Dólar com. 4.9703
IBovespa 0.58
01 de março de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel STF adia julgamento sobre revisão da vida toda do INSS
05/08/2023 às 14h40

Blogs

O mestre Arthur

Reprodução TV Cultura

PARA REFLETIR: "Política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou." 

                                                                                                                                                      Magalhães Pinto

O mestre Arthur

A entrevista com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, no Roda Viva, na TV Cultura, bateu recorde de audiência, segundo a jornalista Vera Magalhães, âncora do programa. Lira não deixou nada sem resposta e até pautou os entrevistadores algumas vezes. Seguro, tranquilo e incisivo mostrou o seu preparo, confirmando porque é hoje o politico mais importante do país, segundo a imprensa. Com uma bancada de jornalistas de alto nível, que em alguns momentos tentou o “emparedar”, mas ele tirou de letra. O cara está mesmo preparado para qualquer embate.

Bastidores: sabiam que um politico alagoano, adversário de Arthur, ainda teve a ousadia de ligar para um dos jornalistas para “sugerir” perguntas que trouxessem constrangimento ao deputado? O bacana não foi atendido e ainda teve seu nome revelado.

CPI ou circo?

Como praticamente em toda Comissão Parlamentar de Inquérito os objetivos raramente possuem caráter republicano, servindo mais como instrumento midiático ou de perseguição de adversários. No caso da CPI do MST a coisa foi muito mais além. O seu plenário lotado de parlamentares sem nenhum preparo, tem registrado verdadeiros absurdos, além da falta de compostura e respeito, que se fazem obrigados, se transformando em um picadeiro de circo de quinta categoria.

Na oitiva do general G Dias, por exemplo viu-se o alienado deputado Ricardo Salles (PL-SP), perguntando sobre fatos ocorridos durante a Ditadura (1964), outro se o militar teria sido preso por “colar” em uma prova da Academia. A CPI até agora não avançou um centímetro em seu propósito.

Só pose

Não passa de boato, plantado pelos interessados, essa história de que o hoje ministro e ex-governador Renan Filho possa vir a ser candidato a vice numa provável reeleição do presidente Lula. Os óbices: o natural candidato ao cargo é o atual ocupante, Geraldo Alckmin, o PT não tem nenhuma simpatia pelo ministro (nunca gostou) e dentro do gabinete palaciano a imagem de RF não é nada boa. Muita pose e pretensão de Calheiros filho.

Sinais dos tempos

Quando da divulgação do indiciamento do governador Paulo Dantas pela Polícia Federal, se esperava uma reação de solidariedade de seus parceiros políticos, até por um ato de reciprocidade, o que não aconteceu. Afora pífias opiniões “intestinas”, em maior proporção foi um silêncio sepulcral a começar pelos aliados mais graduados, como Renan Calheiros e Renan Filho. Em palácio há claros sinais e descontentamento.

Que vergonha

Esta semana os vereadores de Palmeira dos Índios deram mais uma demonstração do quanto são capazes de ferir o decoro e a não preocupação com o interesse público. Não tiveram a mínima dignidade para discutir a partilha dos favores do prefeito e usaram o próprio plenário da Câmara para um embate chulo e deprimente sobre quem ganha mais e quem ganha menos das benesses do prefeito Júlio Cézar (il capo de tutti loro) Ato vergonhoso para o povo palmeirense, mas não para os atores dessa “tragédia bufa”, porque assim o são.

Zambelli cassada

(BRASÍLIA) - Dificilmente a tresloucada deputada Carla Zambelli (PL-SP) vai escapar da cassação de seu mandato, fato que deve ocorrer nos próximos dias. Com um currículo marginal e hoje detestada por seu criador, Jair Bolsonaro, que a culpa de sua derrota.

O relator da apuração de quebra de decoro parlamentar deputado João Leão (PP-BA), votou a favor da continuidade do processo no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

Mas Zambelli sabe demais e o temor é que ela abra a boca.

Know How

BRASÍLIA) - Nomeado pelo presidente Lula (PT), em abril deste ano como superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), no Rio Grande do Sul, o ex-prefeito de Pontal, Nelson José Grasselli (PT), colocou em seu currículo como experiência profissional ter participado da ocupação que deu origem ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). - “Participou da ocupação da Fazenda Anonni em 1985”, diz como primeira experiência em documento disponibilizado pelo Ministério do Desenvolvimento

Pílulas do Pedro

A coisa está tão difícil que vai terminar a oposição pedindo ao prefeito JHC para indicar seu nome para reeleição. Ai não gasta dinheiro e nem passa vergonha.


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]