos, eles falaram sobre um áudio que circulava com uma voz feminina chamando o presidente de psicopata. A voz foi atribuída à médica.

Orientada a falar a verdade sobre o episódio, ela negou no Palácio do Alvorada que fosse a autora da declaração. 

Depois que saiu da reunião, que tinha sido inconclusiva, já de noite, Bolsonaro avisou a colegas da médica que sua suposta "inteligência", seus assistentes, tinham analisado e concluído que o áudio seria, sim, de Ludhmila, o que abalava a confiança nela, dando a entender que a nomeação seria inviável. Não era ainda uma decisão tomada.

Além do áudio, a repercussão entre eleitores já era muito ruim a essa altura.

Bolsonaro admitia a aliados que a pressão da base estava muito grande e que estava tomando muita pancada.

Políticos e autoridades tentaram agir. Eles tentavam convencer o chefe do Executivo de que ela era o melhor nome para a função. Enquanto isso, parlamentares bolsonaristas silenciavam.

Ela contava com o apoio de vários políticos, como Fábio Faria (Comunicações) e Arthur Lira (PP-AL).

Ao responder sobre o que deu errado, ela citou "falta de linhas de convergência".

"Acho que o presidente ficou muito preocupado de a minha gestão não agradar alguns grupos ao mesmo tempo de eu sofrer muitos ataques de outros por, realmente, pensar um pouco diferente de algumas linhas", disse.

médica declarou  que foi alvo de ameaças e que teriam tentado invadir o local em que estava hospedada em Brasília. O hotel negou.

A doutora mentiu e Bolsonaro acertou. (Com informações da Folha de São Paulo).

Marx Beltrão

O deputado Marx Beltrão tem cumprido permanentemente extensa pauta em defesa de Alagoas, em Brasília. Considerado o parlamentar mais atuante da bancada do estado, tem tido propostas para preservar os direitos individuais e atuado com muita assiduidade no trabalho de plenário e comissões colaborando, decisivamente no desempenho de um mandato proativo. Na pauta política sabe “costurar” com eficiência um caminho que certamente o fará protagonista nas próximas eleições. Dono de uma enorme quantidade de redutos eleitorais, quer ampliar essa rede e certamente conseguirá. Ninguém se surpreenda com uma disputa majoritária no futuro.

Em Palmeira 

O prefeito Júlio Cezar vai acalmando a rebeldia da Câmara de vereadores e tocando pra frente o seu segundo mandato. O município segue liderando no assunto vacinação da população e por outro lado a cidade se faz um canteiro de obras para tornar melhor a vida dos palmeirenses.

Os investimentos se fazem notar na infraestrutura, saúde e educação de qualidade para as crianças e jovens palmeirenses.

Não gostaram

Insatisfeitos com a escolha do cardiologista Marcelo Queiroga para o Ministério da Saúde, parlamentares do centrão discutem dificultar pautas do governo na Câmara depois de o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter ignorado as sugestões do bloco para o comando da pasta.

A indicação de Queiroga teve o explicito apoio de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), primogênito do presidente.

Deputados da base aliada, como do PP e do PL, defenderam a necessidade de o bloco partidário dar um recado público ao presidente.

Estão em discussão desde a aprovação de requerimentos de convocação de integrantes da equipe ministerial em comissões temáticas como o atraso na votação de medidas consideradas prioritárias pelo governo.

Tem gato na tuba

O Ministério Público de Alagoas detectou algumas inconsistências nas contas da Secretaria Municipal de Saúde de Maceió, efetuadas na gestão anterior e está requisitando ao órgão a “prestação de contas dos gastos relacionados à Covid 19, no ano de 2020, referentes à locação de equipamentos e despesas com recursos humanos em que foram utilizados  o auxílio financeiro  da União, repassados ao Fundo Municipal de Saúde”.

O autor da ação é o diligente promotor de Justiça, Marcus Rômulo, que deseja usar sua “lupa moralizadora”, em buscas de possíveis desvios.

Pelo menos três itens chamaram a tenção do Ministério Público em função do alto valor correspondente: Despesas com recursos humanos, locação de equipamentos e aquisição de medicamentos. Há também repasses que chamam a atenção para um único Hospital de Maceió, em relação aos demais.

O promotor de imediato e diante da gravidade fez comunicação ao Ministério Público de Contas e Ministério Público Federal.

Foram quase 50 milhões de reais recebidos diretamente nos cofres da Secretaria Municipal de Saúde, que necessitam ser investigados, com todo rigor.

Além de queda, coice

O vereador Leonardo Dias não contava com essa em seu início de mandato: está sendo investigado pelo Ministério Público que adotou providências para apurar possíveis infrações ou crimes cometidos durante manifestação, ocorrida no domingo (14), nas proximidades de uma unidade de vacinação contra a Covid-19, montada em estacionamento no bairro do Jaraguá, em Maceió.

Os promotores entenderam como agravante a concentração do ato ter sido em local de vacinação contra a Covid-19, gerando, conforme o detectado nas mídias sociais, bloqueio da passagem dos usuários na ocasião, pessoas idosas. O prefeito JHC apontou possíveis culpados e o vereador em questão vestiu a carapuça.

Já na Câmara Municipal o PDT apresentou denúncia formal contra Leonardo Dias, pedindo a cassação de seu mandato por quebra de decoro parlamentar.

Um detalhe chama a atenção: o parlamentar mirim, que busca sempre um “flash” ganhou um bom espaço na mídia.

Pílulas do Pedro 

Governador Renan Filho, se consolidando no ranking nacional de atuação no combate a Covid 19.

Thiago Falcão, presidente da ABRASEL/AL é um líder respeitado e responsável. Tem ajudado muito nesses tempos de pandemia.

As medidas restritivas doem, incomodam, mas sem elas a dor de perdas será bem maior.


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]