Dólar com. 5.6093
IBovespa -3.39
28 de novembro de 2021
min. 25º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Música clássica, MPB e afoxé povoam cultura no Jaraguá
15/10/2021 às 10h30

Cultura

Artistas alagoanos são atrações do Sonora Brasil

Projeto valoriza compositoras brasileiras e grupos indígenas com apresentação pelo YouTube no dia 19 de outubro

O grupo indígena Dzubucuá, do Povo Kariri-Xocó, e o trio de cantoras Ana Galganni, Dêza e Fernanda Guimarães, ambos de Alagoas, são as atrações de estreia do projeto Sonora Brasil, promovido pelo Sesc, e considerado a maior iniciativa brasileira de circulação musical. As apresentações acontecerão na próxima terça-feira, dia 19 de outubro, e serão exibidas pelo canal do Sesc Alagoas no YouTube, às 18h30 e às 20h.

Sobre o Grupo Dzubucuá

Dzubucuá é o nome da língua oficial do povo Kariri-Xocó que vive na região do Baixo São Francisco, em Alagoas. A denominação Kariri-Xocó foi adotada como consequência da fusão, ocorrida há cerca de cem anos, entre os Kariri de Porto Real de Colégio e parte dos Xokó da ilha fluvial sergipana de São Pedro. O grupo tem sua identidade étnica e o sentimento de pertencimento fortemente ligados à participação, desde a infância no ritual Ouricuri, que é aquilo que dá sentido à terra, à família, à identidade, à chefia, enquanto princípio organizador. A música tradicional dos Kariri-Xocó, como em todos os povos indígenas do Nordeste, o Toré é um ritual indígena mágico-espiritual que envolve performance corporal e música. Nos torés do Kariri-Xocó são utilizados os buzos (espécie de flauta), maracás de mão e de tornozelos.

Sobre as cantoras Ana Galganni, Dêza e Fernanda Guimarães

O grupo traz um repertório que trata da relação do feminino com o mundo. As composições retratam o universo interno de cada artista e suas interações com a intuição, o amor, o contato com as divindades, a natureza e a vida em sociedade. Formado pela cantora, compositora e instrumentista Ana Galganni (voz, violão, steel tongue, pandeiro, flauta transversal, percussão corporal); Dêza (voz, violão, percussão corporal), cantora e compositora natural de Arapiraca (AL); e Fernanda Guimarães (voz, violão e percussão corporal, agogô), cantora, compositora, instrumentista e produtora.

Sobre o Sonora Brasil

A maior iniciativa brasileira de circulação musical está de volta. Promovido pelo Sesc, o Sonora Brasil chega a sua 23ª edição com a apresentação de um repertório inédito, composto por músicas de mais de cem compositoras brasileiras e 21 grupos indígenas de diversas etnias, que mostram toda a potência do projeto em divulgar as mais diferentes manifestações musicais do país. Em função da pandemia de COVID-19, o circuito não ocorreu em 2020 e, este ano, todos os espetáculos foram gravados em formato on-line, em mais de 20 estados, e serão transmitidos pelos canais de Youtube do Sesc em cada estado. Ao longo da sua trajetória, o Sonora Brasil já alcançou mais de 750 mil pessoas e realizou mais de seis mil concertos em todo o Brasil.

As abordagens apresentadas terão como temas as “Líricas Femininas - A presença da mulher na música brasileira” e “A Música dos Povos Originários do Brasil”. A temática de 2021 acompanhará a da última edição, realizada em 2019, já que os temas centrais do Sonora Brasil são definidos por biênios.  O lançamento será no dia 19 de outubro e as exibições ocorrerão até o dia 12 de novembro, sempre às 18h30 (Povos Originários) e às 20h (Líricas Femininas). O calendário das transmissões está disponível na página do projeto (www.sesc.com.br/sonorabrasil) e todos os vídeos terão tradução para linguagem de libras, incluindo os espetáculos dos povos indígenas.

As apresentações do Sonora Brasil são de caráter essencialmente acústico, como forma de valorizar a autenticidade musical das obras. Uma curadoria formada por profissionais do Sesc é responsável pela seleção dos temas e grupos que integram a programação. Para escolha dos artistas e grupos, foram consideradas questões sociais, ligadas à diversidade de ritmos, de territórios e de artistas. O projeto contempla ainda oficinas, rodas de conversas e exibição de filmes, que serão promovidas, também em ambiente on-line, por unidades do Sesc de todas as regiões do país. Os catálogos de todas as edições estão disponíveis para consulta no site do Sonora Brasil.

Serviço | Sonora Brasil | Sesc

Data: 19 de outubro(terça-feira)

Horários:

18h30 |Grupo Dzubucuá | (Povos Originários do Brasil)

20h |Ana Galganni, Dêza e Fernanda Guimarães (Líricas Femininas)

Exibição: canal Sesc Alagoas no YouTube


Fonte: Assessoria

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]