Dólar com. 4.9377
IBovespa 0.58
22 de fevereiro de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Empresários afetados por reoneração da folha cobram devolução de MP
28/11/2023 às 11h00

Geral

FPI do São Francisco fecha queijaria clandestina em São José da Tapera

Sem licença para funcionar, estabelecimento com grande quantidade de mosca e falta de higiene colocava em risco à saúde da população

Divulgação

A equipe de Produtos de Origem Animal da 12ª etapa da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) em Alagoas fechou, na tarde desta segunda-feira (27), uma queijaria clandestina que produzia e armazenava laticínios de maneira irregular na cidade de São José da Tapera. 

No local, os agentes da ADEAL, IMA, CRMV, BPA e PRF encontraram uma grande quantidade de moscas e falta de higiene, o que pode ocasionar em grande risco à saúde da população por oferecer produtos impróprios para consumo. 

Ao realizar uma vistoria também foram identificados equipamentos inadequados para a manipulação de alimentos de origem animal destinados à produção de queijos, como insumos, formas, baldes de leite em inox, bombonas de leite, peneira e utensílios em madeira. 

Além disso, a equipe também constatou que o local estava pendente de licença ambiental. Com a autorização e acompanhado do proprietário, os agentes entraram no imóvel e confirmaram a existência de uma espingarda calibre 20. 

Diante dos fatos, a equipe conduziu o responsável pelo local para a Delegacia Regional de Santana do Ipanema para a realização dos procedimentos cabíveis.

Riscos à saúde

A representante da ADEAL explica que a produção irregular de produtos de origem animal oferece importantes riscos à saúde pública. A produção incorreta e manipulação dos alimentos também pode causar doenças que são transmitidas pelo alimento, conhecidas como DTAs.

"São doenças que os alimentos atuam como veículo para a transmissão de organismos prejudiciais à saúde ou de substâncias tóxicas. E as DTAs podem se manifestar por meio de infecções transmitidas por alimentos, que são doenças que resultam da ingestão dos alimentos que contêm organismos que prejudicam a saúde, como por exemplo salmonelose, hepatite A, toxoplasmose". 

Além disso, as intoxicações alimentares ocorrem quando uma pessoa ingere um alimento com substâncias tóxicas, que são toxinas produzidas pelos micro-organismos, como bactérias ou fungos. 

“Para evitar ou reduzir os riscos dessas DTAs, as medidas preventivas e de controle devem ser adotadas, que exatamente trata-se do adequado registro nos órgãos reguladores, para que dessa forma eles estejam regulares quanto às boas práticas de higiene, que devem ser adotadas na cadeia produtiva, visando a melhoria das condições sanitárias dos alimentos e a segurança da saúde pública”, acrescenta. 


Fonte: Assessoria de Comunicação da Fiscalização Preventiva Integrada do Rio São Francisco

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]