Dólar com. 5.166
IBovespa 0.58
17 de agosto de 2022
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Câmara aprova reajuste linear de 4% para todos os servidores públicos municipais
23/01/2022 às 16h40

Blogs

Quem vai governar Alagoas?

PARA REFLETIR

“Os políticos não conhecem nem o ódio, nem o amor. São conduzidos pelo interesse e não pelo sentimento”.(Philip Chesterfield)


Quem vai governar Alagoas

Mesmo sem nenhum nome lançado oficialmente ao governo de Alagoas, nas eleições de 2022, as tratativas de bastidores e especulações mostram potenciais pretendentes à cadeira de Renan Filho a exemplo de Paulo Dantas, Rodrigo Cunha, Rui Palmeira e o prefeito de Maceió, JHC, além de outros de menor estatura.

Quais as chances de cada um dos pretendentes, hoje se podem avaliar assim: o de maior visibilidade é o prefeito da capital, com uma administração bem avaliada e com destino e vocação política testada e aprovada, mas dificilmente aceitará “cortar” o mandato e ainda correndo risco de naufragar o seu projeto político (mas em política tudo pode ) Paulo Dantas, que tem o apoio do palácio do governo, vai entrar para terminar o mandato de Renan Filho, por via indireta e tem chance de emplacar sua candidatura a reeleição, porem há pedras no meio do caminho. Terá que fazer um bom governo tampão para passar no teste do voto (se a Assembleia deixar) e precisa se fazer conhecido, pois o seu circulo de visibilidade ainda é restrito na capital e interior (fora o seu pequeno território político); Rodrigo Cunha, o mais bem avaliado nas pesquisas ( depois de JHC), corre livre, leve e solto na disputa ao governo, sem colocar em risco o mandato de senador. Eleito com uma votação recorde em 2018, deixou a desejar em alguns aspectos do seu mandato, mas nada que não possa ser corrigido com um bom marketing e a sua maneira competente de fazer política. Se formar uma frente robusta, poderá ser o próximo inquilino do palácio Zumbi dos Palmares. A candidatura de Rui Palmeira ainda é um enigma, pois terá dificuldade de formar um entorno de apoios capaz de assegurar cacife para a disputa, mas com a capilaridade da capital é um trunfo que não se pode desprezar.

O tempo começou a correr e já está se findando o primeiro mês do ano. A politica tem pressa, mas qualquer coisa só vai acontecer quando o governador Renan Filho decidir seu destino, o que se espera seja nos próximos dias. Todos dependem dele.

Prefeito sob pressão

 O prefeito JHC apesar de muito jovem, tem uma caminhada política bem maior do que muitos velhos caciques. Sua habilidade o fez deputado estadual, federal e deu a vitória nas últimas eleições, sem jamais precisar de padrinho político. É exímio aglutinador e pensa muito à frente de seu tempo. Não tem falado publicamente, ou mesmo para seu entorno a sua decisão sobre uma candidatura ao governo do estado. A pressão tem sido grande, até mesmo a nível nacional para que entre no jogo, pois todos querem um palanque com JHC na disputa presidencial. Tem pouco tempo para se definir e não pode errar. Se acertar consolida seu projeto e vai assumir por completo  comando da política de Alagoas, por muito tempo. Se errar interrompe toda sua caminhada vitoriosa e terá muita dificuldade de reconstruir o tempo perdido. Ele, com certeza, já sabe o que quer e como quer, mas só vai dizer, nos últimos minutos do tempo regulamentar.

Pelas tabelas

O senador Weverton Rocha (PDT-MA) usou suas redes sociais para prestar apoio à candidatura do ex-presidente Lula, abandonando desta forma o candidato de sua sigla, Ciro Gomes, que não consegue ultrapassar os dois dígitos nas pesquisas de intenção de voto. 

Internamente, a candidatura de Ciro está em crise. Deputados do partido avaliam que sua candidatura ao Palácio do Planalto empacou e não terá mais crescimento nas pesquisas. Eles ainda temem o risco de não se reelegerem.

Presidente do PDT, Carlos Lupi está sofrendo pressão de deputados que o abordam com essa inquietação. A resposta é sempre a mesma: a sigla vai com Ciro até outubro. Para o dirigente, a candidatura vai deslanchar. É possível que se continuar caindo, Ciro seja forçado a desistir. 

PSB com Lula

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), diz que as discussões de seu partido com o PT sobre apoios recíprocos em estados considerados chave não podem ser um fator impeditivo para uma "ação maior", que é a aliança com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições de outubro.

"Tenho um otimismo grande de que será possível fazer essa aliança no âmbito nacional e continuarmos discutindo questões locais. Mas as questões locais não podem nunca ser impedidoras de uma ação maior que, no entendimento hoje, é estarmos muito unidos em torno da candidatura do presidente Lula"
Vice-presidente nacional do PSB, ele faz elogios a Geraldo Alckmin e diz que não haverá obstáculo por parte de seu partido caso o ex-governador de São Paulo decida se filiar à legenda e Lula queira o ex-tucano como candidato a vice.

Os enganadores digitais

Com o escancarar das redes sociais para todo tipo de gente, não tardou para acontecer uma invasão de “picaretas digitais” que trouxeram a público o ridículo de seus cotidianos, as palhaçadas sem graça, as tragédias e muitos, suas “intimidades  de alcova”, alguns chegando a expor a própria mãe e a família, na busca desenfreada de caçar seguidores , que diante da alienação nacional, caíram na onda e se juntaram a milhões com os mesmos raciocínios parcos.

Os planos de Dantas

Li há poucos dias que o provável governador Paulo Dantas, caso aconteça o afastamento de Renan Filho, já estaria convocando especialistas e “doutores”, para trabalhar em um plano de governo a seu modo, para os próximos anos em Alagoas. Espero que ele esteja falando em uma possível candidatura à reeleição e não para os poucos meses que lhes restarão à frente da gestão. Só há uma maneira de Dantas alcançar êxito em seu mandato: dar seguimento ao programa traçado por Renan Filho e realizar toda a programação, ressaltando que está ali cumprindo o papel da dar sequência, ao governo que mais realizou nas últimas décadas, em benefícios para a capital e todos os municípios do interior. A população vai cobrar essa postura.

Pílulas do Pedro

Fizeram de tudo para tirar o comando do PSD de Rui Palmeira. Jogaram baixo e sujo como sempre, mas venceu o caráter.

Heloisa Helena bateu o martelo. É candidata a deputada federal pelo Distrito Federal, com muita chance de eleição.


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2022 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]