Dólar com. R$ 4,132
IBovespa +1,58%
20 de novembro de 2018
min. 25º máx. 30º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Bolsonaro confirma Mandetta para a Saúde
09/02/2017 às 16h45

Geral

Hospital Helvio Auto define fluxo de atendimento a população em situação de rua

Unidade quer intensificar parceria com a rede para beneficiar pacientes em vulnerabilidade social

Equipe do Hospital Helvio Auto traça estratégias de fluxo com representantes da rede que trabalha com população de rua - Foto: Ana Paula Tenório

O Núcleo de Educação Permanente do Hospital Escola Dr. Helvio Auto (HEHA) promoveu, nesta quarta-feira (8), um encontro entre servidores do Setor de Serviço Social e Unidade de Tratamento de Doenças Respiratórias (Unid. 13) com representantes da rede que trabalha com população em situação de rua, com o intuito de criar um fluxo de atendimento e encaminhamento entre as instituições, uma vez que o Hospital Helvio Auto recebe constantemente demandas de pacientes em expostos à vulnerabilidade social.

Como unidade de referência para doenças infectocontagiosas em Alagoas, o Hospital Helvio Auto interna pacientes em situação de rua encaminhados de todo o estado, grande parte apresentando sintomas de tuberculose como infecção oportunista do HIV/AIDS. Participaram da reunião as equipes de Abordagem Social, Centro Pop, Consultório na Rua, Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS –AD).

Com o aumento de atendimentos a este tipo de população, o HEHA necessitou estabelecer um fluxo com toda a rede (órgãos estaduais e municipais) que trabalha diretamente com população de rua. “Estávamos tendo dificuldades quanto ao encaminhamento de alguns pacientes após a alta, pois quando não há nenhuma referência familiar para contato ou documentação, não podemos simplesmente liberar o paciente para que ele volte para a rua”, explicou Karoline Barros, assistente social do Helvio Auto.

Outra preocupação constante da equipe do hospital é a continuidade do tratamento de certas patologias como AIDS  e tuberculose. Muitos pacientes em situação de rua abandonam os remédios ao receber alta, o que dificulta a estabilização da doença, produzindo, inclusive, infecções multirresistentes.  Com o acompanhamento das equipes, agora serão trabalhadas a adesão e a continuidade ao tratamento.

Diante das demandas, foi necessário haver uma articulação entre órgãos da rede para que, integrados, possam encaminhar da melhor forma o paciente provindo de internação no HEHA. Logo no primeiro encontro já foram definidos alguns fluxos e identificada a necessidade de reuniões periódicas para discutir casos e realizar acompanhamento do trabalho. O próximo encontro está marcado para 14 de março. 


Fonte: Assessoria

Todos os direitos reservados
- 2009-2018 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]