Dólar com. 5.6288
IBovespa 0.7
15 de abril de 2021
min. 25º máx. 29º Maceió
pancadas de chuva
Agora no Painel Operação desarticula organização especializada no tráfico de drogas em Anadia e Maceió
08/03/2021 às 18h00

Geral

Seduc apresenta plano de volta às aulas a prefeitos e secretários de Educação de AL

Reunião virtual aconteceu na sede da AMA e contou com a participação do secretário estadual de saúde

Reunião virtual aconteceu na sede da AMA Thiago Ataíde

 

Na manhã desta segunda-feira (8), a Secretaria de Estado da Educação apresentou o plano de retomada das aulas para os prefeitos e secretários municipais de educação de Alagoas. O encontro aconteceu na sede da Associação Alagoana dos Municípios (AMA) e foi transmitido virtualmente para dezenas de prefeitos e secretários municipais de educação. O Plano é uma alternativa de direcionamento para os gestores, com relação à volta às aulas nas redes municipais.

"Assim como a área da saúde, a da educação sofreu muito. Por isso, a maioria dos municípios brasileiros está trabalhando com os governos estaduais, devido à lacuna de uma coordenação nacional. Há um silêncio, como se não houvesse pandemia e as atividades educacionais estivessem normais. O que não é verdade. Ano passado houve desafios, como a necessidade de criação de ações institucionais prévias que possibilitassem o retorno das atividades escolares em Alagoas. Tais atividades são muito mais amplas do que se deduz, pois envolvem a retomada das aulas e as ações 'fora da sala de aula', para definição e cumprimento do calendário", esclarece.

Guedes destacou a importância da criação da portaria que define o regime de atividades não presenciais, estabelecimento do ano letivo e do continuum curricular, para unificação dos anos letivos 2020-2021. Para ele, o momento atual é crucial.

"Já garantimos a continuidade das atividades escolares com calendário 2021 e definição do calendário acadêmico, mas estamos em atenção permanente ao cenário da pandemia e às eventuais necessidades de adequação. Há 15 dias, tínhamos uma portaria para o retorno na modalidade híbrida. Mas com o avanço da pandemia, foi definida a mudança para o modelo remoto, em discussão com o governador Renan Filho e a Secretaria de Estado da Saúde. A decisão priorizou a qualidade do ensino e a segurança da comunidade escolar. A gente conta, mais do que nunca, com o governo federal para fazer a parte dele. A sociedade está cansada e não quer um novo normal sem vacina", enfatiza.

Aspectos pedagógicos

O secretário executivo da Educação, José Márcio de Oliveira, destacou a construção do documento para definição de prioridades na retomada das aulas. O documento, concluído na última sexta-feira (5), já foi disponibilizado para os municípios e serve de base pedagógica para ajudar as secretarias na construção dos planos municipais.

"A primeira etapa é a de revisão do conteúdo de 2020. Paralelamente, as escolas e sistemas precisam produzir seus diagnósticos para compreender pedagogicamente em que nível os alunos estão. A partir daí, pode-se implementar os conteúdos e práticas do ano 2021. É essencial que os gestores conheçam esse documento”, destaca.

Na explanação da gerente de articulação da Seduc, Sueleide Duarte, foram esclarecidos os detalhes da proposta pedagógica para o ano letivo 2021, que observa as aprendizagens não consolidadas no de 2020.

“Nesse modelo, existe uma progressão continuada para os estudantes, mas não uma aprovação automática. Esta é uma oportunidade para a continuidade de estudos, da vida escolar e para que haja uma revisão do conteúdo de 2020. Isso ajuda a reforçar a busca ativa, evitando a desistência dos alunos que achavam que já estavam reprovados. Isso ainda permite a realização de uma avaliação qualitativa, com ações de recuperação. Nós lembramos que 2021 não é um ano comum. Por isso é necessário um investimento minucioso nesse aspecto primordial para reduzirmos qualquer prejuízo de aprendizado”, reforça.

Sesau

O secretário estadual da saúde, Alexandre Ayres, também participou do evento e destacou o empenho do governo estadual no enfrentamento à pandemia, destacando a abertura de 308 leitos de UTI, totalizando quase 500, em todo o estado. Apesar desse avanço, reforçou que vivemos um dos piores momentos da pandemia, que só pode ser superado com a colaboração dos municípios e, claro, da população.

“É preciso uma consciência coletiva de que a luta não é só do governo, para evitar o agravamento visto em todo o país. Neste momento, sem a colaboração da população de maneira geral, não suportaremos a carga e a pressão na rede hospitalar. Depois de muitas reuniões, temos a certeza de que, com o esforço conjunto, vamos superar esse momento. Não há outra saída, senão a vacinação”, endossa.

AMA e Undime 

O vice-presidente da AMA, Sérgio Lira, reforçou a importância da reunião para os municípios alagoanos. Para ele, num cenário onde não há uma coordenação nacional para as ações na área da educação, a vanguarda da Seduc é essencial para uma boa atuação das secretarias municipais.

“A atenção da Seduc para com os municípios é muito importante, já que não temos as ações verticais do governo federal. Isso nos ajuda a não ficar como acéfalos, sem saber o que e como devemos fazer. Esse momento é muito importante para esclarecer uma série de dúvidas que tínhamos. Agora, já ‘trocamos figuras’, montamos um cronograma e, daqui a três semanas receberemos, de novo, a mesma equipe da educação. A ideia é saber o que evoluiu, como evoluiu e porque evoluiu, além do que é que a gente vai fazer a partir daí”, pontua.

A União dos Dirigentes Municipais de Educação também participou do evento. O vice-presidente da Undime, Djalma Barros, reforçou o valor do conteúdo compartilhado pelo corpo técnico da Seduc, para balizar as ações no interior.

“As orientações pedagógicas sobre o currículo, a avaliação diagnóstica e a questão da busca ativa nos deixa mais seguros e oferecem um norte para o planejamento atual. Esses instrumentos técnicos e legais trazidos pela Seduc são um grande amparo para as nossas essas ações”, comemora.

Novo decreto e volta às aulas

O secretário Fábio Guedes reforçou que o novo decreto, anunciado, neste domingo, pelo governador Renan Filho, não altera o cronograma da volta às aulas em Alagoas.

Rede pública estadual: o retorno deve acontecer nesta quarta-feira, 10 de março, conforme calendário já definido e divulgado anteriormente.

Rede privada: as aulas vão continuar na modalidade híbrida.

Redes municipais: dependem do posicionamento dos prefeitos para retornarem.


Fonte: Assessoria

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]