Dólar com. R$ 4,037
IBovespa -1,5%
22 de agosto de 2018
min. 21º máx. 27º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Decreto deverá agilizar aprovação de retransmissoras de televisão
14/02/2018 às 13h30

Política

Governo resiste a pressões e pretende manter Segovia à frente da PF

Na avaliação de um ministro próximo a Temer, não há motivos para a demissão do diretor-geral da PF

Arquivo/Agência Brasil

Apesar das polêmicas nas quais o diretor-geral da Polícia Federal (PF), o delegado Fernando Segovia, se envolveu nos últimos tempos, o governo não deve ceder às pressões de delegados da PF que pedem a retirada dele do cargo. O último mal-estar foi criado pelas suas declarações sobre um possível arquivamento da investigação sobre uma suposta participação do presidente Michel Temer em um esquema de irregularidades na área de portos.

Como apurado pelo 'Globo', aliados do presidente disseram que Segovia “fica”. Na avaliação de um ministro próximo a Temer, não há motivos para a demissão, nem sequer para ele ser chamado para dar explicações sobre as suas declarações. Segundo o ministro, “ele deu a opinião dele, uma questão funcional”.

A publicação explica que Segovia tem ligações diretas com líder peemedebistas. Mantendo a decisão de abafar as declarações polêmicas, o Planalto sabe que o desconforto permanecerá até a próxima semana, quando Segovia se encontrará com o ministro do STF e relator do inquérito sobre Temer e a empresa Rodrimar, Luís Roberto Barroso, para dar explicações sobre as suas declarações sobre o encerramento do inquérito.


Fonte: Notícias ao Minuto

Todos os direitos reservados
- 2009-2018 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]