Dólar com. 4.8785
IBovespa 0.58
22 de maio de 2022
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Serviço de bordo em voos nacionais começa a ser retomado neste domingo
27/04/2022 às 07h00

Blogs

Cidade Baixa: uma beleza peculiar da cidade de Salvador.

Fotos Daniela Gama


É comum ouvir falar em Salvador e automaticamente ouvir falar na Cidade Baixa (e na cidade Alta). Eu mesma já ouvi de várias pessoas de outras partes do país a pergunta: “como é a cidade alta e a cidade baixa?”. Quem não conhece tem essa curiosidade e quem já conhece tem por esse lugar uma paixão. Eu que o diga.

A primeira vez em que estive na Cidade Baixa, mais precisamente na Ponta de Humaitá, eu fiquei deslumbrada com tanta beleza. Desde então já se passaram cerca de vinte e cinco anos e todas as vezes em que volto lá tenho a mesma sensação da primeira vez: é lindo de se ver!

Como sei que vocês querem saber muito mais, vou começar falando sobre a questão geográfica que originou a Cidade Baixa e a Cidade Alta, separadas por uma falha geológica, um afundamento de uma faixa de terra de 100 quilômetros ocorrida há milhares de anos. “Sobre a escarpa de 70 metros, protegida contra ataques pelo mar, estava a cidade fortificada cercada de muros; embaixo ficava o principal porto do comércio marítimo da costa brasileira.” (Fonte: Fundação Gregório de Matos). Foi em meados do século XVI que o então Governador Geral do Brasil, Tomé de Souza, deu início à construção da Cidade Baixa. Naquela época servia apenas como porto marítimo. Com o passar do tempo o local passou a abrigar o bairro do comércio e de bairros muito importantes para a história da cidade, como Bonfim, Ribeira, além da Península de Itapagipe, e muito mais.

Eu particularmente considero que boa parte dos pontos turísticos mais bonitos e gostosos de visitar na cidade estão localizados na Cidade Baixa. E eu posso provar. Temos a icônica Igreja do Bonfim, que recebe turistas e fiéis do mundo inteiro ao longo do ano e reúne outros milhares na tradicional Lavagem do Bonfim, no mês de janeiro. E não tem idade: no cortejo da festa a gente encontra de criança a idoso. Localizada no topo da chamada “Colina Sagrada” a igreja ícone da Bahia tem sua arquitetura com estilo neoclássico e rococó e das paredes ao teto suas obras de arte são de deixar qualquer um de boa aberta. E quem nunca ouviu falar das fitinhas do Senhor do Bonfim, hein? Também é na grade externa da igreja que turistas e fiéis amarram suas fitinhas e fazem seus pedidos, originando um painel colorido bonito de se ver.

Outro ponto belíssimo da cidade baixa é a região do Humaitá, onde temos o Farol de Humaitá, a igrejinha bucólica e bem próximo dali o Forte de Monte Serrat, onde temos uma vista espetacular do mar e da cidade Alta, das ilhas próximas e um dos pores de sol mais deslumbrantes da cidade do São Salvador. É comum nesse lugar haver reunião de amigos, casais e famílias para apreciar o entardecer e o cair da noite. É, sem dúvida, o meu lugar preferido. Logo ali perto, na rua conhecida como Pedra Furada, temos ótimas opções de restaurantes, para todos os bolsos, com moquecas e iguarias regionais de deixar turista já com vontade de voltar à cidade.

É também na Cidade Baixa que temos o Mercado Modelo e o Elevador Lacerda, meio de transporte mais rápido pra levar você da Cidade Alta para a região do Elevador e Comércio, na Cidade Baixa (ou da Cidade Baixa para o Pelourinho). E relembrando um meme que nos fez rir em 2021, sim senhor, o elevador só tem essa função de levar e trazer pessoas, ok?! Não espere mais que isso dele. Porém, temos um bônus maravilhoso: a vista da parte superior do elevador, logo ao seu lado, é DES-LUM-BRAN-TE! Portanto, vale muito a visita.

É também na Cidade Baixa que temos praias convidativas, museus que contam muito sobre a cidade e sobre a Bahia, como a Cidade da Música da Bahia, por exemplo. Temos bons restaurantes, temos o Museu de Arte Moderna da Bahia e o Solar do Unhão, na famosa Avenida Contorno, trecho que liga as duas partes da cidade, e muito mais.

Quando foram a Salvador não deixem de conhecer os encantos da Cidade Baixa. E depois me contem se eu tenho ou não razão de ser apaixonada por cada cantinho de lá!

Um beijo e um Axé!

Daniela Gama

Fotógrafa e colunista da Revista Painel Alagoas

IG: @danigamafotografia  


Turistando por Daniela Gama

Dani é fotógrafa, geógrafa, mãe e amante de questões que envolvem moda, cultura, arte, diversidade e natureza. Com mais de dez  exposições fotográficas pelo Brasil, Portugal e França, tem na fotografia um amor que ela intitula de “terapia artística”. Apaixonada pela cultura e pela geografia tão vasta do nosso país, ela assina essa coluna que trará relatos de sua experiência de viajante brasileira, tratando de tantos temas que são inerentes à uma viagem. E, acreditem, são muitos! De dicas de locação, hotéis, pousadas, restaurantes, espaços culturais, eventos locais a dicas de como aproveitar da melhor forma cada viagem, para que sejam sempre únicas e inesquecíveis. Vamos com a Dani ? 

Todos os direitos reservados
- 2009-2022 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]