Dólar com. 4.9377
IBovespa 0.58
22 de fevereiro de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Empresários afetados por reoneração da folha cobram devolução de MP
27/11/2023 às 18h46

Geral

Sesau discute implantação de projeto para eliminação da hanseníase em Alagoas

Encontro técnico com representantes do Ministério da Saúde da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) ocorreu em Maceió

Carla Cleto/ Sesau

Técnicos da Secretária de Estado de Saúde (Sesau) se reuniram com representantes do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) para discutir estratégias que visam a eliminação da hanseníase em Alagoas. Durante o encontro, na sede da pasta, em Maceió, foi debatido sobre a implementação de um projeto que tem como objetivo estabelecer novas diretrizes para o combate da doença.

O projeto ainda se encontra em fase de avaliação técnica com Alagoas e Santa Catarina sendo selecionados para a validação do novo método. “Durante encontros técnicos, realizados com gestores da Sesau, os dados epidemiológicos sobre a hanseníase foram apresentados, bem como, a metodologia aplicada, para em seguida estudarmos a implantação do novo projeto”, explicou o consultor da OPAs, Kleydson Andrade.

Para a coordenadora do Programa Estadual de Controle da Hanseníase, enfermeira Itanielly Queiroz, a parceria com o Ministério da Saúde e a OPAs é importante para o avanço do controle da doença em Alagoas. “Por se tratar de uma doença contagiosa e com grande estigma social, o diagnóstico e tratamento precoce é essencial para quebrar a cadeia de transmissão, evitando o surgimento de novos casos”, destacou.

Itaniely Queiroz explicou que a hanseníase é uma doença infecciosa, que acomete nervos e pele. “Ela é transmitida pelas vias aéreas superiores, no caso das pessoas que convivem com pacientes na forma avançada da doença, chamada de multibacilar, caracterizada por muitas lesões e que não estão em tratamento. Com a medicação, a transmissão é interrompida após 72 horas que o paciente toma a primeira dose supervisionada do tratamento, que dura de seis a doze meses.”, ensinou.

A coordenadora do Programa Estadual de Controle da Hanseníase lembrou, ainda, que o tratamento é completamente assegurado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Os remédios são distribuídos exclusivamente pela Rede Pública de Saúde e não podem ser adquiridos em farmácias. Por isso, é essencial que as pessoas procurem o atendimento médico de forma regular”, ressaltou Itaniely Queiroz.

SINTOMAS

Entre as principais características da hanseníase estão o aparecimento de manchas brancas e avermelhadas na pele e comprometimento dos nervos periféricos. A pessoa acometida pela doença também pode sentir sensação de formigamento nas mãos e pés, diminuição ou perda da sensibilidade e nódulos no corpo, alguns deles, dolorosos.


Fonte: Ascom Sesau/AL

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]