Dólar com. 4.9703
IBovespa 0.58
01 de março de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel STF adia julgamento sobre revisão da vida toda do INSS
30/06/2023 às 17h30

Blogs

Denúncias caluniosas


PARA REFLETIR - “A vida é um meio político, mas a política não pode ser um meio de vida, como é para alguns”.

Denúncias caluniosas

De repente estão aparecendo ações de denuncismo em alta escala, contra pessoas e instituições, algumas verdadeiras e outras carentes de sustentação.

São os sinais dos tempos de reação às ações de importunação moral, sexual, preconceitos e outros tantos ataques a pessoas de qualquer gênero.

O grande problema é que junto a essas reações contrárias surgem também inúmeros casos de denúncias infundadas, com o objetivo de chantagear e obter vantagens e aí é que mora o perigo. Pessoas idôneas são expostas, suas reputações atingidas e marcas que se perpetuam em suas vidas e de seus familiares.

Agora mesmo segue em apuração sigilosa um rumoroso caso de denúncia assédio moral e sexual, por parte de um aluno do curso de Medicina da Universidade Federal de Alagoas, contra um professor da instituição. Em contraponto tanto o corpo docente da faculdade e o diretório dos estudantes

vieram a público, com notas contundentes inocentando o professor e com graves acusações ao aluno denunciante.

Não se sabe como o caso vai findar, mas reputações já foram arranhadas.

Pagando o pato

O secretário estadual de Saúde, Gustavo Pontes de Miranda tem tido uma missão espinhosa na condução da pasta por erros ocorridos no passado e aos quais teve que assumir. Não bastasse os débitos quase impagáveis que o antecessor deixou, outro abacaxi se refere a explosão de uma folha de pagamento de pessoal totalmente desmedida, com lotações nos vários hospitais inaugurados, alguns chegando quase ao dobro do necessário para o perfeito funcionamento. O período eleitoral do ano passado foi que aconteceram as nomeações absurdamente excessivas. Ao secretário Gustavo não resta outra medida que não seja demissão sumária.

Não foi bem assim

Narra um bem informado colunista local que o senador Renan Calheiros declinou de participar da CPI dos atos antidemocráticos, por conveniência própria e que não teve interesse. A história certa tem outra versão: ele queria sim, participar da comissão, em busca de repetir o protagonismo que obteve na CPI da Covid.

Acontece que soube a tempo que o poderoso deputado Arthur Lira, já havia dito, em uma reunião de lideranças, que vetaria o seu nome para o colegiado aí se apressou em retirar sua pretensão.

Vinicius Lages

O brilhante executivo Vinicius Lages, laureado por onde tem passado em sua caminhada profissional, ao assumir a Superintendência do Sebrae.AL, empreendeu mudanças importantes na instituição, modernizando métodos de gestão e com maior visibilidade diante de parceiros e da sociedade.

Bem articulado e com conceito nacional, tendo já assumido o cargo de Ministro do Turismo e importantes funções em Brasília, acaba de ser eleito vice-presidente da Associação Brasileira dos Sabraes estaduais, onde certamente emprestará o brilho de sua capacidade inovadora e proativa.

Prefeito agiu

A oposição enraivecida se apressou a culpar o prefeito JHC pela possibilidade da instalação de um terminal de Acido Sulfúrico, no Porto de Maceió e por conta disso não faltou quem fizesse críticas.  A bem da verdade o prefeito assim que tomou conhecimento dos efeitos danosos possíveis de acontecer, por conta de uma aprovação irresponsável de um ex-secretário seu, mandou revogar o ato e apurar o que levou o órgão a conceder a conturbada autorização.

Perto de casa

(BRASÍLIA) -O Projeto de Lei 1137/23, do deputado Antonio Carlos Rodrigues (PL-SP), determina que o preso em regime semiaberto deverá ser transferido para penitenciária próxima ao local onde tiver obtido proposta de trabalho. Em tramitação na Câmara dos Deputados, o texto estabelece ainda que a transferência será acompanhada pela assistência social do presídio e dependerá da prévia anuência do preso

Será que esses deputados não têm mais o que fazer?

Todos contra todos

(BRASÍLIA) - O presidente da Câmara, Arthur Lira, criticou mais uma vez o papel das chamadas bigs techs à época da votação que dificultaram a aprovação do texto pelos deputados. "Sem a regulamentação legislativa do novo ambiente informacional no Brasil, viveremos um estado de todos contra todos, numa apreensão sectária da realidade, com uma polarização que não vai permitir a realização de consensos", criticou.

Ele também reafirmou que pretende fazer uma semana de votações intensas no Plenário a partir do dia 3 com a votação, entre outras pautas, das alterações do Senado do novo marco fiscal e da reforma tributária.

Pílulas do Pedro

Alagoas perde enquanto seus políticos trocam acusações e conspirações. Eles só pensam naquilo.

O deputado Alexandre Ayres sofre desconforto no plenário da Assembleia, por conta de sua gestão na Secretaria de Saúde, que o elegeu.


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]