Dólar com. 5.4666
IBovespa -0.8
25 de janeiro de 2021
min. 24º máx. 29º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Decreto reconhece situação de emergência de 42 Municípios
18/12/2020 às 17h15

Blogs

Justiça Bandida

PARA REFLETIR

Existe uma deformação lastimável na consciência política coletiva do nosso povo: o povo adora ser enganado.

Justiça Bandida

A imprensa brasileira noticiou na segunda feira fato de grande repercussão, mas não surpreendente para a sociedade, a prisão de duas desembargadoras do Tribunal de Justiça da Bahia, Lígia Maria Ramos Cunha Lima e Ilona Márcia Reis. Os mandados de prisão temporária, determinados pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Og Fernandes, foram cumpridos pela Polícia Federal (PF) no âmbito das 6ª e 7ª fases da Operação Faroeste, que apura um esquema criminoso de venda de sentenças em meio à disputa de terras no Oeste baiano.

Além delas, também foi determinada a prisão preventiva de Ronilson Pires, operador do juiz Sérgio Humberto Quadros, e o afastamento do cargo e função de todos os servidores envolvidos nestas fases, o que inclui o secretário de Segurança do estado, Maurício Barbosa, e a ex-chefe do Ministério Público estadual, Ediene Lousado

Em março deste ano, a desembargadora Ilona já havia sido alvo de uma investigação interna por conta da Faroeste. Na época, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) determinou a composição de uma comissão para apurar a atuação dela em atos criminosos.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, as desembargadoras Lígia Cunha e Ilona Reis, assumiram posição de destaque em atividades criminosas.

Entre os alvos da ação estão, além de magistrados da corte baiana, servidores do Tribunal de Justiça, membro e servidores do Ministério Público do Estado, servidores da Secretaria de Segurança Pública da Bahia e advogados.

Um poder putrefato

Onde finalmente irá parar esse país cujo poder, guardião da lei e das garantias constitucionais vê-se completamente apodrecido em todas as instâncias?  A situação está difícil mesmo. Apelar para quem? Na tripartição dos poderes o que temos? Políticos desonestos em maioria esmagadora nas casas legislativas, no Executivo a predominância de ratos de esgoto em todos os níveis, travestidos de governadores e prefeitos e no Judiciário juízes, desembargadores e ministros das altas cortes afogados até o pescoço em atos explícitos de corrupção deslavada.

Um país à beira do abismo

Com um quadro tenebroso dessa natureza, não faltava mais nada para completar o caos absoluto. Engano, faltava sim. Não nos bastasse essa tragédia anunciada eis que se apresenta a “dirigir” o país um destrambelhado, apoplético e despreparado presidente. Uma figura desprezível e ameaçadora para qualquer instituição democrática.

Em minha concepção hoje, pela situação crítica e desmoralizante em todos os poderes constituídos, é irreversível um futuro sombrio para o Brasil. Teremos que chegar ao fundo do poço, para que possamos reinventar a pátria.

Disputando, sem Renan

O MDB resolveu se unir para voltar a comandar o Senado. Em reunião realizada nesta quarta-feira (16), a maior bancada da Casa, com 13 senadores, decidiu abrir uma disputa interna entre seus senadores para aferir qual deles tem os 41 votos necessários para se eleger presidente do Senado. Os líderes do governo na Casa, Fernando Bezerra (PE), e no Congresso, Eduardo Gomes (TO), e o líder da bancada Eduardo Braga(AM), e a presidente da Comissão de Constituição e Justiça , Simone Tebet. são os quatro nomes que correm atrás de apoio de colegas de outras legendas.

Sem o rótulo de governistas, os independentes Simone Tebet e Eduardo Braga largam em vantagem. O partido, que saiu dividido da disputa de 2019, quando perdeu a presidência para Davi Alcolumbre(DEM-AP), pretende fazer valer o critério da proporcionalidade partidária, que garante à maior bancada o direito de reivindicar o comando da Casa.

Um detalhe: na reunião foi vetada qualquer menção ao nome de Renan Calheiros, considerado “persona non grata” em qualquer negociação no Congresso.

Quem será?

"Um artigo publicado no Journal of Public Management & Social Policy (Jornal de Gestão Pública e Política Social) listou as características de líderes com personalidade psicopata, narcisista ou maquiavélica. Elas incluem: tendência à manipulação dos outros, disposição em mentir e enganar para alcançar seus objetivos, falta de remorso e sensibilidade, desejo de admiração, atenção, prestígio e status. Sigmund Freud afirmou que “os grupos assumem a personalidade do líder”. Penso que o ponto cego do líder é o mesmo dos grupos que o seguem.

Um bom assessor

Na disputa eleitoral o papel de um bom assessor de imprensa vai muito além de outros itens, até mesmo do marketing pago a peso de ouro. Os marqueteiros geralmente desconhecem as características locais e cometem erros que podem atrapalhar uma campanha. Já o assessor de imprensa, além de ser a sensível fornecedor de notícias do candidato, tem que ter muito jogo de cintura, relação com os colegas, visão estratégica e confiabilidade. Não é um papel fácil e só pode ser exercido por quem domina a arte de conhecer muito bem do ofício. Na campanha do vencedor, prefeito eleito JHC, esse difícil papel coube ao professor e jornalista Lininho Novais,(foto) que conhece de política, administração e muito de relação com a imprensa. Contribuiu muito para a vitória do candidato que ele respeita e admira. Assim é um bom assessor de imprensa.

Brincando com o perigo

As pessoas estão se glomerando, deixando de usar máscaras, participando de eventos e farras (muitas farras), deixando de lado os cuidados necessários para preservação contra o Coronavírus, que não vive uma segunda onda, já que a primeira nunca foi embora. O próprio governador Renan Filho, foi um péssimo exemplo para a população: Condenou a aglomeração contagiosa, disse em vídeo que não se deveria votar em candidatos que aglomeram e fez exatamente ao contrário. Saiu às ruas em carreatas com o seu candidato a prefeito, percorreu bairros, se contaminou e deve ter contaminado muitos.

Agora com as proximidades das festas de fim de ano o mesmo governador está sem moral alguma para decretar um novo confinamento e a proibição de festas de réveillon. A aplicação da vacina no Brasil, diferente da maior parte do mundo, ainda está em fase de “disputa eleitoral” e demora a chegar. Espera-se que a justiça, a exemplo de outros estados, exerça o seu papel e decrete as medidas necessárias á defesa da vida dos alagoanos.

Pílulas do Pedro 

Mantidos no máximo segredo possível, o prefeito eleito está quase concluindo o seu primeiro escalão. Alguns nomes vão surpreender.

Vazado da transição o nome do secretário de Educação. O professor e sociólogo Elder Maia. Com um conceito elevadíssimo e um currículo recheado de láureas.

A composição do próximo secretariado municipal parou um pouco esta semana. O prefeito eleito estava em Brasília, buscando “asfalto” para sua futura caminhada. 


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2021 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]