Dólar com. 5.3765
IBovespa -0.88
30 de novembro de 2020
min. 24º máx. 28º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Caixa retorna valores não movimentados do saque emergencial do FGTS
21/11/2020 às 12h40

Cultura

Sociedade Brasileira de Cardiologia inaugura mural "No Coração dos Trópicos"

Pintura tem 6,3 m de largura por 1,8 m de altura, e é obra do artista plástico paraibano Flávio Tavares de Melo

Assessoria

Na noite desta sexta-feira (20), a Sociedade Brasileira de Cardiologia inaugurou em sua sede, no Rio de Janeiro, um mural que retrata mais de um século da prática e do desenvolvimento da cardiologia no Brasil. Grandes nomes da especialidade, ex-presidentes e membros do Conselho Consultivo Permanente da entidade estavam presentes na solenidade: José Antônio Franchine Ramires, Antônio Carlos Palandri Chagas, Jorge Guimarães, Jadelson Pinheiro de Andrade, além do atual presidente, Marcelo Queiroga; do doutor Fábio Jatene,  do Instituto do Coração de São Paulo e do Dr. Fausto Pinto, presidente da World Heart Federation e diretor da Faculdade de Medicina de Lisboa.

A pintura “No Coração dos Trópicos” é um conjunto de três painéis de acrílico sobre tela justapostos, de 6,3 m de largura por 1,8 m de altura, do artista plástico paraibano Flávio Tavares de Melo, que conta o esforço de homens e mulheres que fundaram e construíram uma das mais respeitadas cardiologias do mundo. O mural retrata a cardiologia brasileira, com suas influências no exterior e diálogos com ícones da medicina do fim do século XIX até os dias atuais, destacando-se Carlos Chagas, Oswaldo Cruz, Miguel Couto, Dante Pazzanese, Luiz Décourt, Magalhães Gomes, Adib Jatene, Euryclides Zerbini e outros tantos, que muito contribuíram para a evolução da medicina no Brasil, pintados num cenário tropical.

Flavio Tavares criou um conjunto de ambientes que se alternam entre a paisagem amazônica, o pavilhão mourisco da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), rios, o sertão, casas de taipa, que recebiam visitas de médicos e pesquisadores em busca de pacientes e de material para a cura a partir das mais diversas terapias, e o edifício do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

“Essa obra faz um tributo a uma geração de ouro, que propiciou um dos orgulhos da medicina nacional, e imortaliza a cardiologia como ciência em uma sinfonia de cores, que ganha vida com a inspiração e o estilo ímpar desse mestre da pintura”, destaca o presidente da entidade, Marcelo Queiroga.

“No Coração dos Trópicos” integra o projeto “Memória da Cardiologia Brasileira”, que teve início em agosto passado, com a inauguração do painel que mostra a cronologia dos marcos científicos da especialidade no país, na sede carioca da SBC, quando foi celebrado o Dia do Cardiologista e os 77 anos da entidade.

SOBRE A SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA

Fundada em 14 de agosto de 1943, na cidade de São Paulo, por um grupo de médicos destacados liderados por Dante Pazzanese, o primeiro presidente, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), tem atualmente um quadro de mais de 13.000 sócios e é a maior sociedade de cardiologia latino-americana, e a terceira maior sociedade do mundo.



Fonte: Assessoria

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]