Dólar com. 5.6107
IBovespa 0.35
15 de abril de 2021
min. 25º máx. 29º Maceió
pancadas de chuva
Agora no Painel Operação desarticula organização especializada no tráfico de drogas em Anadia e Maceió
06/04/2021 às 09h00

Blogs

Deputado do MDB é chamado de escroque em whatsapp e parte para briga extrajudicial

 

Uma arenga em um grupo de whatsapp do MDB, acabou se tornando alvo de ações extrajudiciais. E envolve, nada mais, nada menos, do que o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) e um dirigente do partido no Paraná, Bruno Kafka.

O motivo: irritado, Terra não gostou de ser comparado pelo correligionário a um “escroque” e transformou o caso numa briga extrajudicial. Já Bruno, não arredou pé do que falou e reagiu também extrajudicialmente:

"Venho por meio desta notificação comprovar que o Deputado (Osmar Terra) é, sim, um escroque", escreve Bruno. E abre o caminho para justificar sua posição: "Para isso, é necessário lembrarmos a atuação do Deputado frente à pandemia."

É que, em um de seus pronunciamentos mais célebres, o deputado disse, em março de 2020, que a covid-19 não mataria mais que a H1N1 no país, que tirou a vida de 2.098 pessoas. Hoje, o país tem quase o dobro destas mortes por dia, e passou das 330 mil mortes pela doença na data de ontem, 5 de abril.

E segundo levantamento do Radar aos Fatos, publicado em abril do ano passado no portal Congresso em Foco, Osmar Terra foi o parlamentar que mais publicou fake news sobre a covid no Brasil.

Ou seja, Osmar é cobrado pelo seu negacionismo à gravidade da pandemia desde o seu início.

E ainda diz Bruno Kafka na sua notificação:

"Acredito que está devidamente comprovado que a utilização do adjetivo 'escroque' e seus derivados 'patife', 'pilantra', 'traiçoeiro' e 'embusteiro', são perfeitamente cabíveis para o Sr. Osmar Terra".

O documento pede que o deputado comprove que tais definições não sejam verdadeiras.

Vejamos a origem da confusão:

O motivo foi o pedido de afastamento do governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), feito pelo Ministério Público do Pará (MPPA). O caso, discutiam os militantes, poderia incomodar o Conselho de Ética do partido. Na mesma leva, foi levantada a questão de que Osmar Terra ainda não foi levado ao órgão julgador do partido pelos seus comentários negacionistas sobre a pandemia de covid-19. Aí então teria nascido a crítica, feita por Bruno Kafka, que integra o partido em Curitiba.

"Ser assessor de um escroque igual esse Osmar Terra deve ser um dos trabalhos mais degradantes do país. Meus pêsames ao assessor, caso seja um assessor que leia as mensagens."
.


Ponto Final

 Blog Político

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]