Dólar com. 5,347
IBovespa 2,05
09 de julho de 2020
min. 22º máx. 27º Maceió
pancadas de chuva
Agora no Painel Marechal Deodoro se destaca por baixo número de mortes por Covid-19 entre cidades metropolitanas
07/11/2019 às 22h30

Cultura

Bienal: alunos de escolas públicas se apresentam sobre cultura de paz

Escolas Padre Pinho e Anaías de Lima promoveram apresentações a partir do conhecimento adquirido durante o projeto Construtor da Paz

Estudantes fizeram encenação de mediação de conflito. - Caio Loureiro/Dicom

Alunos do 9º ano das escolas Municipal Padre Pinho e Estadual Anaías de Lima fizeram, na manhã desta quinta-feira (7), apresentações dos conhecimentos adquiridos durante o projeto Costrutor da Paz, promovido pelo Programa Cidadania e Justiça na Escola (PCJE), da Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal). As apresentações foram feitas durante a 9ª Bienal Internacional do Livro em Alagoas.

Com a temática “cultura de paz”, os estudantes do 9º ano da Escola Padre Pinho encenaram uma mediação de conflitos, na qual após uma briga, outro colega de escola veio para promover a conciliação. Após a cena, os alunos se juntaram no palco localizado na Praça Dois Leões para cantar uma música paródia sobre o assunto.

Já a turma da Escola Estadual Anaías de Lima expôs cartazes com frases de pensadores durante uma apresentação ao som de Imagine, música do cantor John Lennon.

A pedagoga do PCJE Luzia Rodrigues explica que o projeto surgiu pela necessidade de trabalhar não só com os profissionais, mas também com a conscientização dos alunos. Segundo ela, os alunos já estão colocando em prática os que aprenderam durante as palestras.

“Os meninos que estão nesse projeto já têm outro comportamento, a gente percebe. Tanto é que um disse ‘professora, eu tentei correr atrás de um menino que tava discutindo e brigando, mas quando eu cheguei até ele, eu não consegui, só acalmei’. Então eles já estão aprendendo que através do diálogo, do respeito, melhora”, salienta.

Durante o ano, o projeto Construtores da Paz trabalhou temas como a promoção da paz e valores humanos com alunos de quatro escolas. Foram feitas palestras e trabalhos com os estudantes, que criaram peças de teatro, frases, reflexões, redações e músicas que tratavam sobre a cultura de paz.

A escritora Maristela Pozitano, que também palestrou com os jovens durante o projeto, observa que o trabalho feito despertou a reflexão e aprofundou o conhecimento dos alunos, que começaram a colocar em prática o que era discutido em sala de aula.

“O interessante é que suscitou neles pensarem na paz, porque quando a gente começa a ir pra escola e falar sobre a paz, eles percebem que a cultura, a leitura, tudo isso traz uma profundidade pra eles de conhecimento”, disse Maristela.

Para a professora de Língua Portuguesa da Escola Padre Pinho, Sueli Nunes Leite, o trabalho com os alunos foi fundamental para uma convivência mais pacífica na escola e fora dela. “Esse projeto trabalhou muito bem a noção de cidadania e a necessidade de que o mundo precisa de paz. Os conflitos acontecem e os alunos aos poucos eles estão com essa visão de que pra resolver um conflito precisa do diálogo”.

O estudante Carlos Afonso, do 9º ano, disse que participar do projeto foi importante, e que além de descobrir e aprender muito, os alunos começaram a interagir mais. “Foi muito legal, descobrimos muitas coisas, interagimos muito mais com os outros”.


Fonte: Dicom TJ/AL

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]