Dólar com. 5.2175
IBovespa 0.43
02 de dezembro de 2020
min. 23º máx. 31º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel PGJ pede ao Conseg proteção para o prefeito de Tanque d’Arca
13/02/2019 às 10h00

Geral

Seminário de formação debaterá os Impactos Sociais da Reforma da Previdência neste sábado

O Núcleo Alagoano da Auditoria Cidadã da Dívida realiza o Seminário de Formação “Os Impactos Sociais da Reforma da Previdência” neste sábado (16), a partir das 9 horas, na sede do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal em Alagoas (Sindjus-AL).

A inscrição é gratuita no local do seminário. Para mais informações, os interessados deverão entrar em contato pelo Whatsapp: 82 98866-4166. Haverá certificado.

O seminário de formação tem o objetivo de informar os sindicalistas, militantes de movimentos sociais e estudantis, jornalistas sobre os impactos sociais com a reforma da Previdência do governo Bolsonaro.

Na programação do seminário, haverá a palestra Análise da Conjuntura com o professor de Economia da Ufal José Menezes às 10 horas e Mesa sobre Reforma da Previdência, Dívida Pública e Ameaça aos Direitos Sociais com o procurador do Trabalho Cássio Araújo e os professores de Economia da Ufal José Menezes e Luciana Caetana.

O Núcleo Alagoano conta com o apoio do Sindjus-AL, Sindpol, Sindprev, Sintietfal, Sintufal, Sindifisco, Sindipetro, Sincoal e Aduncisal para realização do Seminário. 

Reforma da Previdência

A reforma da Previdência do governo Bolsonaro propõe mudar o regime de repartição simples para o regime de capitalização, entregando o futuro das aposentadorias as incertezas do sistema financeiro. “Com a reforma, o governo e as empresas deixam de contribuir. A contribuição do trabalhador vai para uma conta individual, administrada por fundo de pensão”, revela Menezes.

O governo também aumento o tempo mínimo de contribuição e idade mínima para aposentarias de homens e mulheres. A proposta ameaça a aposentadoria especial das categorias que atuam em atividades prejudiciais à saúde e promove restrição aos benefícios previdenciários, como auxílios doença e acidente, licença-maternidade e Benefício de Prestação Continuada e pagamento de aposentadoria abaixo do salário mínimo.

O professor Menezes ressalta que a reforma coloca em risco a Seguridade Social, comprometendo os benefícios assistenciais dos trabalhadores, o SUS e a saúde pública.

No Chile, que foi implantado o sistema de capitalização, o aposentado recebe em torno de R$ 450,00. Com falta de recursos financeiros e abandonados, muitos acabam se suicidando.

O professor ressalta que a Previdência Pública brasileira movimenta quase R$ 500 bilhões. “É nesse valor que os bancos e fundos privados estão querendo se apossar”.

Programação do Seminário

9h – abertura

10h – Análise da Conjuntura com o professor de Economia da Ufal José Menezes

12h – almoço

14h – Mesa: Reforma da Previdência, Dívida Pública e Ameaça aos Direitos Sociais com o professor José Menezes, a professora de Economia da Ufal Luciana Caetana e o procurador do Trabalho Cássio Araújo

16h: Debate

17h: Encaminhamentos

Local: Sede do Sindjus-AL

Av. Eraldo Lins Cavalcante, 584 – Barro Duro, Maceió – AL


Fonte: Assessoria

Todos os direitos reservados
- 2009-2020 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]