Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
23 de agosto de 2019
min. 22º máx. 28º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Saiba como será a abertura do comércio no Dia da Padroeira de Maceió
13/06/2019 às 09h41

Geral

Tribunal do Júri inicia julgamento de acusado de matar empresário Guilherme Brandão

Julgamento ocorre no Fórum da Capital, no Barro Duro; sessão deve terminar apenas no final da noite

Marcelo Carnaúba está sendo julgado no Fórum da Capital, no Barro Duro. - Maria Eduarda Baltar/Dicom

O 3º Tribunal do Júri de Maceió iniciou, na manhã desta quinta-feira (13), o julgamento do réu Marcelo dos Santos Carnaúba, acusado de matar o empresário Guilherme Brandão, em 2014, na capital. A previsão é que a sessão termine no final da noite.

"Minha expectativa é terminar ainda hoje. Será um júri cansativo, com nove testemunhas inquiridas. Vamos tentar terminar a fase de instrução por volta das 14h. Depois retornaremos para os debates", disse o juiz Geraldo Cavalcante Amorim, que preside o julgamento.

O promotor de justiça Leonardo Bastos sustenta a tese de homicídio com as qualificadoras de impossibilidade de defesa da vítima e com a intenção de ocultar outro crime.

"O réu efetuou disparo que atingiu a nuca da vítima. O crime foi cometido para ocultar as fraudes financeiras que ele estava cometendo na empresa da vítima", afirmou o promotor, que vai pedir ainda a condenação por fraude processual.

"O acusado alterou a cena do crime visando sustentar a tese de latrocínio, tese essa que ele não conseguiu manter, tendo posteriormente confessado o homicídio. O Ministério Público quer a condenação pelos dois crimes, o que pode dar de 25 a 30 anos de prisão", explicou o promotor.

A tese da defesa, feita pelo advogado Raimundo Palmeira, é de que o crime não foi premeditado, nem cometido para ocultar desvios financeiros. "As transferências da empresa para Marcelo eram pagamentos por compras realizadas no cartão do réu", afirmou.


Fonte: Dicom TJ/AL

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]