Dólar com. 5.2927
IBovespa -2.54
16 de janeiro de 2021
min. 24º máx. 29º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Juíza federal dá 24h para União e AM apresentarem plano para oxigênio
04/01/2021 às 09h02

Geral

Na Maré baixa, Arte em alta

Felipe Camelo

Por Felipe Camelo

Como sempre digo, ninguém é alguém sem outro alguém. Impossível ser feliz, ou triste, sozinho. 

Produzir algo então, é fundamental a união de várias energias, várias forças, vá­rios talentos. E assim tem acontecido em todos os projetos idealizados por Mirna Por­to Maia, que honra a herança ar­tística na ge­nética, seja em que linguagem for. Arqui­teta, urbanista, escritora, designer, curadora, produtora cultural, e agitadora social... Mirna é alcalina, múl­tipla, conseguindo pen­sar em várias ati­vidades, praticamente ao mesmo tempo. É encerrando um, com o próximo projeto já definido e iniciado. 

Mas voltando ao "ninguém é alguém sem outro alguém", em todas as suas cria­­ções, conta com o imprescindível pa­trocínio Magazine Luiza, através de Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo. Sem deixar de ci­tar a fundamental atenção da empresária Lui­za Helena Trajano e seu assessor para pa­trocínios e leis de in­centivo, Fábio Elias Costa. 

Como no recente Arte em Movi­men­to - Velas Telas, que deixou a ponta da Pon­ta Verde ainda mais bonita, durante 4 noites, entre 17 e 20 de novembro, com 12 jan­gadas enfileiradas bem na frente de 1 dos incríveis cartões-postais de Ma­ceió, o lis­trado farol, em vermelho e bran­co. Cada noi­te, o espetáculo tinha horário diferente, já que dependia da maré chegar ao grau mais baixo, 0º, dei­xando as embarcações, lite­ral­mente, 'deitadas' na areia, e assim, ter obras de 16 artistas projetadas em suas alvas ve­las. O mais cedo, às 20h30, o mais tarde, 01h30. 

Alex Barbosa, Agélio Novaes, Dalton Costa, Eva Le Campion, Hilda Moura, Jeanine Toledo, Joe Santos, Lu Azul, Martha Emília, Mestra Irinéia do Muquém, Mestre José Paulino, Mestre Zumba, Myrna Maracajá, Pedro Cabral, Suel Cordeiro, foram os selecionados desta 2ª edição do Velas Tellas. Destacando ainda a participação especialérrima de Delson Uchôa. 

A projeção, em altíssima tecnologia, com assinatura Núcleo Zero, show. Obras de 4 artistas, a cada noite, garantiram total encantamento. E na última noite, valor extra, agregado, performance "Bicho da Seda", de Delson Uchôa, tendo 8  bailarinos/estudantes da Escola Técnica de Artes da Ufal, cujo diretor-geral, o teatrólogo e diretor David Farias assinou concepção e direção. Todos, mereceram aplausos. 

Com o isolamento social provocado pela pandemia do Coronavírus, sem as milhares de pessoas que as­sistiram ao vivo, na areia da praia, em 2019, este ano, novo formato, com transmissão no Youtube, alcançando público ainda maior, mundo afora, colocando obras de arte alagoanas, na vitrine da internet. Nas cadeiras co­lo­cadas na areia, pouquíssimas pessoas. Alguns artistas participantes, e seus familiares, mas a maioria, não foi, res­peitando a "não aglomeração". Na área onde trabalhavam uns 100 pro­fissionais, todos os cuidados neces­sá­rios, como medição de temperatura de quem chegava, torres de álcool em gel espalhados pelo ambiente, e Mirna sen­do enfática ao microfone, exigindo uso constante de máscara e distanciamento entre todos.

Ah! Mesmo que não fosse ter público, havia rampa para cadeirantes e afins, além de tótem com fone e áudio explicando o projeto, disponível, podendo atender pessoas cegas.

Como eram apenas 4 artistas por noite, os espetáculos eram únicos, bem diferentes um do outro, com es­tilos próprios, pessoais e intransferíveis, numa diversidade artística atestando DNA Caeté. Turistas que passavam caminhando, paravam para assistir, Pelas reações, amaram.

Não pesquisei, mas não creio que haja projeto cultural parecido no mundo. Surpreendente galeria de arte ao ar livre, com obras ampliadas ocu­pando velas de jangadas enfileiradas, confesso que não conheço. Tava pen­sando, será que na próxima edição, o Velas Telas será transmitido pelo You­Tube, alcançando público internacional também, além dos que poderão as­sis­tir ao vivo, sentados na areia? Será???

Mas enfim, como escrevi ali aci­ma, outro projeto artístico/cultural com detalhes definidos e já sendo executado. A edição 2020 do Natal na Avenida da Paz, igualmente vitoriosa e inclusiva idealização com assinatura Mir­na Porto Maia (em parceria Ma­galu), que neste ano, celebra o cen­tenário da Avenida da Paz, bem dife­rente de 2019, já que não teremos as árvores, mas "muitas luzes, muitas luzes, muitas luzes", se concentrando na própria avenida. Nas noites dos dias 18, 22 e 28, trio elétrico "dando vol­tinhas' na avenida que estará lin­damente iluminada. "Aglomeração 0", me confirmou Mirna, textualmente. Tanto que o musical veículo não dará nenhuma parada, evitando que pes­soas se aproximem para dançar. Mas, na programação, no dia 5, direto do Museu Theo Brandão, "live" apresentando espetáculo com 50 crianças, alunas do Lar São Domingos, com primoroso e lúdico de­talhe, os figurinos do pequenos cantores será assinado pela estilista Alina Amaral. Mais, não posso contar, até para manter surpresas. Outras informações, serão notí­cias na Imprensa e pelas nas redes sociais envolvidas. É aguardar, e não perder, claro!!! Assim como o Renda-se e o Arte em Movi­mento - Velas Telas,  Natal na Avenida da Paz, também será transmitido por canal no YouTube.

 Ah! Por falar na festa de Papai Noel, Feliz Natal, caros leitores desta Painel Alagoas, e se cuidem, para que estejamos todos vivos, e com saúde, no Natal de 2021. Vacinados contra Covid19 e sem máscaras, de preferência. 


Fonte: Painel Alagoas

Galeria de Fotos
Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]