Dólar com. R$ 4,132
IBovespa +1,58%
11 de dezembro de 2018
min. 26º máx. 29º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Bebianno confirma que Secom irá para a Secretaria de Governo
26/11/2018 às 21h15

Esporte

CSA define essa semana se Didira permanece no time

Há 31 anos sem se classificar para disputar o campeonato da Série A, o Clube se organiza incentivado pela emoção da conquista

Presidente do CSA, Rafael Tenório e Raimundo Tavares, presidente do Conselho Deliberativo


*Cinara Correa

O futuro do Centro Sportivo Alagoano (CSA) será definido até o final desta semana. Entre as decisões mais importantes a serem tomadas pela diretoria do clube recém-eleito à Série A do Campeonato Brasileiro, está a permanência do jogador Didira, o principal astro do clube para onde se transferiu em 2015.

“O Didira ainda é atleta do clube e queremos que ele permaneça no nosso grupo, mas, evidentemente pelo seu enorme potencial, já recebeu propostas de outros grandes clubes do futebol nacional. Foi um atleta que demonstrou, nesses dois anos, uma capacidade de recuperação e de superação desde o final de 2015, quando se integrou ao CSA”, explica Raimundo Tavares, presidente do Conselho Deliberativo e responsável pela parte de Futebol do Clube.

A história de Tavares no CSA, na verdade, nasceu há muito tempo, quando ele foi mascote, antes de ser jogador de base do clube, passando depois pelos cargos de diretor de Futebol e vice-presidente de Futebol, antes de ser presidente da Federação Alagoana de Futebol durante 12 anos. Em 2015, aceitou o desafio de dirigir o clube ao lado do empresário e hoje presidente azulino Rafael Tenório.

“Recebemos uma missão e decidimos formar um grupo profissional e empresarial que teve uma comissão técnica dirigida, ultimamente, pelo professor Marcelo Cabo, que chegou em Maceió em abril deste ano e fez do CSA a sua história de vida. A família acostumou-se muito bem com a cidade e temos certeza de que o nosso contrato será renovado com ele, pelo menos para a próxima temporada”, acrescenta.

“ Lutamos, bravamente, contra grande parte da imprensa alagoana que, cerca de 80% dela durante a Série B, apostava que nosso clube não iria passar do Z4 e, quem sabe, cairia novamente para a Segunda Divisão”, lamentou, lembrando que para o sucesso deste acesso foi ativado um planejamento como é feito em qualquer outra empresa, de colocar em prática, com um cronograma organizacional, aliando receitas e despesas”, explica.

Até esta semana, por exemplo, serão quitados o débito referente ao mês de novembro e as férias da comissão técnica. “Além disso, através de um acordo com o Tribunal Regional do Trabalho, estaremos quitando em 2019 todas as pendências trabalhistas oriundas das gestões anteriores”, adianta. O elenco, de média de 30 jogadores nesta temporada, deverá ser reduzido para cerca de 26 atletas.

 Tavares explica que mesmo com as despesas de hospedagem e alimentação sendo pagas pela TGV, muitas vezes a maioria dos atletas do grupo optava por fazer a alimentação no próprio restaurante do Centro de Treinamento, devido à qualidade por ele oferecida. “Por fim, acreditamos, sempre, que o nosso presente depende diretamente do que foi o nosso passado. Tanto que, durante as comemorações da vice-liderança da Série B, fiz questão de telefonar de dentro do estádio para Oliveira Canindé, que, nesta fase primordial, foi o nosso primeiro treinador e precursor de todas as nossas vitórias. Canindé foi campeão da série D e vice-campeão do Campeonato Alagoano de 2015 e 2016, nos levando à inusitada conquista da Série C”, enfatiza.

Já em relação ao aumento da cota de participação da parte de TV do clube que participa da Série B para a Série A, Raimundo Tavares diz, também, que só terá conhecimento nos próximos dias, “quando estaremos reunidos com os demais clubes da mesma Série”. Ele tem absoluta certeza que, após esta campanha, irá manter, no mínimo, os patrocínios do Governo do Estado, a Prefeitura de Maceió, da Caixa Econômica Federal, além de empresas locais importantes locais.

Segundo a imprensa do Paraná,, as cotas distribuídas entre os times da Série A do Brasileirão , com o novo modelo adotado pela emissora, serão repatriados cerca de R$ 600 milhões entre os 20 clubes de elite. A partir de 2019, a emissora adotará outro sistema para repartir os valores dos contratos para TV aberta e fechada – o pay-per-view seguirá com fórmula diversa. Após o dia 10 de dezembro, o CSA incia oficialmente a pré-temporada para o ano de 2010, estando as contratações definidas até o dia dois.

O Azulão assegurou o acesso à Série A ao golear o Juventude por 4x0, em Caxias do Sul, no dia 24 Ainda no Rio Grande do Sul, o técnico Marcelo Cabo agradeceu pela confiança em seu trabalho e disse que os jogadores foram grandes responsáveis pela conquista. Marcelo Cabo nasceu no Rio de Janeiro em 6 de dezembro de 1966. Fundado em 7 de setembro de 1913 por um grupo de desportistas, o clube nasceu como Centro Sportivo Sete de Setembro, depois foi rebatizado para Centro Sportivo Floriano Peixoto e em 1918, ganhou seu nome atual.

Todos os direitos reservados
- 2009-2018 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]