Dólar com. 5.1112
IBovespa 0.58
08 de agosto de 2022
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Assistência Social lança edital para contratação temporária de profissionais
09/06/2022 às 08h30

Entretenimento

Incentivo ao audiovisual: filme e cinema receberão recursos do Governo de Alagoas

"Deus ainda é brasileiro", de Cacá Diegues, e Cine Arte Pajuçara são beneficiados com aporte financeiro da Secretaria de Cultura

Filme do cineasta Cacá Diegues será continuidade do filme de 2003 que foi um sucesso de público - Pei Fon/ Agência Alagoas

O governador Paulo Dantas assinou, nesta quarta-feira (8), o contrato de patrocínio para a realização em Alagoas do filme do cineasta alagoano, Cacá Diegues, “Deus ainda é brasileiro”, no valor de R$ 6 milhões e o termo de fomento e apoio para realização de atividades no Centro Cultural Arte Pajuçara, no valor total de R$ 200 mil. O filme que será todo rodado no estado vai movimentar o cenário audiovisual alagoano, com a capacitação e contratação da maioria de profissionais de Alagoas. Com o aporte financeiro, o Governo financiará 67% do valor do longa-metragem.

“Alagoas está patrocinando um filme muito importante a ser realizado aqui. O Cacá é alagoano e uma grande referência para todos nós. Temos o orgulho de patrocinar a cultura, valorizar esse segmento. O Cine Arte Pajuçara passou por dificuldades nos últimos anos e o governo assina esse fomento que vai dar saúde financeira a esse importante espaço cultural. O Governo de Alagoas segue trabalhando em prol de todos os segmentos e a cultura não fica atrás”, destacou o governador Paulo, após assinar o termo de fomento, ao lado da secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas, e da produtora do filme, Paula Barreto.

Para a secretária Mellina, as assinaturas dos fomentos impactam positivamente porque, além de resgatar o Cine Arte Pajuçara, um símbolo da cultura alagoana e que é um espaço importante para exibição das produções locais, também foi assinado o patrocínio do novo filme de Cacá Diegues, que vai aproveitar toda a técnica local, seja no elenco, seja na produção. “Tenho certeza que o dia de hoje é auspicioso para a cultura de Alagoas”, afirmou.

Por meio de um vídeo, o cineasta Cacá Diegues, também destacou sobre o patrocínio do governo de Alagoas e agradeceu em nome de todos que produzem arte. “Fico muito feliz em saber que o governo está ajudando os cineastas alagoanos a se manifestar. Acho que isso não é uma coisa só moderna, como também necessária para o desenvolvimento da cultura alagoana. Sobretudo porque esses filmes são a manifestação cultural do Brasil do futuro”.

A produção do filme - que é uma continuidade do sucesso estrelado por Antonio Fagundes em 2003 - também deverá movimentar economicamente vários setores como hotéis, restaurantes e o comércio, em razão da necessidade de aquisição de materiais que para alguns cenários, como a construção de uma aldeia indígena. “Não podemos utilizar uma aldeia já existente, pois essa do filme será totalmente tecnológica”, explicou Paula.

CINE ARTE PAJUÇARA

Após um período de crise no setor cultural em meio à pandemia de Covid-19, o Centro Cultural Arte Pajuçara, único cinema de arte de Alagoas, que funciona há mais de 40 anos em Maceió, corria o risco de fechar as portas por conta de um débito no pagamento de um valor de cerca de R$ 100 mil, referente a três anos de aluguel do prédio.

Com o intuito de viabilizar a sustentabilidade do espaço, o Governo de Alagoas, através da Secretaria de Estado da Cultura vai disponibilizar a título de fomento, o valor de R$ 200 mil, sendo R$ 100 mil para pagamento das dívidas dos alugueis do espaço e R$ 100 mil para locação de corujões para serem exibidos nos meses de junho e julho de 2022. Este fomento possibilitará a retomada de geração de renda própria do cinema. O termo foi assinado pelo governador Paulo Dantas, a secretária da Cultura, Mellina Freitas, e um dos administradores do Arte Pajuçara, Marcos Sampaio.

De acordo com o secretário da Fazenda, George Santoro, é importante estimular a atividade cultural no pós-covid para poder gerar emprego e renda nesse segmento, que segundo ele tanto emprega como traz a questão da cultura alagoana e isso ajuda no turismo e outros ramos da economia. “Então é muito importante fazer esse tipo de fomento para manter vivas as tradições culturais do estado”, afirmou.

Para Marcos Sampaio, o incentivo do Governo do Estado vem em boa hora e vai garantir a sobrevivência do espaço, que estava prestes a fechar devido a dívidas com aluguel. “Esse apoio do Governo de Alagoas é de fundamental importância para garantir a sobrevivência do Centro Cultural do Arte Pajuçara, pois vem para resolver pendências financeiras que tínhamos e que já estavam sendo cobradas judicialmente”, explicou Sampaio. “Primeiro é preciso destacar a sensibilidade do governador e da secretária de Estado da Cultura para garantir esse aporte financeiro e garantir o funcionamento do Centro”, destacou.

ALMOÇO COM EMPRESÁRIOS

O Centro conseguiu sobreviver durante o período da pandemia por meio de incentivos da Lei Aldir Blanc. “O que nos permitiu retomar nossas atividades nesse 1,4 meses de pandemia foi o incentivo da Lei Aldir Blanc. Mas com o veto do governo federal às Leis de Incentivo à Cultura Paulo Gustavo e Aldir Blanc, temos contado com a ajuda do nosso público por meio de vaquinhas virtuais, então esse incentivo do Governo do Estado vem em boa hora para manutenção de nossas atividades”, ressaltou Sampaio.

Após as assinaturas, foi realizado um almoço com grupos do setor privado para apresentação de um trecho da apresentação do longa metragem. Ao falar do projeto, a produtora Paula Barreto lembrou que muitas produções culturais jamais aconteceriam se não fosse pelo apoio de empresas e de pessoas físicas. Por meio do patrocínio, diversos produtos artísticos ganham vida e podem, enfim, chegar ao público de interesse. Ela demonstrou confiança no empresariado, lembrando a forte tradição deste segmento em investir em arte e cultura.

A produtora Paula Barreto agradeceu a sensibilidade do governo de Alagoas em incentivar a cultura audiovisual. Ela ressaltou ainda a importância da produção audiovisual para geração de emprego e renda no estado.  De 100 pessoas que vão atuar na produção do filme, ao menos 70% serão recrutadas no estado e outros 30% em estados da região Nordeste, como Pernambuco e Sergipe. Dos 25 autores que atuaram no filme, 18 serão selecionados em Alagoas.

“Sem esse apoio do governo de Alagoas não teríamos condições de produzir esse filme”, confirmou Paula. “No dia em que os governos na esfera federal, estadual e municipal entenderem o poder do audiovisual para comunicar o que você quer, com certeza investirão ainda mais no setor. E o governador Paulo Dantas tem a visão dessa importância e por isso está nos dando esse apoio”, acrescentou.

Estiveram presentes, representantes da Associação Comercial de Maceió, Braskem, BRK, Caixa Econômica Federal, CPLA, Fecomercio, Fiea, ABIH, Aloo Telecom e Sebrae. Além dos secretários de Estado da Fazenda, George Santoro; do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Caroline Balbino; do Gabinete Civil, Luiza Barreiros e do Planejamento e Gestão, Renata Santos.


Fonte: Agência Alagoas

Todos os direitos reservados
- 2009-2022 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]